Neste final de semana aproveitei e coloquei vários filmes em dia que estavam na minha lista. Já que ainda por cima teve um feriado, consegui assistir mais ainda, e meio que deixei minhas leituras de lado. Mas agora posso deixar umas dicas de filmes e o que achei de cada um.



FUJA
GÊNERO: Thriller / Terror
Ano: 2020
Duração: 1h e 39 minutos

Uma adolescente educada em casa começa a suspeitar que sua mãe esconde segredos sombrios.

Esperava com muita ansiedade por este filme, principalmente pela atuação de Sarah Paulson, que faz filmes e séries de uma forma inacreditável. O filme é meio que um suspense que aos poucos vai contando a história de uma mãe e filha que mostram se dar muito bem, porém a mãe demonstra um carinho e apego muito grande pela filha, de uma forma até possessiva demais.

Aos poucos a filha começa a descobrir diversos segredos e ao longo do filme acontecem coisas bastante previsíveis para quem já assiste a este tipo de filme. Lógico que o filme tem aquele quê de jogada psicológica, com o espectador torcendo o tempo todo para que dê certo, principalmente porque a filha é uma cadeirante, nunca sai de casa ou conversa com outras pessoas, mas muitas cenas são tão clichês que basicamente já se sabe o que vai acontecer o filme todo.

Eu imaginava algo diferente, uma história um pouco mais criativa com um enredo que chamasse mais atenção, a ponto que acabei ficando mais com preguiça do que tensa neste tipo de filme. Acredito que seja porque já vi séries e outros tipos de filmes exatamente do mesmo estilo.

Vale a pena assistir pela atuação das atrizes e pelo final que não foi tão básico assim, porém também não tão surpreendente. É um filme sem muita expectativa para os fãs de terror e suspense, mas que faz passar o tempo.



CABRAS DA PESTE
GÊNERO: Comédia
Ano: 2021
Duração: 1h e 37 minutos

Bruceuilis, um policial do interior do Ceará, viaja até São Paulo para resgatar Celestina, uma cabra considerada patrimônio de sua cidade. Na capital paulista, ele encontra Trindade, um escrivão da polícia que decide sair do marasmo de seu trabalho e ajudá-lo na aventura, mesmo não sendo sua especialidade.

Não sou basicamente fã de filmes de comédia, mas quando fico curiosa com algum eu me jogo. e neste foi mais pelo trailer que acabei assistindo do que por alguma indicação. E desta vez, ao meu ver, acertaram em cheio ao escolher Edmilson Filho e Matheus Nachtergale para os papeis principais. Logicamente o filme trabalha totalmente o tipo do nordestino arretado com o personagem de Bruceuilis, atuado por Edmilson, que é um policial faixa preta em diversas artes marciais e depois Trindade, que é somente um escrivão que acaba sempre se metendo em confusão.

No meio disso fala-se de uma cabra que é a heroína de uma cidade e que por causa dela os dois vão acabar se juntando para conseguir encontrar uma homem da máfia e tentar não morrer e não matar a pobre bichinha.

E olha que eu dei risada. O filme tem umas tiradas completamente engraçadas sem precisar fazer piadas sujas ou medíocres e trabalha na inocência dos personagens. Trindade tem medo de fazer todas as coisas e o seu parceiro acaba colocando ele em todo tipo de confusão.

É um filme que passa muito depressa e que de uma forma ou de outra estabelece uma relação de apego nas culturas ali mostradas. 




RELATOS DO MUNDO
GÊNERO: Faroeste/ Drama
Ano: 2020
Duração: 1h e 59 minutos

Um veterano de guerra que viaja de cidade em cidade lendo as notícias faz uma perigosa viagem pelo Texas para levar uma garotinha órfã até seu novo lar. Assista o quanto quiser. O vencedor do Oscar Tom Hanks e o diretor Paul Greengrass (Capitão Phillips) se reencontram neste faroeste rústico.

Como explicar um filme assim? Em primeiro lugar se você não gosta de filmes que vão contar uma história de forma mais parada, do início ao fim, que não é tão cheio de cenas de adrenalina, talvez este não seja o tipo de filme que vá te agradar.

Relatos do Mundo é o tipo de filme que trabalha cenários lindos, momentos de reflexão, histórias de um passado baseado em fatos reais e mais cenas onde o que basicamente se mostra naquele momento é um contexto geral do que o homem e a humanidade estavam criando em um lugar complicado dos EUA.

Kit é um ex soldado do exército que após perder a sua esposa depois de anos lutando durante a guerra civil, decide que vai sobreviver indo de cidade em cidade e ler para as pessoas as notícias dos jornais. Porém durante umas das viagens ele encontra uma garotinha que foi roubada de seus pais assassinados por uma tribo de índios, que viveu com eles por mais de seis anos, e que agora precisa levar ela de volta para o que sobrou de sua família.

A partir daí eles vão criar um vínculo emocional, sem conseguir se comunicar, já que não falam a mesma língua e ele precisará protegê-la de diversos perigos. A questão é que o que importa neste filme além do que acontecia na época, é a visão da colonização, o resultado da guerra civil, como o sul tratava os negros e como as pessoas desejavam estar ali, mesmo que soubessem que estavam em condições terríveis.

O filme é de uma dádiva de ensinamentos. A garotinha que não quer largar sua alma indígena, mesmo sabendo que é uma garota com sangue alemão, e um capitão que quer que ela seja aquilo que ela não é.
Aos poucos os dois vão aprender juntos a saber que diferenças podem ser transpostas.

O cenário é tão lindo e mesmo assim tão destrutivo que pensei várias vezes como a humanidade foi destruindo a natureza aos poucos. E é por isso que indico demais este filme, pela reflexão de amor, guerra, e necessidade de achar o seu lugar no mundo.


Bom, todos estes filmes se encontram na Netflix e logo volto com mais ideias para você!



Deixe um comentário

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos