E vamos para mais uma comédia de dança adolescente que chegou no catálogo da Netflix. Para quem gosta de filmes no estilo Ela Dança, Eu Danço, pode chegar que é bem nessa jogada.

FILME: Dançarina Imperfeita

NOME ORIGINAL:  Work It (Trabalhar)

NACIONALIDADE: Estados Unidos

DURAÇÃO: 1 hora e 33 minutos

ANO: 2020 

GÊNERO: Comédia


Uma aluna brilhante e estabanada topa tudo para entrar na faculdade que o pai frequentou, incluindo se transformar em campeã de dança junto com os amigos desajustados.


Já vou começando sendo direta para não iludir ninguém. O filme grita totalmente para o famoso clichê. É clichê e mais clichê em todo o roteiro, do início ao fim e é isso que você pode esperar. Pronto. A partir deste momento em que você sabe que o que vai assistir é aquilo que já viu em todo tipo de filme adolescente com música e romance, pode jogar a crítica total de lado e aproveitar o que o filme tem a oferecer.

Primeiro que ele foi produzido por Alicia Keys e aí já vale pontos. O que mais agrada também é a questão do elenco que daí eu conhecia a famosa youtuber conhecida como Liza Koshy, que aqui vai ser a melhor amiga de Quinn Ackermann, personagem interpretada pela garota completamente sem noção de dança de Sabrina Carpenter.

Outro ator que conheço que fez o segundo filme de Para todos os garotos que já amei: P.S. Ainda amo você é o Jordan Fisher, que aqui vai ser o professor de dança. E no restante vai ter muita gente engraçada e cada um com sua peculiaridade total. E essa é a graça da coisa toda.


A história é que Quinn quer muito entrar na universidade de Duke, porém ela precisa ter alguma coisa diferente que chame a atenção deles. Assim, ela resolve mentir que faz parte de um grupo de dança e que participa da competição anual. O problema é que a pessoa com quem ela está fazendo a entrevista de admissão diz que ela só vai conseguir entrar depois que for vista neste concurso de dança. 

Só que ela não sabe dançar absolutamente nada. E isso é mostrado quando a melhor amida dela tenta ensiná-la algumas coisas. E não somente isto, é necessário que seja apresentado em equipe. A partir daí o que ocorre no filme é Quinn e sua amiga correndo atrás de pessoas que queiram participar do time e indo atrás do professor para montar a coreografia.

Claro que também não podia faltar o outro lado, que é uma equipe que sempre ganha esta competição e que vai querer dar tudo para ganhar novamente. Lógico, o clichê.


A partir daí são cenas de danças, ensaios, frustrações e dramas. Claro que tem aquela pequena participação de um romance, que precisa acontecer para fazer dar aquela animada maior entre os personagens principais e também as cenas de humor que a Liza sabe fazer muito bem. 

Eu fico pensando como conseguiram pegar uma atriz que fosse realmente tão ruim de dança. Pois se alguém sabe dançar, imitar alguém que não sabe deve ser bastante difícil. E Sabrina Carpenter é muito ruim na dança. Mas ganha no carisma e no jeito com que trata todo mundo. Há algumas cenas de humor pesadas que eu dei risada e depois fiquei pensando que parecia muita maldade, mas no conjunto é para realmente demonstrar no quão eles estavam em apuros na questão qualidade de dança.



Não é um filme cheio de teorias da conspiração ou algo difícil de entender. Mas é legal para passar o tempo e aquecer o coração. E dar boas risadas, por que não?


Deixe um comentário

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos