Autor:John Boyne
Título Original: The Boy at the Top of the Mountain
Páginas:232
Ano: 2016
Gênero: Romance 
Editora: Seguinte
                                     Comprar



Quando fica órfão, Pierrot é obrigado a deixar sua casa em Paris para recomeçar a vida com sua tia Beatrix, governanta de uma mansão no alto das montanhas alemãs.
Porém, essa não é uma época qualquer: estamos em 1936, e a Segunda Guerra Mundial se aproxima. E essa não é uma casa qualquer: seu dono é Adolf Hitler.
Logo Pierrot se torna um dos protegidos do Führer e se junta à Juventude Alemã. Mas o novo mundo que se abre ao garoto fica cada vez mais perigoso, repleto de medo, segredos e traição - e talvez ele nunca consiga escapar.

Pierrot Fischer é um garoto com seus quatro anos de idade que vive na França com seu pai e sua mãe. Porémseu pai já está um tanto diferente depois de ter voltado da primeira Grande Guerra. Tudo o que ele viveu e teve que ver na guerra foi o suficiente para não ser mais quem ele era e ver o pai beber e ser agressivo com a mãe foi o bastante para que ela decidisse que ele não deveria fazer mais parte da família.

Sendo francês por parte de mãe e alemão por parte de pai, Pierrot era bilíngue e tinha o desejo de poder conhecer a Alemanha. Mesmo vivendo em condições precárias e vendo sua mãe trabalhar muito, a amava demais e não reclamava de estar com ela em seu trabalho.

Pierrot tinha um amigo Anshel, que era judeu e mesmo sendo surdo conseguia se comunicar com ele. Anshel contava histórias como ninguém e juntos eram inseparáveis. Porém quando a mãe de Pierrot morreu e ele foi parar em um orfanato tudo mudou.

" Mas o menino não voltou. Seu tempo em Paris estava terminado, agora ele tinha consciência disso. Fechou a porta atrás de si, respirou fundo e deu o primeiro passo de sua nova vida." Pág. 29

Quando recebeu uma carta de uma tia que era governanta em uma casa na Alemanha achou tudo muito estranha. Nunca tinha conhecido tia Beatrix e sequer sabia como iria sobreviver. E ao chegar àquela mansão enorme, soube que o senhor de Berghof, Adolf Hitler.

Aos poucos Pierrot que acabou se tornando Pieter começa a conhecer o mundo dos nazistas e a mudar totalmente o seu comportamento. Afinal, o poder parece ser muito melhor do que estar sempre à merce dos valentões. E quem melhor do Hitler para ensinar alguém?

O primeiro livro que vi que este autor teria chamado a minha atenção foi O Menino do Pijama Listrado e acabei nem lendo ele e sim assistindo ao filme. Na verdade foi feio da minha parte, mas como o filme acabou me conquistando e dilacerando totalmente o meu coração eu pesquisei muito mais sobre ele e vi que tem vários livros lançados com a mesma temática, que é o caso deste.


"Pieter sentiu o rosto ficar vermelho e desejou não ter saído da casa para recebê-los. Tinham inveja dele, foi o que o menino disse para si mesmo. Algum dia faria com que todos pagassem. Quando tivesse poder de verdade." Pág. 171

A história é bem simples, com uma escrita agradável e rápida de ler. Vamos conhecer a vida de Pierrot na França, com seu amigo Anshel e no orfanato e depois quando ele começa a conhecer, durante a viagem até a casa onde sua tia é governanta, pessoas que aprovam o estilo que Hitler impôs na Alemanha.

Eu não sabia que Hitler mantinha uma mansão nos alpes Bávaros, próximos da Áustria, que era seu refúgio e que ficou intocado durante a guerra e foi bastante instrutivo neste livro. O Sr. de Berghof raramente ia lá, mas nesta história Pierrot chama a atenção do Führer e aos poucos começa a se tornar o protegido dele.



Tive uma relação de amor e ódio com este livro por causa do personagem. É totalmente verdade que somente se conhece uma pessoa quando se dá poder a ela e Pierrot se torna algo que muda tão drasticamente que ao final do livro com o resultado da guerra cheguei a achar injusto o seu destino.

Mas para quem busca um livro com uma temática que tenha um pouco de informação de guerra, com estilo fácil e que mostra um pouco sobre a realidade dos seres humanos vai gostar deste livro. Eu li rapidamente. Claro que o final terminou de uma forma que me surpreendeu, mesmo não sendo o que eu desejaria, mas faz refletir como nos momentos difíceis algumas pessoas podem mudar facilmente.

Agora vou seguir para outros livros do autor, já que são sempre bem recomendados.



Um Comentário

  1. Oie, adoro os livros do Boyne pois ele retrata sempre as histórias com uma perceptiva muito sútil fazendo o leitor refletir.
    Esse livro não conhecia dele. Também não sabia que Hitler mantinha uma mansão não, descobertas que a gente faz com as leituras

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos