Autora: Jill Mansell
Título Original: Meet me at Beachcomber Bay
Páginas: 336
Ano: 2019
Gênero: Romance de Hoje
Editora: Arqueiro
                     Comprar

Clemency se apaixona por um belo estranho que senta ao seu lado durante um voo e logo começa a fazer planos para um futuro a dois, mas acaba se decepcionando ao saber que ele é casado.
Sam, o homem encantador do avião, aparece três anos depois na cidade litorânea onde Clemency mora, só que não veio à sua procura: desta vez ele está envolvido com a irmã postiça dela.
Belle parece ter um namoro perfeito com Sam, mas na verdade algo não vai bem na relação deles.
Ronan, melhor amigo de Clemency, aceita embarcar em um plano maluco e fingir um relacionamento amoroso com ela para provocar ciúmes. Pela primeira vez, o jovem sedutor não sabe o que fazer para conquistar a mulher que realmente ama.
E assim os desentendimentos e a confusão começam.
Enquanto o sol esquenta a areia e o mar turquesa cintila, uma verdade fica clara: segredos enterrados sempre acabam vindo à tona.
Clemency estava voltando de uma viagem de férias. As merecidas férias que ela sempre precisou e que tanto ansiava agora também estavam terminando e ela tinha que encarar a viagem de volta de avião. Não que fosse uma pessoa que tinha problemas com isto, bem longe, mas gostava de estar segura. E foi no voo de volta para Londres, onde morava, que ela conheceu Sam, um homem que de início nem sequer pareceu olhar para ela. Sentou ao seu lado e fingiu não se importar. Mas aos poucos quando ela mais começava a precisar de alguém para conversar o momento surgiu e ali durante aquelas horas eles se conheceram e parece que algo mais do que uma simples conversa e amizade havia iniciado. Até ele sumir depois de sair do avião.

Clemency adorava trabalhar com vendas, era uma profissional excelente e tudo o que iniciava acabava em total sucesso. Sua irmã Belle, que na verdade não era sua irmã de verdade, mas somente por casamento de sua mãe com o pai dela, já era bem diferente. Adorava gastar, já que seu pai era rico, não conseguia parar em emprego algum e não via problemas com isso de nenhuma forma. Mas elas tinham alguns juramentos juntas de tantas brigas que tiveram no passado.

"Porque, ás vezes, não importava o quanto apertasse o botão de apagar, aquilo que você estava tentando tirar do cérebro simplesmente se recusava a desaparecer." P.41

Quando Clemency recebe uma proposta irrecusável para ir morar em St. Carys, no litoral da Inglaterra, ela vai com muito gosto para poder trabalhar em uma imobiliária e ficar próximo de um mar lindo. Lá conhece Ronan, que logo se torna seu melhor amigo e parceiro de negócios, um homem sedutor e solteiro, mas que não quer ter uma vida conjugal, mesmo que sua mãe adotiva deseje com todas as suas forças.

O problema surge quando Sam, aquele mesmo que Clemency viajou resolve ir morar naquele lugar. Ela sabia que por ele ter fugido depois de tudo tinha algo de muito secreto, mas estar agora perto dele parecia fazer com que tudo voltasse a tona e o seu coração queria muito estar perto dele. Porém a grande surpresa é que a nova namorada de Sam não era ninguém menos que Belle, sua irmã. E elas tinham juramentos. Agora Clemency precisava viver sua vida como se Sam, tão perto dela, não existisse novamente.


Há alguns anos atrás eu li um livro da Jill Mansell, então quando vi este lançamento sabia exatamente que seria uma boa obra e acertei em cheio. Apesar da sinopse parecer muito com a questão de se ter um clichê e sim, é um pouquinho clichê o que acontece, também mostra muitas coisas diferentes em relação a amizade, ao convívio com duas mulheres que só são irmãs por um casamento dos seus pais e que precisam conviver com isso.

Mas primeiro quero falar sobre o cenário. No início do livro vai ter um mapa explicando como é St. Carys, onde cada personagem mora, com cada casinha desenhada. Eu adoro isso já que meu guia geográfico é totalmente infundado quando penso em localizações. Além disso por ser uma praia, uma baía,  acho muito legal a descrição da autora que tende a mostrar o lugar com uma beleza bem natural mesmo que tenha seus diversos turistas e com seus moradores locais.

 


Outra coisa legal são os diversos personagens secundários que fazem o enredo ficar bem mais rico. Não daria para fazer uma história com somente quatro personagens e ficar parecendo natural. Por isso tem bem mais envolvimentos e relações lindas, com mistérios e segredos que aos poucos vão surgindo.

Claro que não é uma obra que vai sair muito da questão dos problemas que todos enfrentam, os dramas, as questões amorosas, mas é um livro que foi tão gostoso de ler que passa rápido demais. Confesso que em diversos momentos tive aquela relação de raiva cm certos personagens e ter a paciência que Clemency tinha, por exemplo, já era um dom que eu teria que trabalhar por algum tempo.

"Ao mesmo tempo, Sam dissera para si mesmo que eles ainda poderiam ter anos juntos pela frente, talvez até décadas, ates que aquilo acontecesse. Porque não dava para saber, dava? Havia histórias de pessoas que se recuperavam milagrosamente." P.190

Mas como sempre quis morar em um lugar pequeno, principalmente que tivesse mar, me identifiquei muito com tudo isto. A diagramação é sempre aquela com as páginas amarelinhas que facilitam a ceguinha aqui a ler e os capítulos são intercalados entre os personagens.

Lógico que o final é meio previsível, mas valeu cada página lida como um suspiro de romance.


Deixe um comentário

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos