E a Netflix lança mais um filme original e desta vez voltado para a ficção científica. E apesar de ter muitos poucos personagens e passar praticamente em um único cenário, o filme se mostrou muito bem aceito pela crítica.

FILME: I Am Mother

NACIONALIDADE: Austrália

DURAÇÃO: 1 hora e 54 minutos

ANO: 2019

Criada por um gentil robô a quem chama de "Mãe", uma adolescente é designada para repopular a Terra depois de desastres que quase causaram a extinção completa da humanidade. Mas quando uma mulher desconhecida chega dando notícias alarmantes, o laço afetivo criado entre humano e robô fica ameaçado.

Quando assisti ao trailer deste filme já fiquei com a data na cabeça aguardando a estreia na Netflix. Muita gente imaginou que o trailer já entregava todo o contexto do filme e eu até pensei realmente que fosse alguma coisa parecida, já que era tudo muito cheio de ação e com muita adrenalina.

Imagine que somente duas personagens humanas estão fazendo parte da parte principal do filme. Uma delas é uma criança que é gerada por um robô que é interpretado por dois personagens, um que faz os movimentos e outra que faz a voz. Em um mundo pós-apocalíptico, um robô fica responsável por repovoar a Terra em um local com diversos fetos.


Mãe, é o nome da robô e ela chama a criança que ela cria de filha. Já de início vemos como ela cria a criança, os cuidados, os ensinamentos, os estudos e todas as formas de crescimento até ela virar uma adolescente. O bom é que o filme não fica parado e essa mostra não dura muitos minutos, o que achei que poderia durar metade do filme, mas não. Acontece super rápido toda esta introdução.

Lógico que a "filha" foi criada sabendo de toda a condição atmosférica do lado de fora. Que não tem como viver lá, que tudo foi destruído e que somente naquele lugar é que consegue viver sem morrer. Há toda a infraestrutura de alimentos, saúde, educação. 


Eis que um dia bate à porta uma sobrevivente. A atriz Hilary Swank interpreta muito perfeitamente a personagem da "Mulher". Ela chega machucada ao local onde pede ajuda para a "filha" sem ser vista pela robô. É então que ela explica que não há nenhum problema do lado de fora e que a terra é habitada, não há nada tóxico lá fora e começa a colocar dúvidas na cabeça da "filha".

E é então que tudo começa a ficar cada vez mais tenso no filme. Imagine uma adolescente que sempre acreditou em um robô e se vê cheias de teorias através de uma humana igual a ela? Que diz ter outros humanos do lado de fora e que os robôs são violentos e matam todos que encontram?

Então começa o suspense total. O robô se coloca a questionar a "mulher" e vice-versa através de fatos e teorias. Um filme que traz um suspense e dúvidas sobre a veracidade da humanidade sobre a posição de robôs.


Até chegar o ponto em que a "filha" resolve ir atrás ela mesma de respostas e começa a descobrir muitas verdades. Acho que esta foi a parte que mais me doeu no filme. Por ficar em parte dividida tanto pela humana quanto pela robô e descobrir tudo aquilo junto com a personagem foi como um soco na cara.

Mas a magistral direção e roteiro foram tão bem orquestrados que deixa o espectador cheio de dúvidas com tudo o que acontece. E mesmo depois de vários acontecimentos ainda coloca em cheque a inteligência tanto humana quanto a artificial. 

É um filme muito bem cuidado em questão de cenário e mais ainda na questão de emoções. Como uma humana iria se relacionar coma robô? É tudo isto que I Am Mother consegue colocar em cheque e ainda fazer pensar sobre como estamos à merce de diversos tipos de caos diariamente.


2 Comentários

  1. Tudo bem? Eu vi com minha filha, achei bonzinho, mas tivemos a impressão de que, quando o filme começou de verdade, ele já acaba, deixando espaço para um próximo filme, mas achei que enrolou um pouco para desenrolar. Mas a premissa é boa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu não sabia dessa lançamento da Netflix 😱 Óbvio que eu já fiquei curiosa, pq amo ficção científica e essa coisa de um cenário meio distopico. Dica super anotada!!!! Já vou falar com meu namorado pra gente assistir junto, ele também adora ficção científica.

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos