Autora: Emily Giffin
Título Original: All We Ever Wanted
Páginas: 304
Ano: 2019
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
                      Comprar

Casada com um membro da elite de Nashville, Nina Browning leva a vida com que sempre sonhou. Recentemente, o marido ganhou uma fortuna vendendo seu negócio de tecnologia e o filho adorado foi aceito em Princeton. No entanto, às vezes Nina se pergunta se ela se afastou dos valores com que foi criada em sua pequena cidade natal.
Tom Volpe é um pai separado que se divide entre vários empregos para criar a filha, Lyla. Ele finalmente começa a relaxar depois que a menina ganha uma bolsa de estudos na escola de maior prestígio de Nashville.
Filha de uma brasileira e de origem menos abastada, Lyla nem sempre se encaixa em meio a tanta riqueza e privilégios, mas, na maioria das vezes, ela é uma adolescente típica e feliz.
Então uma fotografia, tirada em um momento de embriaguez em uma festa, muda tudo. À medida que a imagem se espalha, as opiniões da comunidade se dividem.
No centro das mentiras e do escândalo, Tom, Nina e Lyla são forçados a questionar seus relacionamentos mais íntimos, percebendo que tudo que sempre quiseram talvez não fosse tão perfeito assim.
Nina é uma mulher casada com um homem milionário há muitos anos e tem um filho que está prestes a ir para Princeton. Claro que ele não veio de uma família abastada e como conheceu seu marido na faculdade, precisou se acostumar com toda esta vida pomposa, depois que algo muito grave aconteceu com ela.

Tom Volpe é um homem que teve um relacionamento com uma brasileira que morava nos Estados Unidos. Amava muito ela, porém não entendia porque ela não conseguia ficar mesmo quando nasceu a filha deles, Lyla. Claro que ela tinha sonhos de ser cantora e famosa, mas mesmo que não conseguisse que seu sonho se tornasse realidade, ele esperava ao menos que ela não fosse embora e os deixasse na mão. Agora a filha já tinha dezesseis anos e ele a tinha criado com todo amor possível.

"Só que, na realidade, as coisas estavam longe de serem perfeitas. Porque exatamente naquele mesmo instante nosso filho estava do outro lado da cidade tomando a decisão mais equivocada da sua vida." P.16

Acontece que em uma festa que Lyla vai, juntamente com sua amiga Grace, dada por um amigo de Finch, uma foto de Lyla deitada desmaiada em cima da cama e com uma parte nua do corpo com uma legenda racista acaba vazando e Finch, o garoto certinho e de família rica assume a culpa pela foto e coloca em risco todo o seu futuro.

A partir disto Nina começa uma luta para que seu filho seja punido, mesmo que saiba que não poderá mais estudar em Princeton e seu marido e filho começam a mentir e criar estratégias para fugir de tudo isto. A questão é que Nina sofreu algo muito cruel no passado e não está disposta a deixar que mais uma garota tenha a reputação destruída.

"- Ora, Mel. Você sabe que não é bem assim - falei, ficando nervosa. - Uma roupa não faz uma pessoa promíscua. É o mesmo que dizer: "Ah, ela estava de minissaia, então fez por merecer." P.135

Não é só pela família e pela educação do filho, é pela vida de Lyla e pelo aprendizado de várias pessoas. Tom, Nina e Lyla vão lutar para que tudo venha à tona, mesmo que de formas diferentes.


Eu primeiro tenho que dizer que fiquei muito feliz que a Emily Giffin tenha voltado para o cenário literário brasileiro. Ela geralmente tinha seus livros publicados pela Novo Conceito no passado, quando li os livros dela e fazia algum tempo que nada mais era publicado. Então quando a Arqueiro publicou este eu pulei de alegria. Nunca me decepcionei com as obras da autora, que sempre fala sobre os dramas da vida, dos relacionamentos.

"Então por que, eu me perguntava, eu ainda sentia tanta vergonha muito depois de Finch se livrar dela, pedir um milhão de desculpas e me levar para casa? Será que Polly tinha razão e eu realmente era uma putinha patética?" P.237

Esta história foi até um pouco que surpreendente tendo em vista que o que acontece na história e tudo que fica implícito nela jamais iria ter a mesma repercussão no Brasil, até pelas questões de leis, já que no Brasil tudo é muito mais facilitado para certos tipos de crimes.

Então vamos falar aqui sobre crime virtual. Quando a vida de uma adolescente é exposta para milhares de pessoas por um garoto de uma família extremamente rica, sendo que ela vem de uma família pobre e de uma mãe de origem não americana. Acredite, o choque foi grande ao ler certos pontos da obra, principalmente por ver que a personagem era do meu país e eu ler que a chamavam de certos nomes racistas foi péssimo.

 


E é por esta questão que acho que este livro passa uma reflexão gigante. Nos Estados Unidos este tipo de crime não é aceito e tem punições severas. Mas a constância da obra não é somente por este fato ou o que acontece e sim como as mulheres se tornam vulneráveis em todos os momentos: festas estudantis, faculdades, dormitórios de fraternidades e afins. É fato que muitas mulheres são estupradas durante o período em que passam nos dormitórios nos EUA, tanto que há algum tempo as leis ficaram cada vez mais severas por esta questão.

Mas voltando ao assunto do livro, é sobre uma mãe de família que decide que seu filho precisa aprender desde já a assumir as responsabilidades e nisso se vê em uma guerra contra seu marido e tudo o que ela acredita.

Há momentos em que a história choca e outros em que me deu vontade de bater em Lyla por aquilo em que ela acreditava ser o melhor. Mas lembro também como eu era na idade dela e talvez teria uma reação diferente.

A obra termina de uma forma maravilhosa, mesmo que não como o esperado e acredito que é assim que a nossa sociedade encara muitas coisas. O importante é nunca, jamais desistir de lutar.


E a Netflix lança mais um filme original e desta vez voltado para a ficção científica. E apesar de ter muitos poucos personagens e passar praticamente em um único cenário, o filme se mostrou muito bem aceito pela crítica.

FILME: I Am Mother

NACIONALIDADE: Austrália

DURAÇÃO: 1 hora e 54 minutos

ANO: 2019

Criada por um gentil robô a quem chama de "Mãe", uma adolescente é designada para repopular a Terra depois de desastres que quase causaram a extinção completa da humanidade. Mas quando uma mulher desconhecida chega dando notícias alarmantes, o laço afetivo criado entre humano e robô fica ameaçado.

Quando assisti ao trailer deste filme já fiquei com a data na cabeça aguardando a estreia na Netflix. Muita gente imaginou que o trailer já entregava todo o contexto do filme e eu até pensei realmente que fosse alguma coisa parecida, já que era tudo muito cheio de ação e com muita adrenalina.

Imagine que somente duas personagens humanas estão fazendo parte da parte principal do filme. Uma delas é uma criança que é gerada por um robô que é interpretado por dois personagens, um que faz os movimentos e outra que faz a voz. Em um mundo pós-apocalíptico, um robô fica responsável por repovoar a Terra em um local com diversos fetos.


Mãe, é o nome da robô e ela chama a criança que ela cria de filha. Já de início vemos como ela cria a criança, os cuidados, os ensinamentos, os estudos e todas as formas de crescimento até ela virar uma adolescente. O bom é que o filme não fica parado e essa mostra não dura muitos minutos, o que achei que poderia durar metade do filme, mas não. Acontece super rápido toda esta introdução.

Lógico que a "filha" foi criada sabendo de toda a condição atmosférica do lado de fora. Que não tem como viver lá, que tudo foi destruído e que somente naquele lugar é que consegue viver sem morrer. Há toda a infraestrutura de alimentos, saúde, educação. 


Eis que um dia bate à porta uma sobrevivente. A atriz Hilary Swank interpreta muito perfeitamente a personagem da "Mulher". Ela chega machucada ao local onde pede ajuda para a "filha" sem ser vista pela robô. É então que ela explica que não há nenhum problema do lado de fora e que a terra é habitada, não há nada tóxico lá fora e começa a colocar dúvidas na cabeça da "filha".

E é então que tudo começa a ficar cada vez mais tenso no filme. Imagine uma adolescente que sempre acreditou em um robô e se vê cheias de teorias através de uma humana igual a ela? Que diz ter outros humanos do lado de fora e que os robôs são violentos e matam todos que encontram?

Então começa o suspense total. O robô se coloca a questionar a "mulher" e vice-versa através de fatos e teorias. Um filme que traz um suspense e dúvidas sobre a veracidade da humanidade sobre a posição de robôs.


Até chegar o ponto em que a "filha" resolve ir atrás ela mesma de respostas e começa a descobrir muitas verdades. Acho que esta foi a parte que mais me doeu no filme. Por ficar em parte dividida tanto pela humana quanto pela robô e descobrir tudo aquilo junto com a personagem foi como um soco na cara.

Mas a magistral direção e roteiro foram tão bem orquestrados que deixa o espectador cheio de dúvidas com tudo o que acontece. E mesmo depois de vários acontecimentos ainda coloca em cheque a inteligência tanto humana quanto a artificial. 

É um filme muito bem cuidado em questão de cenário e mais ainda na questão de emoções. Como uma humana iria se relacionar coma robô? É tudo isto que I Am Mother consegue colocar em cheque e ainda fazer pensar sobre como estamos à merce de diversos tipos de caos diariamente.



Autora: Jenny Colgan
Título Original: The Little Shop of Happy Ever After
Páginas: 304
Ano: 2019
Gênero: Romance de Hoje
Editora: Arqueiro
                      Comprar


Nina Redmond é uma bibliotecária que passa os dias unindo alegremente livros e pessoas – ela sempre sabe as histórias ideais para cada leitor. Mas, quando a biblioteca pública em que trabalha fecha as portas, Nina não tem ideia do que fazer.Então, um anúncio de classificados chama sua atenção: uma van que ela pode transformar em uma livraria volante, para dirigir pela Escócia e, com o poder da literatura, transformar vidas em cada lugar por que passar.Usando toda a sua coragem e suas economias, Nina larga tudo e vai começar do zero em um vilarejo nas Terras Altas. Ali ela descobre um mundo de aventura, magia e romance, e o lugar aos poucos vai se tornando o seu lar.
Nina está com seus 29 anos e até então estava feliz com seu trabalho de bibliotecária. Isto na cidade de Birmingham, na Inglaterra. Mora com sua amiga Surinder e leva para casa a maior quantidade de livros que pode, o que já causou diversas brigas com sua colega de casa, já que ela argumenta que daqui a pouco a casa vai vir abaixo por causa de todo aquele peso.

O problema é que as bibliotecas estão fechando o tempo todo e agora é onde Nina trabalha que a crise chegou. Ela até pode tentar trabalhar na outra sede, que vai ser cheia de tecnologia, porém Nina sabe que não é o seu mundo e o que ela sonha para si na verdade é ter uma pequena livraria e indicar livros certo para as pessoas certas. Talvez numa pequena van ela conseguisse isto?

"Porque a vida é assim, não é mesmo? Se pensarmos em cada pormenor que pode influenciar nosso caminho de mil maneiras, umas boas e outras ruins, nunca mais faremos nada." P. 36

E é através de um anúncio de jornal que ela encontra a van certa. Claro que a van está lá em uma pequena cidade na Escócia e ela precisa ir até lá para negociar, mas só de pensar que vai ter um lugar para colocar seus livros e vender em alguns lugares já cria uma esperança enorme. Mas ao chegar na Escócia ela percebe que é um carro imenso e que talvez não consiga nem autorização para estacionar em qualquer lugar.

E quando ela retorna e percebe que realmente o seu plano de trabalhar vendendo livros em uma van em sua cidade não vai dar certo ela resolve voltar para aquele pequeno vilarejo na Escócia, já que não possui nenhuma livraria local e recomeçar a vida. E o sucesso se torna imediato.

Mas como nem tudo são flores, Nina vai ter que lidar com o senhorio que alugou a sua casa, um homem carrancudo que não gosta de ler, com uma adolescente que esconde alguns segredos e uma vila que está acostumada com uma vida pacata. Parece um sonho, mas em alguns momentos um pesadelo.


A Pequena Livraria dos Sonhos começa a fazer parte de uma nova gama de gêneros da editora Arqueiro: Romances de Hoje. Nada mais é dos que os dramas e romances que conhecemos nos dias atuais cm um estilo mais divertido e cheio de personagens cativantes.

"Ao passar pela estação de trem, no meio do burburinho da noite movimentada de sábado, Nina olhou para os trens compridos parados ali. Incapaz de se conter, começou a chorar. Será que nunca chegaria a sua vez? Todos sempre conheciam alguém, mas quando isso enfim acontecia com ela, o homem era namorado de outra pessoa, ou era mais uma ideia e um devaneio do que uma pessoa de verdade." P.207

O primeiro fator que me deixou encantada nesta obra logicamente foi a descrição de cenário, até porque eu sou a doida que ama cenários bem descritos. Imagina que em um momento você está lendo algo em uma cidade da Inglaterra e logo em seguida está em um pequeno vilarejo na Escócia. Nada mais justo do que ver todo aquele vigor dos campos lindos, da mudança de clima, das casas diferentes e das pessoas do campo. 

Neste teor logicamente a história não deixa a desejar. Tem personagens de todos os estilos e bastante característicos. Lógico que Nina é uma mulher paciente, tranquila e mais na dela, diferente de sua amiga Surinder que adora festas e diversão, então quando as duas se juntam posso dizer que é como água e vinho, mas que acaba dando certo. Em alguns momentos eu acabava ficando irritada com Surinder por ela ser tão metida na vida da Nina, mas depois percebi que era a forma da amizade das duas, algo que eu já não aceitaria.

 


Os personagens secundários dão uma vida tão mais colorida ao livro. Acho que é porque eu sonho em morar em uma cidade pequena e ter tudo o que o livro mostra, mas é aquele jeito onde todos se ajudam e se unem para tudo.

Eu achei que ficou faltando um pouco mais de romance. Talvez a intenção realmente não fosse esta, afinal. Mostra muita coisa diferente, muitas vidas diferentes e o romance fica mais de lado. Senti um pouco esta falta, mas o restante do livro mostra o quanto a amizade e a força de vontade nos faz seguir em frente!

Ah, e não posso esquecer de falar sobre a edição. A capa brasileira ficou muito fofa, que também é uma cópia do estilo gringo, mas é totalmente coerente com a história, além de que as páginas tem uma letra média e as páginas tem aquele amarelinho maravilhoso que facilita muito a leitura.

Será que é errado também querer uma van agora?




Eu sei que a data do dia dos namorados está quase chegando e que você até já deve ter escolhido alguma coisa para presente. Mas ainda pode ter uma parcela do coração que pensa em dar mais alguma coisa e quem sabe um livro?

Pois então eu trago aqui algumas dicas legais de livros, alguns ainda estão em pré-venda e outros já podem ser enviados para a sua casa ou para a do boy.


MEDO IMORTAL
Diversos Autores
Editora Darkside
Lançamento: 18/06

O ano é 1897. Estamos nas vésperas da celebração dos oitenta anos de publicação da primeiríssima edição de Frankenstein, ou o Prometeu Moderno, escrito por Mary Shelley. Naquele mesmo ano, outro inglês, H.G. Wells, lança em forma de livro O Homem Invisível e publica os capítulos iniciais de A Guerra dos Mundos em revistas da Inglaterra e dos EUA. Já o irlandês chamado Bram Stoker coloca nas livrarias o livro que viria a mudar sua vida e a história da literatura: Drácula. Do outro lado do oceano, nos Estados Unidos, um garoto de apenas sete anos acabou de escrever seu primeiro conto, que levou o nome de “The Noble Eavesdropper”. H.P. Lovecraft é este escritor americano precoce. Mais ao sul do continente americano, no Brasil, naquele marcante ano de 1897, quarenta intelectuais se reúnem para fundar a Academia Brasileira de Letras (abl), inspirados em um modelo de agremiação de escritores já existente na França desde 1635. Cada um daqueles fundadores escolhe um patrono para nomear a cadeira que vai ocupar, e eles passam a chamar a si mesmos de imortais. A antologia Medo Imortal, mais nova integrante da coleção Medo Clássico da Darkside® Books, vem a público para mostrar que existe mais em comum entre os fatos dos dois parágrafos anteriores do que pode aparentar à primeira vista. Liderados por nosso maior escritor, Machado de Assis, aqueles intelectuais brasileiros são pessoas de seu tempo, conectados com o que estava sendo produzido nos grandes centros culturais do mundo em sua época. Nas páginas de Medo Imortal estão reunidos, além de poesias, 32 exemplares da prosa de escritores diretamente ligados à nossa principal instituição dedicada à literatura. São contos que evocam o sobrenatural, apresentam monstros, descrevem atos de psicopatas, dão o testemunho de todo tipo imaginável de atrocidades concebidas pela mente humana. Produzidos entre a segunda metade do século xix e a primeira metade do século xx, tais textos representam o que de melhor se escreveu nos primeiros cem anos de produção do terror em nosso país. Organizado pelo jornalista Romeu Martins, a lista de autores para o livro contou com a colaboração de estudos realizados pelos maiores pesquisadores do terror e do insólito das principais universidades brasileiras. São ao todo treze autores, escolhidos entre os patronos, os fundadores e os primeiros eleitos para ocupar os salões da Academia Brasileira de Letras. Entre eles, a Darkside® Books aproveitou a oportunidade de reparar uma injustiça histórica cometida naquele ano de 1897 e traz também contos da escritora Júlia Lopes de Almeida, importante nome de nossa literatura que participou das reuniões para a fundação da Academia mas que na última hora acabou sendo barrada por ser mulher em uma instituição que em seus primeiros oitenta anos só aceitou a presença de homens.

UMA MULHER NO ESCURO
Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras

Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar. Seu refúgio é ficar em casa e observar a vida alheia pelas janelas do apartamento onde mora, na Lapa, Rio de Janeiro.
Mas o passado bate à sua porta, e ela não sabe mais em quem pode confiar. Obrigada a enfrentar sua própria tragédia, Victoria embarca em uma jornada de amadurecimento e descoberta que a levará a zonas obscuras, mas também revelará as possibilidades do amor. Um psiquiatra, um amigo feito pela internet e um possível namorado ― qual dos três homens está usando tudo o que sabe para aterrorizar a vida de Vic? E o que afinal ele quer com ela? 

ED & LORRAINE WARREN - VIDAS ETERNAS
Lançamento: 18/06
Editora: Darkside


O mais famoso casal de investigadores paranormais está de volta para deixar os leitores da DarkSide® Books de cabelo em pé. Você com certeza já ouviu falar deles, mesmo que morra de medo do assunto: Ed e Lorraine Warren, a dupla conhecida em todos os planos, terrenos e astrais, por sua eficiência em despachar espíritos malignos para o lugar da onde vieram. Juntos, eles agiram com todo o seu conhecimento no cabuloso caso dos Smurl, uma família atormentada durante três anos por forças demoníacas. Pelo fato de lidar de modo fatual com provas do mundo demoníaco, o livro Ed & Lorraine Warren: Vidas Eternas, mais recente lançamento da coleção sobrenatural da DarkSide® Books, causará pesadelos em alguns e, em outros, súbitos atos de religiosidade para garantir que nenhum espírito se engrace para o seu lado. Ed & Lorraine Warren: Vidas Eternas traz os os detalhes do caso de assombração da família Smurl, da Pensilvânia. Escrito pelo jornalista Robert Curran, o livro foi compilado a partir de testemunhos dos oito residentes do número 328-330 da Chase Street, assim como de outras 28 pessoas que vivenciaram fenômenos sobrenaturais ligados à família Smurl. Ed e Lorraine Warren estiveram envolvidos com o caso desde o início de 1986 e, entre muitas outras coisas, organizaram os exorcismos que foram executados na casa. A vasta experiência da dupla ajudou a família Smurl a lidar com o pesadelo pelo qual estavam passando ― e os detalhes vão abrir os olhos dos leitores a respeito de como o mal age. Manifestações tenebrosas, vultos perturbadores, marcas inexplicáveis e torturas excruciantes faziam parte do dia a dia da família, dentro e fora de casa. Por que um demônio escolheu provocá-los? Embora não haja resposta fácil para isso, e muitos rituais tenham sido performados para livrar a todos do mal, amém, aparentemente o demônio sempre retorna. Sempre. Conhecidos pela sua efetividade em grandes casos de assombração, Ed e Lorraine Warren atuaram em casos icônicos de assombração ao longo de décadas em serviço. Os casos mais famosos, como os de Amityville, Rhode Island e de Enfield, para citar alguns, foram adaptados para o cinema e tiveram seus detalhes compartilhados em livros ― muitos deles com edições especiais lançadas pela DarkSide® Books, a casa perfeita para assuntos do Outro Lado. Ed & Lorraine Warren: Demonologias é considerada a biografia definitiva do casal e Ed & Lorraine Warren: Lugar Sombrio, um relato meticuloso sobre o exorcismo de Connecticut. O terceiro livro, Ed & Lorraine Warren: Vidas Eternas, chega em junho de 2019 para concluir a coleção de Arquivos Sobrenaturais que homenageia a dupla. Juntos do Outro Lado Ed e Lorraine Warren desvendaram mais de 10 mil casos paranormais com poltergeists, possessões demoníacas e casas mal-assombradas que resultaram em relatórios únicos sobre o que pode haver, de fato, do Outro Lado. Responsável por manter o legado dos Warren desde a morte de Ed em 2006, Lorraine faleceu em abril de 2019, aos 92 anos de idade, em Connecticut, e juntou-se ao marido no plano astral para viverem suas vidas eternas lado a lado. O otimismo e fé inabaláveis dos dois foram fundamentais para enfrentar as forças do mal do lado de cá. Agora eles descansam juntos para sempre.

TEMPO ESTRANHO
Joe Hill
Editora: Harper Collins

O terror pode estar presente em qualquer lugar. Ele pode se esconder em uma foto que guarda uma lembrança querida, em uma única pessoa em um shopping lotado, nas nuvens e seus diversos e estranhos formatos e até mesmo em algo tão pequeno e insignificante quanto uma agulha. Nesta coletânea de histórias inéditas, Joe Hill, autor best-seller do The New York Times, nos faz perceber que a presença do horror não está apenas ligada a clichês como lugares escuros, casas velhas e monstros além da imaginação, mas que, mesmo em um belo dia de sol em meio a uma multidão, você nunca está verdadeiramente a salvo. Em “Instantâneo”, um adolescente tenta ajudar uma vizinha idosa que luta contra o Alzheimer, mas logo percebe que a perda de memória dela ocorre por causa de um estranho homem munido de uma estranha máquina fotográfica. “Carregado” apresenta um segurança de shopping que, usando o próprio revólver, impede um tiroteio em massa e se torna herói do movimento a favor do porte de armas. No entanto, conforme a verdade sobre o tiroteio é revelada, a pressão talvez seja maior do que ele pode aguentar. Em “Nas alturas”, um rapaz faz seu primeiro voo de paraquedas para impressionar o amor de sua vida e acaba caindo em uma nuvem sólida que tem a capacidade de realizar seus desejos. E, para finalizar, “Chuva” acompanha a jornada de uma jovem que presencia uma tempestade de afiadas agulhas de cristal que matam e destroem tudo o que encontram abaixo. Em cada uma dessas histórias um mundo de terror espetacular nos é apresentado, mas sem deixar de ter seus momentos ternos, edificantes e, acima de tudo, realistas.

GOOD OMENS: BELAS MALDIÇÕES
Neil Gaiman e Terry Pratchett
Editora: Bertrand

O mundo vai acabar em um sábado. No próximo sábado, para falar a verdade. Pouco antes da hora do jantar. Não há nada que possa ser feito para frustrar o Grande Plano divino. Mas quando uma freira satanista um tanto distraída estraga um esquema de troca de bebês e o pequeno Anticristo acaba sendo entregue ao casal errado, tem início uma série de erros cômicos que podem ameaçar o próprio Armagedom. Aziraphale é um anjo que atua na Inglaterra e dono de um sebo nas horas vagas. Crowley é um demônio e ex-serpente responsável pela mesma região. Ambos veem nessa confusão uma grande oportunidade, porque os dois, que vivem entre os humanos desde o Princípio, apegaram-se demais ao mundo para desejar a grande batalha entre o Céu e o Inferno. Em sua jornada para evitar o Armagedom e encontrar o Anticristo, agora um menino de 11 anos vivendo tranquilamente em uma cidadezinha inglesa, eles acabarão trombando com uma jovem ocultista, dona do único livro que prevê com precisão os acontecimentos do fim do mundo, com caçadores de bruxas ainda na ativa e, quem sabe, até com os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Mas eles terão de ser rápidos. Não é só o tempo que está acabando... Esta edição contém a tradução revisada a partir do original revisto, aprovado por Neil Gaiman e pelo Pratchett Estate, que corrige vários erros de digitação e imprecisões presentes em edições anteriores.

Existem muitas mais opções para o boy se você souber qual o gosto literário dele, claro. Mas com certeza só pela questão de presentear você já vai ter feito algo muito legal!

E claro que também pode aproveitar a leitura do livro, hein!



Autora: Lisa Kleypas
Título Original: Hello Stranger - Ravenels #4
Páginas: 288
Ano: 2019
Gênero: Romance de Época
Editora: Arqueiro
                      Comprar


Uma mulher que desafia seu tempo
Dr. Garret Gibson, a única médica mulher na Inglaterra, é tão ousada e independente quanto qualquer homem – por que não lidar com os próprios desejos como se fosse um? No entanto, ela nunca ficou tentada a se envolver com alguém, até agora. Ethan Ransom, um ex-detetive da Scotland Yard, é tão galante quanto secreto, e sua lealdade é um verdadeiro mistério. Em uma noite emocionante, eles cedem a uma poderosa atração mútua antes de se tornarem estranhos novamente.
Um homem que quebra todas as regras
Ethan tem pouco interesse pela alta sociedade, mas é cativado pela preciosa e bela Garrett. Apesar da promessa de resistir um ao outro depois daquela noite sublime, ela logo será atraída para sua tarefa mais perigosa. Quando a missão dá errado, Garret usa toda a sua habilidade e coragem para se salvar. À medida que enfrentam a ameaça de uma traição do governo, Ethan fica disposto a assumir qualquer risco pelo amor da mulher mais extraordinária que já conheceu.
A doutora Garret Gibson se formou em medicina em uma época em que sequer aceitavam que as mulheres fossem médicas. Depois de ela se formar, a faculdade proibiu que outras mulheres estudassem a profissão e então ela era a única médica mulher no Reino Unido. Não que isso facilitasse as coisas, mesmo ela sendo uma profissional excelente e bem à frente de vários outros médicos. Muita gente não aceitava ser tratado por ela e achava isso uma grande calúnia.

Mas Rhys Winterbourne a havia contratado para cuidar dos seus mais de mil funcionários e assim ela levava sua vida, juntamente com seu consultório, onde também morava com seu pai doente. E não parava por aí. Garret já havia mostrado seus dons diversas vezes não somente na medicina como também para defender pessoas e a si mesma, já que praticava esgrima e tinha que saber se cuidar dos maus elementos de Londres.

"Ethan Ransom jamais se encaixaria no padrão de vida que ela levava naquele momento, nem em qualquer formato possível no futuro. Ele era uma anomalia, estonteante e temporária. Uma estrela cadente, ardendo pelo atrito da própria velocidade." P. 74

Ethan é um homem que anda nas sombras, seguindo pistas e ordens de seu chefe. É um ex-detetive, mas segue como um profissional para o governo mesmo assim e de uma forma e outra acaba prestando diversos serviços. E foi de uma forma a estar cuidando de seus serviços que conheceu a adorável Garret. Não que ela precisasse de ajuda, claro. Mas no momento em que os homens a atacaram ele sabia que teria que intervir, mesmo que ela estivesse acabando com a raça deles.

E agora os dois viviam se esbarrando. Ele por saber que ela precisava praticar bem mais do que sabia, e ela por querer entender mais sobre a vida dele. E quando eles resolvem dar uma chance ao que começam a sentir um pelo outro, o destino parece não acertar e o pior acontece. Será que a doutora vai conseguir aguentar?


Um Estranho Irresistível é o quarto volume da saga Os Ravenels. Eu sou sincera em dizer que não esperava que fosse feito um livro da doutora Garret, pelo fato de que sempre são feitos livros sobre os integrantes da família e ela foi um caso à parte, mas eu torcia demais por isto e quando vi que sairia fiquei muito feliz.

Garret aparece várias vezes nos livros anteriores por ser a doutora que vai movimentar as questões sobre a mulher ter uma profissão que era vista somente para homens da época. Desde o segundo volume já tinha me aperfeiçoado a ela, por ser bem futurista e com uma visão mais caridosa e justa.

"Garret parecia enxergar dentro dele, compreendê-lo perfeitamente. Ethan ficou ali parado, impotente, mais imobilizado por aqueles olhos verdes do que se estivesse preso à âncora de um navio. E sentiu o peito se encher de tristeza por todos os momentos que nunca viveria ao lado dela." P.146

Ethan também aparece nos livros anteriores mas bem pouco. E neste livro eles vão mostrar bastante cada personalidade. Lógico que Garret é uma mulher bastante racional, por uma questão de profissão. Mas o jeito dela de estar sempre pronta para ajudar a todo o momento e ela sempre ir trabalhar com a população pobre de Londres é um marco muito alto.

Ethan não deixa para trás. Apesar de ter aquele físico de livros de romance de época, ser forte, alto e musculoso, ele também tem uma alma boa e quer sempre o bem das pessoas. E quando os dois se reencontram não é aquela explosão de sempre, mas fica aquele carinho doce e que dá vontade de abraçar o livro.

 


Tem muitas cenas de ação em vários momentos que Ethan está em suas aventuras e trabalhos e isto me agradou bastante, já que saiu um pouco do estilo de festas e momentos que costumo ler nos livros de época. Vai ter um pouco do personagem dos Ravenels que vão aparecer só para deixar um pouco mais de gostinho, mas o livro é uma amostra de quão importante é um personagem que de início era secundário e conseguiu se transformar em protagonista.

Já fico esperando o próximo livro e o sexto, que pelo que li serão seis volumes, faltando uma das irmãs (Cassandra), que será o sexto volume. e um irmão (West) que é o quinto volume. Mas até o momento todos os livros foram bem satisfatórios!