O novo documentário da Netflix traz um dos maiores serial killers da década de setenta. Ted Bundy mostra neste documentário através de uma entrevista o que sua mente e seus instintos causavam para a sociedade.

DOCUMENTÁRIO: Conversando com um Serial Killer: Ted Bundy
TEMPORADA: 1
EPISÓDIOS: 4
DURAÇÃO: média 55 minutos cada
ANO: 2019


Sinopse: Entrevistas atuais, material de arquivo e gravações de áudio feitas no corredor da morte traçam o perfil do notório serial killer Ted Bundy.

Desde que saiu uma reportagem da Netflix informando que era melhor que os espectadores assistissem a este documentário com alguém e que não indicava ninguém a assistir sozinho, eu já fiquei curiosa. Que boa ideia de marketing. Na verdade eu gosto da ideia de assistir sempre documentários ou ler livros sobre o lado psicológico do ser humano para tentar entender um pouco mais sobre o que leva muitos a cometer tantas atrocidades.

Como conhecia muito pouco sobre Ted Bundy fui aberta a encontrar um suposto serial killer com uma mente perturbada e controversa. A questão é que a matéria da Netflix estava certa. Ted Bundy não é um serial killer qualquer e o documentário é completamente perturbador.


Na década de sessenta não havia nem um tipo de tecnologia como temos hoje. Logicamente também não havia os chamados serial killers como temos o nome hoje definido. Theodore Robert Bundy, neste documentário vai aparecer sendo entrevistado já no corredor da morte e a partir daí vai contar parte de sua vida e algumas partes que se encaixam em muitas notícias da época.

A questão é que ele sempre foi um desafio para todos. Ted Bundy sempre foi um garoto exemplar, que dizia ter uma família perfeita, muitos amigos. Ingressou na faculdade e se formou em psicologia. Porém a partir daí começaram a surgir mulheres desaparecidas sem nenhum vestígio de onde os corpos foram parar. 

Ted continuava com sua vida normal, namorava, participava de eventos políticos, eventos religiosos. Começou a estudar direito. Porém algumas coisas ele deixou no caminho, mas nada era o suficiente para que fosse preso.


Não posso falar muito para não contar detalhes. Mas o documentário traz todos os passos que foram seguidos por Ted Bundy. E então temos um dos principais questionamentos: como era Ted. Posso falar que somente pelo documentário que mostra diversos vídeos de Ted, ele é altamente sedutor. Ele possui características de total sedução não comente com o olhar, mas ele leva com o jeito e a forma de falar e faz com que muitas pessoas acreditem nele.

Tanto que na época muitas mulheres jamais acreditaram que ele fosse culpado de algo. Ted mantinha um relacionamento duradouro e tinha uma enteada. Nos vídeos é possível ver como ele sequer mostra um extinto de crueldade. Porém as mulheres morreram de forma bruta e cruel. E todas caiam na conversa dele. Um assassino que espancava, matava e depois estuprava.


O mais inacreditável é que Ted foi preso e fugiu duas vezes. Matou inúmeras mulheres e foi condenado por somente três casos, entre estes o de uma menina. 

O documentário vale para mostrar como um psicopata consegue cativar tantas pessoas, enganar tanta gente e mesmo depois de condenado consegue continuar enganando. Os vídeos são reais, as provas me deixaram o tempo toda confusa sobre se ele era ou não o culpado. Eu mesma cheguei a duvidar de tudo o tempo todo. 



O episódio final é totalmente esclarecedor. Não posso negar que fiquei com muito medo de tudo o que vi. Como alguém consegue conviver com tudo isto e depois continuar a viver. Mas logicamente todos os envolvidos na época e até mesmo uma sobrevivente contam como foi difícil manter a vida depois de tanta tragédia.

Para quem gosta de conhecer a mente humana este documentário é excelente. Ted Bundy fez policiais e autoridades dos Estados Unidos de bobos durante anos. E o que Ted Bundy queria ele conseguiu: transformar toda a sua vida em uma grande história a ser contada por gerações sem fim.


23 Comentários

  1. Olá, Greice.

    Assim como você ficou, eu também estou muito interessada em conhecer a história de Ted. Só fiquei sabendo a respeito dele por conta desse documentário.
    Incrível como uma pessoa tão cruel consegue cativar as pessoas, é aterrorizante!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, a gente nem imagina as coisas que podem acontecer né?

      Excluir
  2. Olá Greice,

    Estou super curioso em relação a essa série, vi muitos comentários mas essa é a primeira resenha que leio sobre ela, agora minha curiosidade aumentou, é incrível como o mau pode se manifestar nas pessoas....ótima resenha...bjs.



    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Greice lindona estou mega curiosa com este documentário, li alguns comentários sobre ele. Pelo visto preciso assistir com alguém mesmo. Fico intrigada com mentes tão cruéis desta maneira. A ideia de marketing foi espetacular da Netflix. BEIJOS

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei chocada que depois cheguei a sonhar! Claro que eu sou um pouco impactada, mas foi horrível!

      Excluir
  4. oi, Greice. eu adoro SK e talz, tudo que envolve essa questão eu to lendo, assistindo e afins..quando vi esse lançamento na netflix fiquei bem curiosa. tava esperando concluir Sex Education pra entrar nela, afinal sao apenas 4 episodios...
    acho que verei esse fim de semana...
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é bem rapidinho mesmo, e como é bem cheio de detalhes passa bem rápido.

      Excluir
  5. Olá!
    Eu achei bem intrigante por suas palavras o seriado, vi que estava disponível no catálogo e estou com vontade de conhecer essa série, gosto muito desse tipo de documentário, saber o que passa na cabeça dessas pessoas, o que instiga a irem adiante, enfim, assim que terminar American Crime Story pretendo iniciá-la. Acho que vou gostar!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu assisti American Crime Story, mas o primeiro somente. Este é outro em que fico pensando como é louco às vezes acontecer e ele não acharem o culpado ou não conseguirem provas!

      Excluir
  6. Oi, Greice.
    Eu estou doida para ver esse documentário. Estudei psicologia jurídica na faculdade e um dos casos que a gente analisou bastante foi o do Ted Bundy. Li muitos textos sobre ele, mas tenho certeza que ver o documentário deve ser perturbador!
    Vou anotar aqui para ver logo!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  7. Antigamente eu costumava assistir muitos documentários sobre crimes, mas depois ficava tão mal com tudo aquilo que acabei por parar de ver. Para o bem do meu emocional.

    Todavia, fiquei muito chocada e curiosa sobre este assassino desgraçado e marquei o documentário para assistir no futuro. Sempre me pergunto como um ser humano pode ser cruel, como pode ser capaz de matar sem piedade, de fazer disso quase um modo de vida. É surreal, é assustador.

    Ver as fotos que você colocou das vítimas provoca um gosto muito amargo na boca. :( É inaceitável que alguém tire a vida de outras pessoas assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te entendo sobre se sentir mal. Eu assisto para entender como eles pensam e tentar evitar ao máximo que outras pessoas passem por isso, inclusive eu.

      Excluir
  8. Eu não assisti o documentário, mas confesso que estou bem curiosa em função do burburinho que se fez no lançamento. Também ansiosa pra ver o filme que estreia ,mês que vem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Greice, que post bacana! Eu assisti o documentário, amo essas coisas e fiquei bastante impressionada com o cuidado por parte dos produtores, o que mais me chocou foram as fugas dele, parece até piada, né? Ele realmente tinha um ar de superioridade e era bastante sedutor, isso só deu espaço pra cometer mais crimes.

    ResponderExcluir
  10. Eu normalmente não curto documentários, mas esse me interessou bastante. Gosto dessa coisa de serial killers e tentar entender a mente deles. Achei bacana o marketing que a netflix fez, deve ser algo bem perturbador mesmo
    beijo

    ResponderExcluir
  11. Que programa incrível! Adoro documentários desse estilo, confesso que fiquei muito curioso e irei procurar assistir essa indicação que passou. Formidável!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi Greice, tudo bem?
    Eu amei o seu post, muito bom mesmo.
    Não costumo assistir documentários, mas como gosto desse tipo de assunto, fiquei super curiosa para assistir e descobrir mais sobre a mente do Ted. Irei marcar aqui para assistir o documentário em breve.
    Obrigado pela indicação :)

    Beijos!!
    ABOBRINHA COM CHOCOLATE

    ResponderExcluir
  13. Adoro ver documemtários do tipo. Adoro ver tudo que envolva a mente humana, e ler também. Sei que esse tipo de documentário é perturbador, mas gosto deles pra tentar compreender o que levou uma determinada pessoa a um determinado ato. Nem precisa dizer que depois vou procurar para assistir,né!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse documentário, mas confesso que não fiquei inclinada a assistir. Nunca procurei livros ou filmes que envolvessem psicopatas, pelo contrário, sempre evitei. Além disso, não curto muito documentários, então, acho que esse não é para mim mesmo.
    No entanto, fico feliz que você tenha gostado. Acredito que, para quem gosta de documentários e tem interesse no assunto, seja uma boa opção.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oi tudo bem?
    eu já tinha ouvido falar do caso e dos desdobramentos dele. Entretanto, não conhecia o documentário, achei bem interessante e realmente parece pertubador, por isso ainda n decidi se assisto ou não rs.
    bjos

    ResponderExcluir
  16. Oi Greice,
    Sempre gosto das tuas dicas. Geralmente anoto um livro por gostar de sua opinião e no final, acabo amando a leitura.
    Já tinha visto pela Netflix esse documentário, mas não procurei saber mais. Vendo sua opinião, já está na minha lista para esse fim de semana, mas provavelmente verei sozinha 😓
    Bjim!

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos