E eis que mais um filme que estava na minha lista de desejados para assistir chegou na Netflix. Este filme já meio que atrasado fez meu final de semana ficar um pouco mais agitado e vou falar um pouco dele.

FILME: O Homem nas Trevas 


NOME ORIGINAL: Don't Breath (Não Respire)

NACIONALIDADE: Estados Unidos

DURAÇÃO: 1 hora e 28 minutos

ANO: 2016

GÊNERO: Terror / Suspense


Três adolescentes sempre escaparam de seus roubos, todos perfeitamente planejados. No entanto, quando realizam seu último crime, assaltando a casa de um senhor cego, o jogo muda. Encarcerados no local, eles precisam lutar por suas vidas contra um psicopata cheio de segredos e terrivelmente habilidoso.
Já vou começar dizendo que achei imensamente errado o nome deste filme em português. O Homem nas Trevas deu a entender que é um filme de terror que para mim não tem nada de terror a não ser um lado psicológico totalmente afetado e sim mais voltado para o lado de suspense mesmo. O real nome dado como Não Respire é sim o nome perfeito para ele. Mas por alguma questão de marketing decidiram que este nome seria mais vendável.


A ideia principal do filme é onde três jovens costumam praticar roubos em diversas casas de Detroit com a intenção principal de sair da cidade, sendo que geralmente o roubo que eles comentem é sempre pequeno para evitar serem presos caso sejam pegos pela polícia.

Eis que então surge a história de que um senhor, que é a casa onde eles decidem invadir, recebeu uma indenização gigantesca de uma família milionária porque a filha deles atropelou a filha deste senhor, vindo ela a falecer. Então eles resolvem que precisam roubar este dinheiro. O detalhe é que o cara é um ex-soldado e é cego.


Já dá para imaginar que as coisas não ficam fáceis para estes três. E é aí que entra todo o lado psicológico da trama. Eles precisam muito do dinheiro e já é totalmente difícil entrar na casa. O tempo todo a câmera mostra detalhes ocasionais e objetos que para quem assiste bastante este tipo de filme sabe que vai ser algo a ser utilizado depois.

A agonia começa quando, apesar de ser cego, este senhor não tem absolutamente nada de inocente. E quando se acha que o roubo seria fácil quem acaba virando refém são os próprios jovens presos dentro de uma casa tão cheia de armadilhas e mistérios que eu já começava a chorar no mesmo instante se estivesse lá dentro.


O mais legal é que a cada momento eu pensava em algo diferente para a fuga e a todo o momento o roteiro derruba todas as teorias. E a adrenalina vai subindo e ficando cada vez mais aterrorizante conseguir pensar em alguma saída prática, tendo em vista que aquele senhor não tem absolutamente nada de bonzinho.

E quando se pensa que o filme é somente aquele tipo de correria surge um mistério revelado tão grande que choca ainda mais o espectador. E aí parece que muitas mais coisas começam a fazer sentido. Eu só ficava o tempo todo dizendo: "Nossa, jamais pensaria nisso, jamais pensaria nisso!" e quando falo isto é porque já vi milhares de filmes e seriados e mesmo assim seria uma presa totalmente fácil.


É um filme cheio de adrenalina que faz a pequena duração do filme uma eterna agonia para os fãs de um bom suspense. Gostei dos atores que foram escalados apesar de só conhecer um deles pela atuação em outros filmes e no seriado Os 13 Porquês. Mas fora isso eles possuem um ótimo cenário e um bom roteiro.

É aquilo que eu sempre digo: quando quiser fazer algo bem feito, primeiro conheça quem será o seu rival. Este filme é uma ótima pedida para ser visto de noite, mesmo não sendo terror. Fica a dica!




Autora: Lucy Diamond
Título Original: The House Of New Beginnings
Páginas: 320
Ano: 2019
Gênero: Romance 
Editora: Arqueiro
                                  Comprar

Em uma casa elegante próxima à orla, três moradoras têm mais em comum do que imaginam...
Uma terrível descoberta leva Rosa a largar uma carreira de sucesso em Londres e, num impulso, recomeçar a vida como sous-chef em Brighton. O trabalho é árduo e estressante, mas a distrai. Bem, pelo menos até ela conhecer a adolescente emburrada que mora no apartamento ao lado, que a faz questionar suas escolhas.
Georgie se muda para o Sul com o namorado, Simon, atrás de uma incrível oportunidade... para a carreira dele. Mas ela está determinada a ser bem-sucedida como jornalista e faz de tudo para trabalhar para uma revista local. A princípio, a cidade parece recebê-la de braços abertos, mas não vai demorar muito até ela se meter em várias enrascadas.
Após uma grande tragédia, Charlotte passa as noites isolada em seu apartamento. Porém, Margot, uma senhorinha estilosa que mora no último andar, tem outros planos para ela. Querendo ou não, Charlotte vai precisar encarar o mundo real... e todas as suas possibilidades.
Quando as três se conhecem, a esperança renasce, a amizade floresce e um novo capítulo se inicia na vida dessas mulheres.

Brighton é uma cidade que fica no sul da Inglaterra e onde há mais calor e onde muitas pessoas vão para turismo. É lá que fica o prédio número 11, bem próximo da orla e onde cinco apartamentos são cuidados pela dona que não é uma mulher muito maleável. Mas foi lá que Rosa, uma mulher que tinha um emprego maravilhoso e que ganhava maravilhas decidiu morar depois de descobrir que seu namorado de oito meses não era quem dizia ser. Agora Rosa fazia o que realmente queria da vida: trabalhar em um restaurante.

Georgie trabalhava como bibliotecária até seu namorado receber uma proposta irrecusável em Brighton. Eles namoram há tanto tempo que ficar longe dele durante seis meses parece que vai ser o fim de tudo. E eis que ela resolve seguir com ele para lá. Mas quando chega percebe que o lugar que ele escolheu não é o que ela esperava, e ficar sozinha todos os dias sem nada para fazer é mais deprimente ainda. O que ela precisa é achar algum trabalho e conhecer os vizinhos.

"- Ela parecia tão... doente. - A voz de Bea era quase um sussurro. - Não é? Muito doente, como se fosse morrer. - Então girou várias vezes um anel em volta do dedo, o olhar assustado. - Não sei o que eu faria se ela morresse." P. 75

Charlotte é a mulher que tenta se esconder do mundo. O mundo foi cruel com ela. Levou o que ela tinha de mais valioso. Agora ela passa as maiores horas trabalhando e quando volta para casa precisa preencher o vazio limpando tudo para não passar o restante das horas chorando. Até que um projeto em seu trabalho faz com que ela precise conhecer a sua vizinha Margot, uma senhora  que está doente, mas que conhece muito bem como aproveitar a vida.

E é entre doenças, problemas em relacionamentos e descobertas sobre o que realmente se deseja da vida que as mulheres desta história vão se unir e se conhecer e então cada uma vai acabar percebendo que todo mundo tem seus problemas e que tudo pode ser resolvido aos poucos, com a amizade e a boa vontade.


A Casa dos Novos Começos é um dos livros que a Arqueiro relaciona como o gênero Romance de Hoje, que é a nova categoria que eles estão publicando. O nome do livro não poderia ser mais idêntico ao que a história toda vai tratar e a capa escolhida também é bastante coerente.

De início vamos ter um pouquinho de cada personagem sendo apresentada, como a vida no antes e no depois influenciou para que cada uma acabasse indo morar naquele lugar, porém não entrega nada tão rápido, vai deixando aos poucos a vida das protagonistas ao ponto de que cada pedacinho vá sendo encaixado de forma linear. 

"E então, por mais incrível que pareça, deixou escapar um rosnado baixo do fundo da garganta, que provavelmente era para soar sexy, mas só fez Georgie se lembrar do som sufocado emitido pelo gato da Sra. Huggins, em Stonifield, sempre que vomitava uma bola de pelo no jardim." P. 211

O legal é que mesmo que tenha muita drama em cada vida e posso afirmar que sim, tem coisas muito dolorosas na vida de algumas das personagens, tudo é tratado de uma forma séria e na maneira ideal. As personagens vão de idade do começo dos vinte anos até os oitenta, o que já mostra assim como tem fases diferentes da vida sendo mostradas.

O cenário é tratado de uma forma que eu amo: bem descrito, com energia e com detalhes que fazem parecer que estou lá naquele lugar. Adoro isso em uma narrativa. Houve cenas em que ficava pensando como certa personagem podia estar aceitando aquilo, mas sempre paro e reflito de como é estar lendo e de como seria eu no lugar e então tudo acaba se encaixando ao longo da trama.

 


É um livro bem gostoso para ler e pensar em como amizades são importantes. Não vai ser cheia de cenas divertidas e pessoas rindo sem parar, pois é um livro onde há mais drama mesmo, porém é tão apaixonante a forma como há o envolvimento que é como estar conversando com uma melhor amiga.

Este livro só mostra como a vida é difícil e real. Todos tem uma história para contar e quanto mais abrirmos o coração para pessoas importantes, mais conseguimos passar pelos momentos difíceis. Espero que a editora pense em publicar mais livros da autora, já que tem mais livros publicados lá na gringa.


Julho já chegou e o frio aqui na minha cidade já está fazendo negativo! Pois é, morar no sul do país é ter que aguentar este tipo de temperatura e ter um pouco mais de dificuldades para ler! Sim, não pense que é tudo lindo e quentinho como nas fotos. A geleira fica tensa, mas pelo menos tem lançamentos para sonhar!

Neste mês a Companhia das Letras vem com alguns lançamentos, considerando seus vários selos:

Volume 2 de Graça e Fúria
Tracy Banghart
Editora Seguinte
Lançamento: 17/07/2019


As irmãs Serina e Nomi Tessaro nunca imaginaram que acabariam em lugares tão distintos: Serina em uma ilha-prisão, Monte Ruína; Nomi no palácio de Bellaqua, como uma graça, à disposição do príncipe herdeiro do reino. Depois de sofrer uma grande traição, Nomi também é mandada para a ilha e, ao chegar lá, para sua surpresa, encontra Serina à frente de uma rebelião das prisioneiras contra os guardas.
Agora as irmãs têm um objetivo em comum: mudar o funcionamento de toda a sociedade. Além disso, elas sabem que Renzo, gêmeo de Nomi, está em perigo. Relutantes, elas se separam mais uma vez, e Nomi retorna à capital, enquanto Serina permanece em Monte Ruína para garantir que todas as mulheres encontrem um lugar seguro para viver. Só que nada sai como o planejado — e as duas vão ter de enfrentar os seus maiores medos para mudar o país de uma vez por todas.

Clara Alves
Editora Seguinte
Lançamento: 31/07/2019

Raíssa e Ayla se conheceram jogando Feéricos, um dos games mais populares do momento, e não se desgrudaram mais — pelo menos virtualmente. Ayla sente que, com Raíssa, finalmente pode ser ela mesma. Raíssa, por sua vez, encontra em Ayla uma conexão que nunca teve com ninguém. Só tem um “pequeno” problema: Raíssa joga com um avatar masculino, então Ayla não sabe que está conversando com outra menina.
Quanto mais as duas se envolvem, mais culpa Raíssa sente. Só que ela não está pronta para se assumir — muito menos para perder a garota que ama. Então só vai levando a mentira adiante… Afinal, qual é a chance de as duas se conhecerem pessoalmente, morando em cidades diferentes? Bem alta, já que foi anunciada a primeira feira de Feéricos em São Paulo, o evento perfeito para esse encontro acontecer.
Em um fim de semana repleto de cosplays, confidências e corações partidos, será que esse romance on-line conseguirá sobreviver à vida real?

S.K. Vaughn
Editora Suma de Letras
Lançamento: 25/07/2019

É Natal de 2067.
Os acordes de uma música natalina ecoam pelas ruínas de uma espaçonave que flutua pela escuridão. Lá dentro, May desperta lentamente — a única sobrevivente de um acidente desastroso na primeira viagem tripulada a Europa, a lua de Júpiter.
Sozinha no vazio do espaço, em uma nave caindo aos pedaços, May tenta desesperadamente reencontrar o caminho para a Terra. A única pessoa capaz de ajudá-la é Stephen Knox, um cientista brilhante da Nasa... e um homem que ela magoou profundamente antes de partir.
Enquanto ela batalha pela própria sobrevivência e sinais de sabotagem começam a vir à tona, a voz de Stephen parece ser a única coisa capaz de atravessar o vazio insondável do espaço e levá-la de volta para casa em segurança.

Michel Houellebecq
Editora Alfaguara
Lançamento: 24/07/2019

Florent-Claude Labrouste tem 46 anos, detesta seu nome e toma antidepressivos que liberam serotonina e causam três efeitos colaterais: náusea, falta de libido e impotência.
Seu périplo começa em Almeria (Espanha), segue por Paris e depois pela Normandia, onde os agricultores estão em luta. A França está afundando, a União Europeia está afundando, a vida de Florent-Claude está afundando. O sexo é uma catástrofe. A cultura não é mais uma tabua de salvação — nem mesmo Proust ou Thomas Mann são capazes de salvá-lo.
Nesse contexto, Florent-Claude descobre vídeos pornográficos assombrosos em que sua atual companheira aparece, e isso é a gota d’água para que ele deixe o trabalho e passe a viver em um hotel. Perambula pela cidade, visita bares, restaurantes e supermercados. Repassa suas relações amorosas, marcadas sempre pelo desastre, que transitam entre o cômico e o patético. Ao se reencontrar com um velho amigo aristocrata, que parecia ter uma vida perfeita, mas que foi abandonado pela esposa e se vê falido, Florent-Claude aprende a manejar uma arma de fogo — que vai mudar sua vida para sempre.
Em um espiral de problemas, Florent-Claude se torna um hábil analista da contemporaneidade, de seus anseios, inseguranças e problemas. Sua vida, um reflexo do desinteresse pelo mundo, será o espelho das mais cruéis agruras da vida.

Você pode olhar estes e diversos outros lançamentos direto no site da Companhia das Letras, e já adquirir pelo site mesmo!



Autora: Debbie Macomber
Título Original: A Girl's Guide  to Moving On ( New Beginnings #2 )
Páginas: 384
Ano: 2018
Gênero: Romance
Editora: Harlequin
                      Comprar

Quando Nichole descobre que seu marido, Jake, a traiu, sua vida perfeita é abalada. Enquanto se desdobra entre o filho, o novo emprego e o trabalho voluntário, Nichole conhece Rocco, que é o oposto de Jake em quase todos os aspetos. Apesar de ser grosseiro, Rocco se mostrou um pai dedicado e amigo atencioso. Mas, assim que sua relação começa a amadurecer, Jake coloca tudo em risco ― inclusive a felicidade de seu filho Owen ― ao tentar reconquistá-la. Nichole precisa, então, reunir a coragem necessária para seguir seu coração, apesar das consequências. Durante décadas, Leanne ignorou as traições de seu marido, mas é incentivada pela atitude de Nichole diante da mesma situação. Enquanto dá aulas voluntárias de inglês, Leanne conheceu Nikolai, um charmoso padeiro ucraniano, ao qual Leanne tenta resistir para evitar as dores de cabeça de um romance. Até que uma tragédia inesperada a faz questionar suas escolhas. Um romance inspirador sobre amizade, esperança e recomeços, Procura-se um novo amor, é um atestado da força que toda mulher tem para trilhar o próprio caminho, acreditar no amor e ser feliz.

Nichole tem apenas cinco anos de casada quando descobre que seu marido Jack a está traindo. Mesmo com um filho pequeno, Owen, ela sabe que não vai perdoar o marido de forma alguma. Com apenas cinco anos e o marido virou uma cópia exata do pai. Mesmo que Nichole não saiba o que vai acontecer no futuro, ela decide que o melhor é se separar, pois a dor no peito e a desconfiança são tão grandes que o perdão nunca virá.

Leanne é a sogra de Nichole e mãe de Jack. Para ela as traições do marido já contam tantas que meso que ela sofra o tempo todo já não pode mais dar tanta bola. São mais de trinta anos de casamento e o que era realmente amor virou só uma convivência. Afinal, de que adianta manter as aparências se todos sabem o que o marido apronta?

"Rocco e eu selamos o acordo com um aperto de mão. A mão enorme dele engoliu a minha, que era muito menor. Até onde eu sabia, estava ficando com a melhor parte da transação." P. 31

Então quando a nora decide que vai se separar de seu filho Leanne percebe que seu casamento também não existe mais e decide se separar do seu marido também e ir viver próximo do neto. Leanne nunca mais trabalhou e agora precisa recomeçar, mesmo com tudo o que ficou na divisão do casamento.

Tanto Leanne quanto Nichole decidem ir morar em Portland. Nichole vai trabalhar como professora substituta em uma escola e quando pode trabalha para ajudar as mulheres que saem de casamentos sofridos a se vestirem para conseguirem empregos novos. Já Leanne dá aulas de inglês para imigrantes e assim as duas depois de dois anos percebem que tomaram a melhor decisão.

"Eu estava muito velha para corar, mas senti o calor penetrar em minhas bochechas quando aceitei o elogio, embora tivesse sugerido a palavra para ele. A admiração nos olhos de Nikolai ficou em minha mente enquanto eu me apressava para encontrar Sean." P. 59

Porém o que parece ser algo fácil na verdade é bem doloroso. Jack não aceita o fim do divórcio, mesmo depois de dois sofridos anos disputando coisas no tribunal e não cede nada para Nichole. A cada momento que passa, por mais novas pessoas que entrem na vida das duas mulheres,  o passado está sempre ali cobrando coisas.

Quando enfim tanto Nichole quanto Leanne conhecem alguém que finalmente pode mudar e dar um novo sentimento para o coração delas, novas verdades vão surgir e colocar mais uma vez a vida passada em jogo.


Eu gosto dos romances da autora Debbie Macomber. Li outros que foram publicados pela Novo Conceito há alguns anos e tinha um que ela escrevia com um jeito tão doce sobre uma pousada e as pessoas que a visitavam que me cativou completamente. Então quando vi este livro precisei anotar para colocar na minha lista de leituras e relembrar como é a autora.

"Eu estava sem palavras, incapaz de pronunciar uma única sílaba, chocada com a minha resposta incontida a ela. Fiquei assustada por sentir uma emoção tão esmagadora com um único beijo." P. 117

Procura-se um Novo Amor não foi totalmente o que eu esperava. É exatamente o estilo que a autora escreve, mas acredito que eu fiquei pensando mais na comparação do antigo livro dela, em cenários, em lugares de cidades pequenas e este muda todo o contexto.

Primeiro a autora não foca em nada no cenário da trama. Tem muitas poucas descrições sobre a cidade, o lugar onde elas vão morar ou todo o lugar onde elas passam a viver e frequentar. Isso é como um quinto plano nesta trama e isso consequentemente tem um baque grande para mim, já que preciso de detalhes para traçar um cenário na mente.

Segundo que a história mesmo com suas reflexões sobre recomeçar depois de muitos anos, é um clichê bastante grande e fica girando em volta disso por muito tempo. No vai e volta de conhecer a pessoa, parece que vai acontecer e daí tudo muda, recomeça e por aí vai.

 


Não que seja um livro ruim. Para quem gosta de leituras bem românticas vai gostar muito da obra, mas eu acredito que poderia ser bem mais curto e ter falado a mesma coisa ou então ter explorado mais os personagens secundários. Basicamente é um livro sobre recomeços de relacionamentos falidos em dois estágios da vida.

Indico para quem gosta de romance mais tranquilo, sem muitas amarras. No mais, vou ficar esperando pelo próximo. Sendo que este é uma série denominada New Beginnings. Este é o segundo livro, o primeiro livro, intitulado Last One Home não foi publicado aqui no Brasil.


Para quem gostou muito da saga de A Maldição do Tigre que vai virar filme e Deuses do Egito pode se preparar, que a autora já está com novo livro e tem data de lançamento pela editora Arqueiro.

Desta vez a Colleen Houck vai partir para o lado paranormal e fazer um estilo de recontagem do famoso conto A lenda do Cavaleiro Sem Cabeça! O livro foi lançado no Halloween do ano passado na gringa e agora está por aqui pois também somos filhos de Deus e merecemos a obra!

A CHAMA DE EMBER
Colleen Houck
Lançamento: 12/08/2019
Editora Arqueiro
Páginas: 336

Bem-vindo ao Outro Mundo, onde reinam criaturas aterrorizantes...
Quinhentos anos atrás, Jack fez um pacto com um demônio e acabou condenado a uma eternidade de servidão. Como um lanterna, seu único dever é guardar um dos portais que levam ao reino imortal, garantindo que nenhuma alma se infiltre onde não é bem-vinda. Jack sempre fez um excelente trabalho... até conhecer a bela Ember O’Dare.
Há tempos, a bruxa de 17 anos vem tentando enganar Jack para atravessar o portal. Insistente, sem temer os alertas dele, Ember enfim consegue adentrar a dimensão proibida com a ajuda de um vampiro afável e misterioso, e então tem início uma perseguição frenética através de um mundo deslumbrante e perigoso.
Agora Jack precisa resgatar Ember antes que os universos terreno e sobrenatural entrem em colapso e se tornem um caos.
Para quem já está perguntando se vai ser livro único, até o momento é para ser somente este livro, mas há leitores que dizem que há bastante pano para manga na história e que poderia render mais livros. A autora se pronunciou em um evento dizendo que seria livro único, mas vamos esperar para ver.

Quem quiser maiores informações sobre a obra ou os outros livros da autora já pode entrar no site da Arqueiro e ver tudinho por lá!




Autora: Lisa Gardner
Título Original: Find Her
Páginas: 352
Ano: 2019
Gênero: Policial
Editora: Gutenberg
                      Comprar

Há Sete anos, a estudante Flora passou 472 dias vivendo um pesadelo e lutando por sua sobrevivência após ter sido sequestrada durante as férias de primavera.
Depois de milagrosamente resistir à tamanha tortura, viveu os últimos cinco anos tentando voltar a ter uma vida normal. Mas apesar de o amor de sua mãe ter permanecido o mesmo, outras coisas mudaram em sua rotina: seu irmão tem medo da pessoa que Flora se tornou, e no quarto dela há uma parede coberta com fotos de outras garotas que nunca voltaram para casa.
Quando a detetive D.D. Warren é convocada para a cena de um crime, ela descobre que Flora está envolvida com outros três suspeitos desde seu retorno à sociedade. Mas a garota desaparece novamente, e D.D. percebe que um predador sinistro está à solta. Desta vez, ele está determinado a fazer com que Flora Dane nunca mais escape.
Flora Dane era uma garota na entrada dos seus vinte anos que foi passar as férias de verão da faculdade na Flórida, afinal viver em Boston já era frio o suficiente. Porém foi naquele fatídico verão que Flora foi sequestrada por um homem e durante 472 dias ela ficou presa a ela, da pior forma possível. Um caixão. Sim, Flora ficou presa em um caixão por horas, todos os dias. Sentia dores terríveis, passava fome e só saia quando seu captor queria usar seu corpo também todos os dias.

Seu nome já não era mais Flora, agora ela se chamava Molly. Aprendeu a sofrer as dores diárias do sequestro e imaginou que nunca mais sairia daquele lugar. Quando seu sequestrador disse que teria que fazer uma viagem longa e que a levaria junto, Flora imaginou que poderia enfim escapar. Mas não foi assim que aconteceu.

"Ele não entendeu. Ou talvez não se importasse. Ele a encarou, olhar inexpressivo, rosto inexpressivo. Então seu braço avançou com toda força, e ele a socou no olho. O pescoço dela estalou para trás. Sua bochecha explodiu. Seus olhos se encheram de lágrimas." P.15

Depois de passar por todos esses dias como uma vítima, ter atitudes cruéis com outras pessoas, conhecer mais seu captor e sua família e perder totalmente sua identidade, Flora acaba sendo salva pela polícia.

Mas ser salva não significa voltar a ser quem era. Flora nunca conseguiu sentir amor novamente. Sua mãe, Rosa, ficou todo o tempo lutando para tentar achar a filha e agora depois de dois anos, ajudava outras famílias vítimas de sequestros. Stacey Summers havia desaparecido havia alguns meses e Flora também se especializou em todo tipo de defesa pessoal. Nunca mais estaria à merce de um assassino.

"Se eu pudesse voltar no tempo, se eu pudesse fazer uma coisa, eu dirigiria até a fazenda da minha mãe. Eu me sentaria na frente dela. Comeria muffins caseiros, aceitaria um chá aquecido no sol. E a deixaria me amar. Só que, como passei tanto tempo em um vazio absoluto, não sei mais como sentir." P.121

Acontece que depois de Devon Goulding, um garçom em um bar tentar sequestrá-la, ele acaba sendo assassinado por Flora Dane no local do crime. Agora Flora se torna uma suspeita, mesmo tendo se defendido o tempo todo. Porém há fatos escondidos que ninguém sabia sobre ela e quando ela realmente desaparece e percebem que ela foi realmente sequestrada, a detetive D.D. Warren volta à cena para tentar salvar Flora de viver novamente um grande pesadelo.


Eu comecei a ler as obras da Lisa Gardner quando ela publicou aqui no Brasil pela Novo Conceito. Li a primeira obra que foi Viva para Contar. A partir desta obra já me apaixonei de primeira e li outros que a editora publicou na época. Depois fiquei chateada que nada mais saiu até a Gutenberg publicar Bem Atrás de Você que obviamente eu também li. E ali estava, não tinha como não gostar das obras de Lisa Gardner.

E então vamos para A Garota Desaparecida. Eu já estava acostumada com o cenário de tensão e cenas muito bem trabalhadas pela autora, principalmente ao que se refere a cenas de crimes. Mas neste livro que retrata um sequestro, o que a autora fez em diversas cenas é altamente dolorido. É cruel e difícil em vários momentos. Ela é do tipo que não poupa o leitor passando pano.

"Faça", Jacob mandou. "Aperte a porra do gatilho. Eu nunca mais vou voltar, então vamos logo com isso. Ponha um fim nisso. Liberte nós dois do nosso sofrimento." P. 310

O livro vai se intercalando com os dias de cativeiro da personagem principal de Flora e os dias em que ela é salva e retoma a sua vida. A partir daí vários momentos vão sendo interligados para dar a sensação de que nada é entregue totalmente e ao mesmo tempo em que o presente vai acontecendo, o passado vai sendo lembrado para que tudo se conecte perfeitamente.

No final eu consegui perceber quem realmente poderia ser a pessoa por trás de tudo, mas até aí não me importei porque estou bastante acostumada com livros policiais e me parecia o único indício, porém até esta parte não tem como descobrir, já que a autora tem o grande cuidado sobre tudo o que escreve.

 


Eu não desgrudei do livro até terminar ele. E fico pensando como é difícil realmente escrever estas histórias sobre sequestros. Já não tenho muito estômago na leitura, imagina na pesquisa de tudo. 

Indico de olhos fechados os livros da autora, que às vezes utiliza a detetive D.D. Warren e em outros outros detetives. O ruim é que como não é publicado os livros em sequência por aqui, me perco na linha do tempo do que acontece na vida dos personagens e então tento pesquisar o que aconteceu com eles. Mas de resto é só aventura.


E já está em pré-venda o novo livro da autora Julia Quinn. Eu estava esperando o lançamento pois como não li a primeira saga dela que vai virar série pela Netflix, os Bridgertons, quis conhecer um pouco mais a outra parte.

E então agora sai o terceiro livro da série Os Rokesbys, denominado Um Cavalheiro A Bordo. Li o primeiro e o segundo volume e fiquei apaixonada pela escrita e agora em julho chega o terceiro.

UM CAVALHEIRO A BORDO
Os Rokesbys #3
Julia Quinn
Lançamento: 12/07/2019

Ela estava no lugar errado…Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna.Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão. Ele a encontrou na hora errada…Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico.No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem dúvida sua imaginação está lhe pregando peças. Mas, não, ela é bastante real – e sua missão para com a Coroa o deixa preso a ela.Será que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos?Quando Andrew descobre que Poppy é uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo.Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, será que ele conseguirá conquistar o coração dela?
Se você não conhece os outros dois livros anteriores, cito abaixo para que possa ler eles antes, já que se for ler este antes dos outros com certeza vai ter alguns spoilers e vai ficar sabendo do que acontece. Claro, que se não se importar com isto, pode se antecipar.

 
UM MARIDO DE FAZ DE CONTA
Os Rokesbys #2

Enquanto você dormia…Depois de perder o pai e ficar sabendo que o irmão Thomas foi ferido durante uma batalha nas colônias, Cecilia Harcourt tem duas opções igualmente terríveis: se mudar para a casa de uma tia solteira ou se casar com um primo vigarista. Então ela cruza o Atlântico, determinada a cuidar de seu irmão pelo tempo que for necessário. Só que, após uma semana sem conseguir localizá-lo, ela acaba encontrando seu melhor amigo, o lindo oficial Edward Rokesby. Ele está inconsciente, precisando desesperadamente de cuidados, e Cecilia promete salvar a vida desse soldado, mesmo que para permanecer ao lado dele precise contar uma pequena mentira...Eu disse a todos que era sua esposaQuando Edward recobra a consciência, não entende nada. A pancada na cabeça o fez esquecer tudo que aconteceu nos últimos três meses, mas ele certamente se lembraria de ter se casado. Apesar de saber que Cecilia Harcourt é irmã de Thomas, eles nunca foram apresentados. Mas, já que todo mundo a trata como esposa dele, deve ser verdade.Quem dera fosse verdade…Cecilia coloca o próprio futuro em risco ao se entregar completamente ao homem que ama. Mas quando a verdade vem à tona, Edward talvez também tenha algumas surpresas para a nova Sra. Rokesby.
UMA DAMA FORA DOS PADRÕES
Os Rokesbys #1

Às vezes você encontra o amor nos lugares mais inesperados...Esta não é uma dessas vezes.Todos esperam que Billie Bridgerton se case com um dos irmãos Rokesbys. As duas famílias são vizinhas há séculos e, quando criança, a levada Billie adorava brincar com Edward e Andrew. Qualquer um deles seria um marido perfeito... algum dia.Às vezes você se apaixona exatamente pela pessoa que acha que deveria...Ou não.Há apenas um irmão Rokesby que Billie simplesmente não suporta: George. Ele até pode ser o mais velho e herdeiro do condado, mas é arrogante e irritante. Billie tem certeza de que ele também não gosta nem um pouco dela, o que é perfeitamente conveniente.Mas às vezes o destino tem um senso de humor perverso...Porque quando Billie e George são obrigados a ficar juntos num lugar inusitado, um novo tipo de faísca começa a surgir. E no momento em que esses adversários da vida inteira finalmente se beijam, descobrem que a pessoa que detestam talvez seja a mesma sem a qual não conseguem viver.
Estes são os três livros já lançados para a saga, porém ainda vai ter mais livros que a autora está escrevendo. Ainda não previsão para data de lançamento, somente que será em 2019.

Eu como amante do gênero de romance de época já fico esperando mais novidades a respeito de quem será o próximo Rokesby.

Caso queira saber mais sobre os livros, é só acessar o site da editora Arqueiro.


Autora: Emily Giffin
Título Original: All We Ever Wanted
Páginas: 304
Ano: 2019
Gênero: Romance
Editora: Arqueiro
                      Comprar

Casada com um membro da elite de Nashville, Nina Browning leva a vida com que sempre sonhou. Recentemente, o marido ganhou uma fortuna vendendo seu negócio de tecnologia e o filho adorado foi aceito em Princeton. No entanto, às vezes Nina se pergunta se ela se afastou dos valores com que foi criada em sua pequena cidade natal.
Tom Volpe é um pai separado que se divide entre vários empregos para criar a filha, Lyla. Ele finalmente começa a relaxar depois que a menina ganha uma bolsa de estudos na escola de maior prestígio de Nashville.
Filha de uma brasileira e de origem menos abastada, Lyla nem sempre se encaixa em meio a tanta riqueza e privilégios, mas, na maioria das vezes, ela é uma adolescente típica e feliz.
Então uma fotografia, tirada em um momento de embriaguez em uma festa, muda tudo. À medida que a imagem se espalha, as opiniões da comunidade se dividem.
No centro das mentiras e do escândalo, Tom, Nina e Lyla são forçados a questionar seus relacionamentos mais íntimos, percebendo que tudo que sempre quiseram talvez não fosse tão perfeito assim.
Nina é uma mulher casada com um homem milionário há muitos anos e tem um filho que está prestes a ir para Princeton. Claro que ele não veio de uma família abastada e como conheceu seu marido na faculdade, precisou se acostumar com toda esta vida pomposa, depois que algo muito grave aconteceu com ela.

Tom Volpe é um homem que teve um relacionamento com uma brasileira que morava nos Estados Unidos. Amava muito ela, porém não entendia porque ela não conseguia ficar mesmo quando nasceu a filha deles, Lyla. Claro que ela tinha sonhos de ser cantora e famosa, mas mesmo que não conseguisse que seu sonho se tornasse realidade, ele esperava ao menos que ela não fosse embora e os deixasse na mão. Agora a filha já tinha dezesseis anos e ele a tinha criado com todo amor possível.

"Só que, na realidade, as coisas estavam longe de serem perfeitas. Porque exatamente naquele mesmo instante nosso filho estava do outro lado da cidade tomando a decisão mais equivocada da sua vida." P.16

Acontece que em uma festa que Lyla vai, juntamente com sua amiga Grace, dada por um amigo de Finch, uma foto de Lyla deitada desmaiada em cima da cama e com uma parte nua do corpo com uma legenda racista acaba vazando e Finch, o garoto certinho e de família rica assume a culpa pela foto e coloca em risco todo o seu futuro.

A partir disto Nina começa uma luta para que seu filho seja punido, mesmo que saiba que não poderá mais estudar em Princeton e seu marido e filho começam a mentir e criar estratégias para fugir de tudo isto. A questão é que Nina sofreu algo muito cruel no passado e não está disposta a deixar que mais uma garota tenha a reputação destruída.

"- Ora, Mel. Você sabe que não é bem assim - falei, ficando nervosa. - Uma roupa não faz uma pessoa promíscua. É o mesmo que dizer: "Ah, ela estava de minissaia, então fez por merecer." P.135

Não é só pela família e pela educação do filho, é pela vida de Lyla e pelo aprendizado de várias pessoas. Tom, Nina e Lyla vão lutar para que tudo venha à tona, mesmo que de formas diferentes.


Eu primeiro tenho que dizer que fiquei muito feliz que a Emily Giffin tenha voltado para o cenário literário brasileiro. Ela geralmente tinha seus livros publicados pela Novo Conceito no passado, quando li os livros dela e fazia algum tempo que nada mais era publicado. Então quando a Arqueiro publicou este eu pulei de alegria. Nunca me decepcionei com as obras da autora, que sempre fala sobre os dramas da vida, dos relacionamentos.

"Então por que, eu me perguntava, eu ainda sentia tanta vergonha muito depois de Finch se livrar dela, pedir um milhão de desculpas e me levar para casa? Será que Polly tinha razão e eu realmente era uma putinha patética?" P.237

Esta história foi até um pouco que surpreendente tendo em vista que o que acontece na história e tudo que fica implícito nela jamais iria ter a mesma repercussão no Brasil, até pelas questões de leis, já que no Brasil tudo é muito mais facilitado para certos tipos de crimes.

Então vamos falar aqui sobre crime virtual. Quando a vida de uma adolescente é exposta para milhares de pessoas por um garoto de uma família extremamente rica, sendo que ela vem de uma família pobre e de uma mãe de origem não americana. Acredite, o choque foi grande ao ler certos pontos da obra, principalmente por ver que a personagem era do meu país e eu ler que a chamavam de certos nomes racistas foi péssimo.

 


E é por esta questão que acho que este livro passa uma reflexão gigante. Nos Estados Unidos este tipo de crime não é aceito e tem punições severas. Mas a constância da obra não é somente por este fato ou o que acontece e sim como as mulheres se tornam vulneráveis em todos os momentos: festas estudantis, faculdades, dormitórios de fraternidades e afins. É fato que muitas mulheres são estupradas durante o período em que passam nos dormitórios nos EUA, tanto que há algum tempo as leis ficaram cada vez mais severas por esta questão.

Mas voltando ao assunto do livro, é sobre uma mãe de família que decide que seu filho precisa aprender desde já a assumir as responsabilidades e nisso se vê em uma guerra contra seu marido e tudo o que ela acredita.

Há momentos em que a história choca e outros em que me deu vontade de bater em Lyla por aquilo em que ela acreditava ser o melhor. Mas lembro também como eu era na idade dela e talvez teria uma reação diferente.

A obra termina de uma forma maravilhosa, mesmo que não como o esperado e acredito que é assim que a nossa sociedade encara muitas coisas. O importante é nunca, jamais desistir de lutar.


E a Netflix lança mais um filme original e desta vez voltado para a ficção científica. E apesar de ter muitos poucos personagens e passar praticamente em um único cenário, o filme se mostrou muito bem aceito pela crítica.

FILME: I Am Mother

NACIONALIDADE: Austrália

DURAÇÃO: 1 hora e 54 minutos

ANO: 2019

Criada por um gentil robô a quem chama de "Mãe", uma adolescente é designada para repopular a Terra depois de desastres que quase causaram a extinção completa da humanidade. Mas quando uma mulher desconhecida chega dando notícias alarmantes, o laço afetivo criado entre humano e robô fica ameaçado.

Quando assisti ao trailer deste filme já fiquei com a data na cabeça aguardando a estreia na Netflix. Muita gente imaginou que o trailer já entregava todo o contexto do filme e eu até pensei realmente que fosse alguma coisa parecida, já que era tudo muito cheio de ação e com muita adrenalina.

Imagine que somente duas personagens humanas estão fazendo parte da parte principal do filme. Uma delas é uma criança que é gerada por um robô que é interpretado por dois personagens, um que faz os movimentos e outra que faz a voz. Em um mundo pós-apocalíptico, um robô fica responsável por repovoar a Terra em um local com diversos fetos.


Mãe, é o nome da robô e ela chama a criança que ela cria de filha. Já de início vemos como ela cria a criança, os cuidados, os ensinamentos, os estudos e todas as formas de crescimento até ela virar uma adolescente. O bom é que o filme não fica parado e essa mostra não dura muitos minutos, o que achei que poderia durar metade do filme, mas não. Acontece super rápido toda esta introdução.

Lógico que a "filha" foi criada sabendo de toda a condição atmosférica do lado de fora. Que não tem como viver lá, que tudo foi destruído e que somente naquele lugar é que consegue viver sem morrer. Há toda a infraestrutura de alimentos, saúde, educação. 


Eis que um dia bate à porta uma sobrevivente. A atriz Hilary Swank interpreta muito perfeitamente a personagem da "Mulher". Ela chega machucada ao local onde pede ajuda para a "filha" sem ser vista pela robô. É então que ela explica que não há nenhum problema do lado de fora e que a terra é habitada, não há nada tóxico lá fora e começa a colocar dúvidas na cabeça da "filha".

E é então que tudo começa a ficar cada vez mais tenso no filme. Imagine uma adolescente que sempre acreditou em um robô e se vê cheias de teorias através de uma humana igual a ela? Que diz ter outros humanos do lado de fora e que os robôs são violentos e matam todos que encontram?

Então começa o suspense total. O robô se coloca a questionar a "mulher" e vice-versa através de fatos e teorias. Um filme que traz um suspense e dúvidas sobre a veracidade da humanidade sobre a posição de robôs.


Até chegar o ponto em que a "filha" resolve ir atrás ela mesma de respostas e começa a descobrir muitas verdades. Acho que esta foi a parte que mais me doeu no filme. Por ficar em parte dividida tanto pela humana quanto pela robô e descobrir tudo aquilo junto com a personagem foi como um soco na cara.

Mas a magistral direção e roteiro foram tão bem orquestrados que deixa o espectador cheio de dúvidas com tudo o que acontece. E mesmo depois de vários acontecimentos ainda coloca em cheque a inteligência tanto humana quanto a artificial. 

É um filme muito bem cuidado em questão de cenário e mais ainda na questão de emoções. Como uma humana iria se relacionar coma robô? É tudo isto que I Am Mother consegue colocar em cheque e ainda fazer pensar sobre como estamos à merce de diversos tipos de caos diariamente.



Autora: Jenny Colgan
Título Original: The Little Shop of Happy Ever After
Páginas: 304
Ano: 2019
Gênero: Romance de Hoje
Editora: Arqueiro
                      Comprar


Nina Redmond é uma bibliotecária que passa os dias unindo alegremente livros e pessoas – ela sempre sabe as histórias ideais para cada leitor. Mas, quando a biblioteca pública em que trabalha fecha as portas, Nina não tem ideia do que fazer.Então, um anúncio de classificados chama sua atenção: uma van que ela pode transformar em uma livraria volante, para dirigir pela Escócia e, com o poder da literatura, transformar vidas em cada lugar por que passar.Usando toda a sua coragem e suas economias, Nina larga tudo e vai começar do zero em um vilarejo nas Terras Altas. Ali ela descobre um mundo de aventura, magia e romance, e o lugar aos poucos vai se tornando o seu lar.
Nina está com seus 29 anos e até então estava feliz com seu trabalho de bibliotecária. Isto na cidade de Birmingham, na Inglaterra. Mora com sua amiga Surinder e leva para casa a maior quantidade de livros que pode, o que já causou diversas brigas com sua colega de casa, já que ela argumenta que daqui a pouco a casa vai vir abaixo por causa de todo aquele peso.

O problema é que as bibliotecas estão fechando o tempo todo e agora é onde Nina trabalha que a crise chegou. Ela até pode tentar trabalhar na outra sede, que vai ser cheia de tecnologia, porém Nina sabe que não é o seu mundo e o que ela sonha para si na verdade é ter uma pequena livraria e indicar livros certo para as pessoas certas. Talvez numa pequena van ela conseguisse isto?

"Porque a vida é assim, não é mesmo? Se pensarmos em cada pormenor que pode influenciar nosso caminho de mil maneiras, umas boas e outras ruins, nunca mais faremos nada." P. 36

E é através de um anúncio de jornal que ela encontra a van certa. Claro que a van está lá em uma pequena cidade na Escócia e ela precisa ir até lá para negociar, mas só de pensar que vai ter um lugar para colocar seus livros e vender em alguns lugares já cria uma esperança enorme. Mas ao chegar na Escócia ela percebe que é um carro imenso e que talvez não consiga nem autorização para estacionar em qualquer lugar.

E quando ela retorna e percebe que realmente o seu plano de trabalhar vendendo livros em uma van em sua cidade não vai dar certo ela resolve voltar para aquele pequeno vilarejo na Escócia, já que não possui nenhuma livraria local e recomeçar a vida. E o sucesso se torna imediato.

Mas como nem tudo são flores, Nina vai ter que lidar com o senhorio que alugou a sua casa, um homem carrancudo que não gosta de ler, com uma adolescente que esconde alguns segredos e uma vila que está acostumada com uma vida pacata. Parece um sonho, mas em alguns momentos um pesadelo.


A Pequena Livraria dos Sonhos começa a fazer parte de uma nova gama de gêneros da editora Arqueiro: Romances de Hoje. Nada mais é dos que os dramas e romances que conhecemos nos dias atuais cm um estilo mais divertido e cheio de personagens cativantes.

"Ao passar pela estação de trem, no meio do burburinho da noite movimentada de sábado, Nina olhou para os trens compridos parados ali. Incapaz de se conter, começou a chorar. Será que nunca chegaria a sua vez? Todos sempre conheciam alguém, mas quando isso enfim acontecia com ela, o homem era namorado de outra pessoa, ou era mais uma ideia e um devaneio do que uma pessoa de verdade." P.207

O primeiro fator que me deixou encantada nesta obra logicamente foi a descrição de cenário, até porque eu sou a doida que ama cenários bem descritos. Imagina que em um momento você está lendo algo em uma cidade da Inglaterra e logo em seguida está em um pequeno vilarejo na Escócia. Nada mais justo do que ver todo aquele vigor dos campos lindos, da mudança de clima, das casas diferentes e das pessoas do campo. 

Neste teor logicamente a história não deixa a desejar. Tem personagens de todos os estilos e bastante característicos. Lógico que Nina é uma mulher paciente, tranquila e mais na dela, diferente de sua amiga Surinder que adora festas e diversão, então quando as duas se juntam posso dizer que é como água e vinho, mas que acaba dando certo. Em alguns momentos eu acabava ficando irritada com Surinder por ela ser tão metida na vida da Nina, mas depois percebi que era a forma da amizade das duas, algo que eu já não aceitaria.

 


Os personagens secundários dão uma vida tão mais colorida ao livro. Acho que é porque eu sonho em morar em uma cidade pequena e ter tudo o que o livro mostra, mas é aquele jeito onde todos se ajudam e se unem para tudo.

Eu achei que ficou faltando um pouco mais de romance. Talvez a intenção realmente não fosse esta, afinal. Mostra muita coisa diferente, muitas vidas diferentes e o romance fica mais de lado. Senti um pouco esta falta, mas o restante do livro mostra o quanto a amizade e a força de vontade nos faz seguir em frente!

Ah, e não posso esquecer de falar sobre a edição. A capa brasileira ficou muito fofa, que também é uma cópia do estilo gringo, mas é totalmente coerente com a história, além de que as páginas tem uma letra média e as páginas tem aquele amarelinho maravilhoso que facilita muito a leitura.

Será que é errado também querer uma van agora?




Eu sei que a data do dia dos namorados está quase chegando e que você até já deve ter escolhido alguma coisa para presente. Mas ainda pode ter uma parcela do coração que pensa em dar mais alguma coisa e quem sabe um livro?

Pois então eu trago aqui algumas dicas legais de livros, alguns ainda estão em pré-venda e outros já podem ser enviados para a sua casa ou para a do boy.


MEDO IMORTAL
Diversos Autores
Editora Darkside
Lançamento: 18/06

O ano é 1897. Estamos nas vésperas da celebração dos oitenta anos de publicação da primeiríssima edição de Frankenstein, ou o Prometeu Moderno, escrito por Mary Shelley. Naquele mesmo ano, outro inglês, H.G. Wells, lança em forma de livro O Homem Invisível e publica os capítulos iniciais de A Guerra dos Mundos em revistas da Inglaterra e dos EUA. Já o irlandês chamado Bram Stoker coloca nas livrarias o livro que viria a mudar sua vida e a história da literatura: Drácula. Do outro lado do oceano, nos Estados Unidos, um garoto de apenas sete anos acabou de escrever seu primeiro conto, que levou o nome de “The Noble Eavesdropper”. H.P. Lovecraft é este escritor americano precoce. Mais ao sul do continente americano, no Brasil, naquele marcante ano de 1897, quarenta intelectuais se reúnem para fundar a Academia Brasileira de Letras (abl), inspirados em um modelo de agremiação de escritores já existente na França desde 1635. Cada um daqueles fundadores escolhe um patrono para nomear a cadeira que vai ocupar, e eles passam a chamar a si mesmos de imortais. A antologia Medo Imortal, mais nova integrante da coleção Medo Clássico da Darkside® Books, vem a público para mostrar que existe mais em comum entre os fatos dos dois parágrafos anteriores do que pode aparentar à primeira vista. Liderados por nosso maior escritor, Machado de Assis, aqueles intelectuais brasileiros são pessoas de seu tempo, conectados com o que estava sendo produzido nos grandes centros culturais do mundo em sua época. Nas páginas de Medo Imortal estão reunidos, além de poesias, 32 exemplares da prosa de escritores diretamente ligados à nossa principal instituição dedicada à literatura. São contos que evocam o sobrenatural, apresentam monstros, descrevem atos de psicopatas, dão o testemunho de todo tipo imaginável de atrocidades concebidas pela mente humana. Produzidos entre a segunda metade do século xix e a primeira metade do século xx, tais textos representam o que de melhor se escreveu nos primeiros cem anos de produção do terror em nosso país. Organizado pelo jornalista Romeu Martins, a lista de autores para o livro contou com a colaboração de estudos realizados pelos maiores pesquisadores do terror e do insólito das principais universidades brasileiras. São ao todo treze autores, escolhidos entre os patronos, os fundadores e os primeiros eleitos para ocupar os salões da Academia Brasileira de Letras. Entre eles, a Darkside® Books aproveitou a oportunidade de reparar uma injustiça histórica cometida naquele ano de 1897 e traz também contos da escritora Júlia Lopes de Almeida, importante nome de nossa literatura que participou das reuniões para a fundação da Academia mas que na última hora acabou sendo barrada por ser mulher em uma instituição que em seus primeiros oitenta anos só aceitou a presença de homens.

UMA MULHER NO ESCURO
Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras

Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar. Seu refúgio é ficar em casa e observar a vida alheia pelas janelas do apartamento onde mora, na Lapa, Rio de Janeiro.
Mas o passado bate à sua porta, e ela não sabe mais em quem pode confiar. Obrigada a enfrentar sua própria tragédia, Victoria embarca em uma jornada de amadurecimento e descoberta que a levará a zonas obscuras, mas também revelará as possibilidades do amor. Um psiquiatra, um amigo feito pela internet e um possível namorado ― qual dos três homens está usando tudo o que sabe para aterrorizar a vida de Vic? E o que afinal ele quer com ela? 

ED & LORRAINE WARREN - VIDAS ETERNAS
Lançamento: 18/06
Editora: Darkside


O mais famoso casal de investigadores paranormais está de volta para deixar os leitores da DarkSide® Books de cabelo em pé. Você com certeza já ouviu falar deles, mesmo que morra de medo do assunto: Ed e Lorraine Warren, a dupla conhecida em todos os planos, terrenos e astrais, por sua eficiência em despachar espíritos malignos para o lugar da onde vieram. Juntos, eles agiram com todo o seu conhecimento no cabuloso caso dos Smurl, uma família atormentada durante três anos por forças demoníacas. Pelo fato de lidar de modo fatual com provas do mundo demoníaco, o livro Ed & Lorraine Warren: Vidas Eternas, mais recente lançamento da coleção sobrenatural da DarkSide® Books, causará pesadelos em alguns e, em outros, súbitos atos de religiosidade para garantir que nenhum espírito se engrace para o seu lado. Ed & Lorraine Warren: Vidas Eternas traz os os detalhes do caso de assombração da família Smurl, da Pensilvânia. Escrito pelo jornalista Robert Curran, o livro foi compilado a partir de testemunhos dos oito residentes do número 328-330 da Chase Street, assim como de outras 28 pessoas que vivenciaram fenômenos sobrenaturais ligados à família Smurl. Ed e Lorraine Warren estiveram envolvidos com o caso desde o início de 1986 e, entre muitas outras coisas, organizaram os exorcismos que foram executados na casa. A vasta experiência da dupla ajudou a família Smurl a lidar com o pesadelo pelo qual estavam passando ― e os detalhes vão abrir os olhos dos leitores a respeito de como o mal age. Manifestações tenebrosas, vultos perturbadores, marcas inexplicáveis e torturas excruciantes faziam parte do dia a dia da família, dentro e fora de casa. Por que um demônio escolheu provocá-los? Embora não haja resposta fácil para isso, e muitos rituais tenham sido performados para livrar a todos do mal, amém, aparentemente o demônio sempre retorna. Sempre. Conhecidos pela sua efetividade em grandes casos de assombração, Ed e Lorraine Warren atuaram em casos icônicos de assombração ao longo de décadas em serviço. Os casos mais famosos, como os de Amityville, Rhode Island e de Enfield, para citar alguns, foram adaptados para o cinema e tiveram seus detalhes compartilhados em livros ― muitos deles com edições especiais lançadas pela DarkSide® Books, a casa perfeita para assuntos do Outro Lado. Ed & Lorraine Warren: Demonologias é considerada a biografia definitiva do casal e Ed & Lorraine Warren: Lugar Sombrio, um relato meticuloso sobre o exorcismo de Connecticut. O terceiro livro, Ed & Lorraine Warren: Vidas Eternas, chega em junho de 2019 para concluir a coleção de Arquivos Sobrenaturais que homenageia a dupla. Juntos do Outro Lado Ed e Lorraine Warren desvendaram mais de 10 mil casos paranormais com poltergeists, possessões demoníacas e casas mal-assombradas que resultaram em relatórios únicos sobre o que pode haver, de fato, do Outro Lado. Responsável por manter o legado dos Warren desde a morte de Ed em 2006, Lorraine faleceu em abril de 2019, aos 92 anos de idade, em Connecticut, e juntou-se ao marido no plano astral para viverem suas vidas eternas lado a lado. O otimismo e fé inabaláveis dos dois foram fundamentais para enfrentar as forças do mal do lado de cá. Agora eles descansam juntos para sempre.

TEMPO ESTRANHO
Joe Hill
Editora: Harper Collins

O terror pode estar presente em qualquer lugar. Ele pode se esconder em uma foto que guarda uma lembrança querida, em uma única pessoa em um shopping lotado, nas nuvens e seus diversos e estranhos formatos e até mesmo em algo tão pequeno e insignificante quanto uma agulha. Nesta coletânea de histórias inéditas, Joe Hill, autor best-seller do The New York Times, nos faz perceber que a presença do horror não está apenas ligada a clichês como lugares escuros, casas velhas e monstros além da imaginação, mas que, mesmo em um belo dia de sol em meio a uma multidão, você nunca está verdadeiramente a salvo. Em “Instantâneo”, um adolescente tenta ajudar uma vizinha idosa que luta contra o Alzheimer, mas logo percebe que a perda de memória dela ocorre por causa de um estranho homem munido de uma estranha máquina fotográfica. “Carregado” apresenta um segurança de shopping que, usando o próprio revólver, impede um tiroteio em massa e se torna herói do movimento a favor do porte de armas. No entanto, conforme a verdade sobre o tiroteio é revelada, a pressão talvez seja maior do que ele pode aguentar. Em “Nas alturas”, um rapaz faz seu primeiro voo de paraquedas para impressionar o amor de sua vida e acaba caindo em uma nuvem sólida que tem a capacidade de realizar seus desejos. E, para finalizar, “Chuva” acompanha a jornada de uma jovem que presencia uma tempestade de afiadas agulhas de cristal que matam e destroem tudo o que encontram abaixo. Em cada uma dessas histórias um mundo de terror espetacular nos é apresentado, mas sem deixar de ter seus momentos ternos, edificantes e, acima de tudo, realistas.

GOOD OMENS: BELAS MALDIÇÕES
Neil Gaiman e Terry Pratchett
Editora: Bertrand

O mundo vai acabar em um sábado. No próximo sábado, para falar a verdade. Pouco antes da hora do jantar. Não há nada que possa ser feito para frustrar o Grande Plano divino. Mas quando uma freira satanista um tanto distraída estraga um esquema de troca de bebês e o pequeno Anticristo acaba sendo entregue ao casal errado, tem início uma série de erros cômicos que podem ameaçar o próprio Armagedom. Aziraphale é um anjo que atua na Inglaterra e dono de um sebo nas horas vagas. Crowley é um demônio e ex-serpente responsável pela mesma região. Ambos veem nessa confusão uma grande oportunidade, porque os dois, que vivem entre os humanos desde o Princípio, apegaram-se demais ao mundo para desejar a grande batalha entre o Céu e o Inferno. Em sua jornada para evitar o Armagedom e encontrar o Anticristo, agora um menino de 11 anos vivendo tranquilamente em uma cidadezinha inglesa, eles acabarão trombando com uma jovem ocultista, dona do único livro que prevê com precisão os acontecimentos do fim do mundo, com caçadores de bruxas ainda na ativa e, quem sabe, até com os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Mas eles terão de ser rápidos. Não é só o tempo que está acabando... Esta edição contém a tradução revisada a partir do original revisto, aprovado por Neil Gaiman e pelo Pratchett Estate, que corrige vários erros de digitação e imprecisões presentes em edições anteriores.

Existem muitas mais opções para o boy se você souber qual o gosto literário dele, claro. Mas com certeza só pela questão de presentear você já vai ter feito algo muito legal!

E claro que também pode aproveitar a leitura do livro, hein!