Autor: Felippe Barbosa
Título Original: Os Quase Completos
Páginas: 384
Ano: 2018
Editora: Arqueiro



O Quase Doutor é um renomado cardiologista que passa os dias em um hospital, mas no fundo é um artista frustrado. A Quase Viúva é uma professora que está de licença do trabalho para ficar com o noivo, em coma após um grave acidente. O Quase Repórter é um jornalista decepcionado com a profissão que sofre há mais de um ano pelo suicídio da esposa. A princípio, a única coisa que essas pessoas têm em comum é a sensação de incompletude e de desilusão com a vida.
Até que, um dia, o Quase Doutor é persuadido por um velho desconhecido a embarcar com ele em um ônibus rumo a uma jornada para se reconciliar com seu passado. Logo a viagem se transforma em uma aventura extraordinária e, em meio a fenômenos como uma chuva de estrelas cadentes, ele precisa fazer escolhas que mudarão seu destino para sempre.
Enquanto isso, eventos misteriosos levam a Quase Viúva a suspeitar que alguém dentro do hospital quer matar seu noivo e uma pesquisa minuciosa do Quase Repórter revela que sua esposa pode ter sido assassinada. Quando os dois tentam descobrir a verdade sobre seus amados, tudo leva a crer que a resposta está dentro do ônibus do Quase Doutor.
Reunidos num lugar que nunca imaginaram existir, os três serão forçados a enfrentar seus maiores medos e verão que, para se tornarem completos, precisarão encarar a batalha mais difícil de todas: aquela que travamos com nós mesmos.

O Quase Doutor estava no seu dia escolhido para tirar a folga de seu trabalho exaustivo. Começara a considerar que aproveitar aquele dia mágico seria tudo até receber um telefonema do hospital para que ele voltasse. Foi assim que começou a conversar com um senhor estranho no ponto do ônibus que parecia saber algo sobre a sua vida. E naquele momento quando um ônibus A307 enferrujado e laranja parou na sua frente e o senhor embarcou oferecendo uma carona e uma aventura, o Quase Doutor resolveu que seria uma nova opção e seguiu em frente.

O Quase Repórter não consegue mais fazer o seu trabalho direito. Há um ano sua esposa foi atropelada por um ônibus e veio a falecer. Mas ele acreditava que ela não poderia ter se suicidado porque conhecia a sua mulher muito bem. Mas as investigações tinham terminado e o resultado final era este. Só que não era possível aceitar e ele iria investigar até onde fosse necessário.


"Ergui a cabeça e fitei os assentos à minha volta. Além de mim e Barfabel, três pessoas ocupavam o interior do ônibus. Um homem e duas mulheres. Todos eram extremamente idosos, o que me fez pensar se não estava sendo enganado e levado para uma casa de repouso. Afinal, o que raios eu fazia naquele ônibus? Por que havia entrado ali?" Pág. 31


A Quase Viúva estava cansada. Diretamente junto ao leito de seu noivo há alguns dias, deprimida e sofrendo, pensava como iria conseguir continuar com aquela dor em seu peito. Desde criança sonhava com o casamento perfeito e ver seu noivo naquele estado de coma e todo machucado não era nada fácil. Mas ele tinha sido atropelado e agora estava entre a vida e a morte e precisava aguentar firme.

O que ninguém sabia é que aquele senhor chamado Barfabel, na verdade estava levando o Quase Doutor para um mundo diferente, para o Oitavo Reino, onde tudo era como o Doutor desejava que fosse na sua vida real. As coisas aconteciam exatamente como ele sempre desejou desde a sua infância. Os sonhos virando realidade. Um mundo completamente perfeito de acordo com o seu coração. 

Mas tudo o que parece perfeito demais tem sempre o seu outro lado. Lutar pela perfeição traz consequências às vezes devastadoras e para isso muitas outras pessoas podem sofrer e outras mais terão que lutar para manter a realidade acesa. Basta saber se tudo o que se sonha é realmente um reino perdido ou um fruto verdadeiro.

"- Quando este tal Otávio entrou em coma, a senhorita entrou entrou em coma também? Por acaso estão ligados por alguma algema invisível ou pacto de sangue?
- O quê?
- Levante-se, mulher! Seu parceiro pode estar inconsciente, mas você não. Ele representa parte de sua vida, mas não sua vida inteira." Pág. 101
Este autor foi uma grande descoberta da Arqueiro. De início eu fiquei meio ressabiada com a leitura pelo estilo de fantasia ao qual a trama ia se encaixando e até os personagens se encaixarem perfeitamente achei um pouco lento o contexto. Mas isto durou somente poucos capítulos. Bem poucos na verdade, porque depois que consegui captar a verdade por trás de tudo o que foi criado por Felippe Barbosa, não consegui mais parar de ler.

A escrita do autor é bem do jeito que eu gosto. Tem uma desenvoltura bem culta e estruturada, com diálogos inteligentes e cheios de contexto. O cenário é bastante descrito e não deixa a desejar já que quando se cria um mundo de fantasia todo e qualquer pedaço que falte vai fazer desmoronar um pouco a mente do leitor.


Cada personagem tem a história contada em capítulos que são alternados com o do Quase Doutor que posso dizer ser o personagem principal da trama. Aos poucos fui me familiarizando com cada um até o ponto em que cada segredo vai sendo recontado desde o princípio. É então que ao ver a vida dos personagens desde a infância até o momento da trama atual traçada, que se tem um vislumbre da totalidade exata do que a obra quer relatar.

E é quando eu tomei um choque de emoção. Quando percebi que até aquele momento não tinha reparado na verdade que o autor tinha colocado à minha frente. Como não tinha reparado naquilo? Queria tanto poder contar para vocês o que é, mas aí eu iria dar um grande spoiler e estragar a leitura, mas foi um momento de grande revelação que quase gritei de emoção.

A partir deste momento meu coração se apertou e eu comecei a rever o meu passado e a perceber que eu também queria estar naquele ônibus, também queria viver aquela viagem e também queria poder escolher aqueles momentos. Que lição de vida! Que lição de amizade! Que lição de amor!


"Assim é a vida. Haverá sempre complicações e desafios. Fugir parecerá sempre mais fácil. Mas a verdade é que... não existe uma trilha mais simples. Tudo o que temos é aquilo que nos foi dado. E é ali que se deve aprender a encontrar a felicidade. Na vida como ela realmente é." Pág. 278
E como se um livro pudesse te fazer refletir sobre tudo aquilo que eu já tivesse escolhido para toda a minha vida, eu repensei em como as escolhas algumas vezes podem fazer a diferença. Mas nunca são definitivas. Tudo pode ser reiniciado. Nada tem fim. O errado é sermos incompletos.

Um livro que merece aplausos de pé de um autor que mereceu o prêmio Pólen de Literatura e que merece ter este livro levado às telas de cinema ou transformado em seriado para que todos possam perceber o quanto suas vidas devem ser transformadas naquilo que sempre sonharam. Na infância, na juventude e onde quer que estejam neste momento!

Obrigada, Felippe! Muito obrigada!


31 Comentários

  1. Ótima resenha. No meu blog tem resenha com interação das crianças

    ResponderExcluir
  2. Oi, Greice
    Eu me apaixonei pela capa do livro mas não tinha lido a sinopse ainda. Fiquei meio confusa, mas agora entendi que a obra se trata de uma fantasia. Acho fantástico quando um livro consegue envolver a gente de uma forma que terminamos ele pensando e refletindo sobre nós mesmo. Espero poder ler a obra e gostar tanto quanto você.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é uma fantasia com um belo e grande toque de realidade!

      Excluir
  3. Tudo bem? Esse livro passou por mim, tive oportunidade de ler.. Mas não sei por qual motivo não me chamou tanta atenção!
    Mas depois da sua resenha fiquei muito empolgada para ler. Gostei muito do que descreveu e adoro livros reflexivos!

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é, também me sinto assim por alguns livros, mas quem sabe um dia você tenha outra oportunidade.

      Excluir
  4. Oi Greice, eu não conhecia o livro! Achei bem interessante o nome dos personagens e a obra tem uma proposta bem interessante!! Bom saber que tem uma boa descrição e bons diálogos, acho que vou curtir.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Olá Greice, tudo bem?

    Eu não dava nada para esse livro, até ver umas resenhas e agora eu quero muito ler, sua resenha me deixou mais curioso....bjs.


    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Greici!
    Acho a capa desse livro super fofinha!
    Eu vi uma resenha outro dia sobre ele e fiquei bastante interessada. Achei interessante o "quase" nos personagens. Espero que o autor seja uma grande surpresa pra mim também.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. Olá! Esse lançamento foi bem divulgado e volta e meia vi algo sobre o livro. Achei a maneira que o autor criou a história, com pessoas quase completas, muito interessante, afinal, não somos todos quase o que queríamos, ou sonhávamos? As histórias particulares de cada um dos personagens, seus medos e suas vontades e se e como eles vão conseguir completar os quases me deixou interessada.

    Bjoxx – http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda não tinha visto ou lido nada sobre o livro e fiquei encantada, a começar pelo título instigante e pela forma como você descreveu a escrita. Também amo diálogos inteligentes e sempre acho que isso agrega demais aos personagens.
    Adorei a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, é por isso que amo livros antigos também, porque tem essa proposta de leitura mais bem escrita.

      Excluir
  9. Gosto bastante dessa proposta de "QUASE" apresentada no livro, mesmo sendo um contexto um pouco lento para uma fantasia. Acho que as reflexões e lições dele devem valer muito a pena. Espero ler e aplaudir, assim como você.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto, é como se a pessoa se sentisse quase feliz na vida e deixasse de fazer as coisas que gostaria para ser feliz.

      Excluir
  10. Oie!

    Já li a resenha dessa obra em outro blog, eu gostei bastante da proposta do autor para a obra, mas não é aquele tipo de história que eu escolheria agora para ler, mas acredito que futuramente se eu tiver a oportunidade, com certeza irei ler!

    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Oi Greice!

    Esse livro tem uma capa, um título e uma premissa tão singela, mas incrível. Eu realmente quero muito ler esse livro, porque me sinto assim, quase completa. Acredito que vou me emocionar assim como você. Aiai, até suspiro. Não vejo a hora de ler logo!

    beijos =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que 99% da população se sente um quase completo né? Eu me sinto.

      Excluir
  12. Olá!
    Já pude perceber que esse livro tem opiniões contraditórias e confesso ter ficado em duvida pois li que a narrativa era muito lenta.
    Ao ler sua resenha terminei com a sensação de que é uma leitura envolvente e deixa aquela sementinha para refletirmos.
    Talvez não leia por agora, mas vou tentar dar uma chance.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, é bom sempre ler resenhas diferentes para ter uma opinião.

      Excluir
  13. Olá, tudo bem?

    Eita, que premissa, heim?
    Deu para sentir na resenha o quanto o livro tr conquistou, que bom que a morosidade durou poucos capítulos e a leitura lhe agradou.

    Confesso que fiquei curiosa sobre o tal "bum" da história e que lendo a sua resenha já fui formando teorias. Hahaha. Adorei, mesmo!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Oie!

    Nossa amei a sua resenha!
    Confesso que inicialmente, apesar da capa mais linda e fofa que existe, não dava nada pela obra, falando a verdade. Mas então, conforme lia a sua resenha, me surpreendi e me encantei. Acho muito incrível livros que nos trazem uma certa reflexão sobre a vida.

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  15. Eu ouvi tantos comentários sobre o livro, mas nenhum deles me fez querer tanto ler o livro quanto a sua resenha. Me pegou de um jeito que eu fiquei super empolgada *e mais do que curiosa em saber o que fez você gritar e ao mesmo tempo não querendo saber para não estragar o prazer de descobrir....
    Tão bom quando um livro nos envolve completamente que nos faz ganhar o dia, não é?
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii seu eu pudesse te contar esta parte você iria ficar chocadaaaaa!

      Excluir
  16. Oi, greice! Com sua resenha você acabou de me fazer colocar esse livro na lista de futuras leituras. Fiquei super ansiosa para saber o que te surpreendeu e emocionou tanto e só tenho ouvido elogios para esse enredo. :)

    ResponderExcluir
  17. Olá Greice,
    Quando esse livro foi lançado, senti necessidade de fazer essa leitura quase que imediatamente. Eu amei a construção da história - mesmo sem ter lido - e fiquei muito contente por ele ter te feito viajar dessa forma, para dentro de si mesma e se ver naquele mesmo ônibus.
    Acho que é um livro que nos vai ensinar muito sobre amor próprio.
    Vou super anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Aiii Greiceeeee, você conseguiu fazer a vontade de ler esse livro ressurgir em mim! Hahahaha
    Eu quase solicitei ele, mas foi um mês onde os lançamentos foram muito bons e foi difícil decidir. E depois o povo lá no grupo ficou falando que era confuso e tal, então achei que foi melhor não ter solicitado ele mesmo... e agora cá estou eu arrependida! Hahahahah
    Eu adoro livros que nos fazem refletir, então quero muito e espero me surpreender tanto quanto você!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te entendo, é porque o inicio foi meio confuso mas depois que engrena a coisa vira uma loucura só!

      Excluir
  19. Olá Greici!!!
    Assim que fui lendo sua resenha fui percebendo como a gente é transportado para dentro do livro por causa da desenvoltura do autor em relação a prender.
    No começo realmente parece que a obra foi devagar, pois mesmo na resenha você falando um pouco do livro dar para perceber esse começo um tanto lento mas depois pronto somos sugados para dentro do mesmo.
    A edição está belíssima como deu para perceber na foto do livro e é uma enredo um tanto curioso.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos