03 outubro 2017

20

O Voo da Vespa - Ken Follett! [Resenha #366]


Após a Alemanha já ter começado a conquistar diversos países com suas artimanhas, a Dinamarca é um dos países que se rendeu totalmente ao nazismo. Não que o país sofresse diretamente, já que em 1941 as leis impostas ainda não eram completamente cruéis. Mas mesmo assim os opositores já tentavam tirar Hitler do poder e fazer com que o mundo voltasse ao normal.

Harald Olufsen é um estudante que mesmo pobre conseguiu entrar em uma das melhores escolas do país, graças a herança deixada pelo seu avô e agora, depois de formado quer seguir os mesmos passos do irmão, Arne que era piloto de aviões, mas como não podia voar por ser da aeronáutica dinamarquesa, ficava somente esperando e dando aulas.

Hermia é uma britânica que morou muitos anos na Dinamarca, em Copenhagen. Depois que a guerra eclodiu ela foi obrigada a voltar para a Inglaterra e agora trabalhava como espiã para obter informações de alguma forma. Tinha como base os Vigilantes Noturnos e assim conseguia manter alguma coisa sempre à vista.

A verdade é que a Alemanha de alguma forma estava conseguindo destruir todos os aviões inimigos antes mesmo que eles chegassem ao alvo. Tinham algum sistema de alerta que fazia com que os alemães descobrissem que estavam chegando e abatessem todos. O mundo estava perdendo a guerra contra a Alemanha.

Peter Fleming é um dinamarquês que é muito a favor do nazismo. Mesmo que as regras não estejam valendo, ele tem tudo para querer conter os espiões e torturar pessoas. E principalmente a família Olufsen, a qual a família de Peter foi humilhada certa vez.

O destino de todos os personagens serão colocados em cheque, tanto para fazer com que o objeto chamado Freya seja descoberto quanto para fazer com que aliados e opositores enfrentam uma grande batalha pelo amor aos seus países.



Autor: Ken Follett
Título Original:  Hornet Flight
ISBN: 9788580417098
Páginas: 416
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: Editora Arqueiro
Mais uma vez Ken Follet. Mais uma vez sendo grandioso. E mais uma vez colocando o papel da Segunda Guerra Mundial como plano de fundo, sendo que sempre baseia fatos reais juntamente com os personagens. 

Desta vez o que chama a atenção é a forma como os personagens conseguem fazer todo um traçado por um país diferente, não somente envolvendo a Dinamarca, como também a Inglaterra, Alemanha e Suécia. Gosto quando uma narrativa não envolve somente uma localização ou somente alguns personagens e Ken Follett tem esta estrutura de juntar vários personagens diferentes e prender a atenção do leitor em uma teia alucinante.

Fico imaginando a questão sobre como Freya foi descoberta, como foi criada pelos alemães e como eles conseguiam estar um passo à frente na questão de tecnologia. Não dá para negar como a Alemanha sempre teve uma crescente reviravolta na história, conseguindo estar sempre em primeiro no quesito de telecomunicação e este livro mostra isto. 

Outro ponto que é bastante impactante é a formação de um quadro de espiões, que logicamente existia para ambos os lados. Fico pensando em como dá medo passar pelas situações citadas no livro e em como me coloquei na pele dos personagens somente para salvar uma nação e aqueles que se amam. Neste ponto Ken Follett sabe envolver muito, mostrando como as informações são descobertas e repassadas e como tudo é sempre perigoso e que nem sempre as coisas dão certo.

Neste livro não há a questão do pragmatismo do nazismo pesado criado com a questão dos judeus, pois nesta época ainda não estava sendo praticado as chacinas em massa, mas Ken Follett já coloca como as pessoas começavam a ser perseguidas e a visão diferente dos dinamarqueses. mas mostra a questão como uma real ditadura, onde não podem haver negros trabalhando, música, bares ou afins além do que os alemães permitiam.

É um livro para descobrir mais sobre como aguerra era influenciada em um país diferente. Claro que a principal meta é fazer as informações dos espiões chegarem a um ciclo seguro para evitar um massacre em massa, e isso é feito de uma forma corajosa. É como estar vendo um filme de suspense e guerra ao mesmo tempo e torcer para algo que sabemos o final, mas que mesmo assim parece estar em um precipício olhando para baixo.

Este é o efeito que Ken Follett causa: o de inebriar e informar ao mesmo tempo. Totalmente viciante.



20 comentários:

  1. Oi Greice, tudo bem? Eu adoro livros com conteúdo histórico principalmente os ambientados na segunda guerra mundial e achei a premissa desse bem diferente e interessante por nos dar a oportunidade de conhecer o ponto de vista de outro país que não a Alemanha.
    Dica anotada
    bj

    ResponderExcluir
  2. Todas as abordagens de guerra, me deixam curiosa e esse livro me deixou mais ainda em função do cenário porque achei diferente. Interessante não colocar o holocausto no foco da narrativa, porque embora tenha sido o caos do século e lamentável de todas as formas de pensar, muitas outras pessoas foram perseguidas e pouco vemos isso na literatura. Adorei a resenha
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei o mesmo sobre a questão de não focar no holocausto, pois assim dá para ter uma visão diferente.

      Excluir
  3. Oi Greice, gostei muito das suas impressões e da ideia do livro. Ainda mais por ser "algo real". Não costumo ler muito esse gênero, mas gosto de dar chances de vez em quando. Dica anotada, Bjs Tell me a Book

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto, o dia que você mudar de gênero, sempre esteja atenta a estas novidades!

      Excluir
  4. Oi, Greice!
    Esse livro parece realmente muito interessante, geralmente a gente não vê muito sobre a esquematização dos espiões e outros pontos tão importantes para a "concretização e funcionamento" da guerra né? Eu já tinha lido a sinopse dessa trama, nas não tinha me interessado tanto assim, agora com a sua resenha com certeza entrou pra minhalistinha :D
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é legal nos livros do Follett que ele usa muito esta artimanha dos espiões.

      Excluir
  5. Oi. :)
    Esse é o tipo de estória que não me atrai em nada, mesmo pq não curto coisas relacionadas a guerras, espiões... algo que não consigo concluir em leitura nenhuma.
    Mas apesar de não gostar, o enredo me parece interessante.
    Vou passar essa dica, mas pra outro leitor será uma maravilhosa aventura.
    Blog As Meninas Que Leem Livros - Lauri Brandão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é quando não somos apegadas a um gênero. Tenho alguns que são assim. :)

      Excluir
  6. Olá, tudo bom?
    Acredita que nunca li nada do autor? Pois é! Mas curti muito a premissa desse livro e o fato de saber que se passa na segunda guerra, se baseando em fatos reais. Outro ponto que me deixou curiosa foi para conferir como a guerra exercia influência e era influenciada em outros países. Nunca li nada sobre guerra nessa pegada, mas já quero conferir.
    ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é quando não lemos nada porque não li nada da autora de Harry Potte e parece loucura, mas é assim mesmo.

      Excluir
  7. Oie guria!

    Tenho uma amiga que ama os livros desse autor, eu por outro lado nunca li nada dele, mas espero mudar isso em breve, pois ele já me conquistou somente por suas obras conterem a 2GM como plano de fundo de suas histórias, com certeza gostarei da leitura quando a fizer!

    Bjss

    ResponderExcluir
  8. Oi Greice! Tudo bem?
    A primeira vez que ouvi o nome do Ken Follett foi quando vi na Saraiva a trilogia "Os Pilares da Terra", mas eu não tinha ideia, pelo menos naquela época, que ele já tinha publicado tanta coisa e várias delas focando na Segunda Guerra. Esse se tornou curioso em especial para mim porque dificilmente vejo livros que se passam na Dinamarca ou até mesmo de lá.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bom?

    Ainda não li Ken Follet, mas com tantos fãs e recomendações positivas, ele está na minha lista de desejados. Adoro livros que exploram acontecimentos históricos e esse, envolvendo diversos países, parece bem interessante. Eu adoro ler coisas sobre a Segunda Guerra Mundial e acho que essa seria uma leitura envolvente, ainda mais que o pragmatismo do nazismo não é tão pesado assim.
    O que eu mais gostei são os diferentes tipos de personagens e gostaria muito de saber como são a interação entre eles. Eu nunca li nenhum livro que um personagem fosse a favor do nazismo (só mencionado como inimigo, mas não desenvolvido completamente). Fiquei curiosa para saber como o Follet explora isso.

    Enfim, eu adorei a sua resenha. Obigada pela dica :)
    Abraços.

    https://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Greice,
    Ainda não li nada do Follett, acredita? Eu tenho dois livros dele em casa, mas não animei de pegar nenhum pra ler ainda - apesar de todos os elogios que ele recebe.
    Fiquei muito contente com sua resenha - espetacular!
    Estou me perguntando como o autor retrata essas questões tão distintas e importantes de serem discutidas e se vou me encanta por ele tanto quanto você.
    Dica anotada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá! Eu nunca li nada do autor apesar de já ter visto vários comentários positivos sobre suas obras. Fico feliz que gostou da obra, talvez eu dê uma chance e espero me “inebriar” com a obra ❤️

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Não conhecia o autor, nem os livros, mas achei muito interessante e como uma curiosa por segunda guerra vou ler com certeza, gosto quando os livros retratam outro lado da guerra, outros olhares e pela sua resenha parece ser bem assim. Eu vou procurar aqui e dar uma chance com certeza, fico grata pela resenha, pois se fosse pelas capas nunca compraria.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Achei a obra super interessante e com certeza já quero ler, tendo em vista que nunca li nada do autor. Acho incrível como Ken Follett é sempre muito bem recomendado nas redes e me pergunto porque até agora nunca li nada dele. Estou louca para ler esse livro!

    Beijinhos!

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos