27 julho 2017

4

Outlander - A Cruz de Fogo - Parte II - Diana Gabaldon! [Resenha #359]



Depois de toda a aventura na Escócia, na França, nas colônias da América e pelos estados americanos do Sul, finalmente o casal Jamie e Claire está acolhido na Cordilheira dos Fraser já há algum tempo, com diversos personagens que estiveram com Jamie na cadeia de Ardsmuir ou lutaram com ele na batalha jacobita. 

Agora com Roger e Brianna em sua própria casa, junto de seu pequeno filho Jeremiah, com Claire atendendo em seu consultório e Jamie seguindo como um líder de terras, tudo parece ter voltado a sua santa paz. 

Mas uma guerra está prestes a interromper todos os cantos da Cordilheira dos Fraser. Os Reguladores estão revoltados com as altas taxas dos impostos cobrados pela Coroa Britânica e decididos a fazer justiça com as próprias mãos planejam entrar em conflito com o poder deles para contestar sobre tudo o que eles perdem o tempo todo para tentar pagar por aquilo que é deles de direito. A questão é que agora o governador da Carolina do Norte convocou Jamie para liderar um grupo a lutar contra estes Reguladores, mesmo que alguns sejam amigos dos escoceses.

E uma emboscada vai fazer com que um personagem importante seja atingido friamente marcando e refazendo toda a história contada até agora, mesmo que seja um dos seus antepassados que faça com que ele sofra um trauma infindável.

Outras histórias chegam para dar continuidade quando já se imaginasse que estivesse resolvido. O famoso ouro francês que se encontrava desaparecido surgiu ao se revelar um mistério e o amor que é construído ao longo dos anos faz com que mais um ente querido volte para casa.

E a nova realidade de uma descoberta desperta um temor em Jamie. Um diário de um viajante detalha a vida em um futuro igual ao de Claire e como ele conseguiu atravessar uma passagem e chegar naquela época. A dúvida que assolava a família sobre o destino de uma futura guerra ou doenças é declarada real com a leitura do diário e o que poderia parecer um alívio, se torna um medo maior.





Autora: Diana Gabaldon
Título Original: The Fiery Cross 
ISBN: 9788580416862
Páginas: 592
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: Arqueiro







E cheguei ao final do quinto livro, que pela edição da editora Arqueiro foi dividida em duas partes, então cheguei literalmente ao final do quinto livro todo. E cada vez que termino um livro de Outlander parece que vivi junto da família Fraser e um leque de oportunidades de abriu à minha frente e mesmo assim fico esperando e querendo cada vez mais.

No início desta segunda parte eu considerei que tudo seria baseado na parte histórica sobre a guerra dos Reguladores, que realmente aconteceu naquela época e que Diana Gabaldon pesquisa a fundo e descreve com muitos detalhes para que o leitor consiga entender cada passo dado. Até então eu imaginava ser totalmente violento, mas como sempre Diana usa parte do livro para dar foco no início desta revolução e depois disto dar uma vasão em algo tão profundo que foi um dos auges desta segunda parte.

Apesar de Claire e Jamie serem tão importantes, o personagem que mais vai aparecer desta vez é Roger, já que ele começou sendo um personagem superficial e aos poucos vai se transformando em um novo homem que mesmo com a criação de um século futuro, precisa se adaptar as novas funções e tratativas masculinas da época. Como Diana gosta de pegar bastante pesado e fazer valer a verdade das ações, o que acontece neste volume chega a causar um pânico e eu comparei com os traumas do primeiro volume, não em coincidência de fatos, mas com a crueldade cometida.

Adoro como sempre a habilidade da demonstração do cenário, o detalhamento da natureza, os nomes de árvores, plantas, animais. Conforme foi acontecendo a evolução da civilização, também houve descobertas que a Diana vai abastecendo o leitor envolvendo os personagens. A questão dos índios é outra questão que eu gosto bastante, principalmente pelo fato de que sabemos que eles foram massacrados no futuro.

No final deste volume há uma surpresa bastante boa, que eu esperava que fosse acontecer, mas não neste momento. Fiquei altamente feliz apesar de saber que uma ação sempre gera uma reação. Diana tem o dom de tirar personagens da cartola quando menos se espera e assim dar continuidade a algo muitas vezes até esquecido.

Lógico que o livro termina de uma forma concreta, mas que deixa rastros para algo que causa um temor. E é por esta razão que a saga de Outlander é tão querida pelos fãs e que eu indico de todo coração. Cada livro prende mais que o outro e os personagens são tão amáveis que mesmo o mais cruel como Frank Randall acaba fazendo falta quando não aparece.


4 comentários:

  1. Oi Greice, também me sinto dentro da história, talvez pelo tempo que acompanho a serie, mas acho que mais pelo talento da autora mesmo. Diana detalha muito bem mesmo seus cenários, eu consigo enxergar tudo o que ela fala. Agora estou contando os dias para o próximo volume Espero que não demore tanto.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo tudo o que ela escreve. Ela é maravilhosa!

      Excluir
  2. Olá Greice, nossa eu fico passada que deixei a leitura dessa história passar, mas pretendo um dia me aventurar por essas páginas. Eu vi um pouco da série e fiquei fascinada. Bjkas

    ResponderExcluir
  3. Amiga, preciso confessar que não li sua resenha (ainda) porque estou com o meu livro aqui para ler assim que terminar de ler o outro e nem li a sinopse dele porque não quero saber nadinha a respeito. A louca, né? Sei que essa parte 2 vai arrasar meu coração (como sempre Diana faz) e quero ter toda essa experiência de leitura com as surpresas do livro. Depois que eu ler, volto aqui para conferir tua resenha.

    Beijooooo

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos