05 julho 2017

4

O tal do Leitor Sensível e a polêmica!


Eis que uma autora nacional publica um comentário assim em sua página no Facebook. O nome dela é Raquel Pagno e tem alguns livros publicados. Livros de fantasia e com um tema pesado. Ela se sente ofendida com a questão de agora no mercado editorial ter a questão dos leitores sensíveis e está colocando para o mundo ler comentários (indigestos) como este.

Mas afinal, qual é a verdadeira questão sobre os leitores sensíveis?

Sabe aquele momento em que alguma vez você sofreu algum tipo de humilhação na vida? Algum tipo de chacota ou ofensa da qual não tinha como se defender ou até mesmo sabe que todos os dias alguém vai falar alguma coisa sobre qualquer especificação sua: cor de cabelo, seu jeito de se vestir, a sua opção sexual, qualquer opção que você tenha na vida? E você lembra a dor que dá ter que passar por isto sempre?

Então foi pensando nisto que surgiu a adequação de contratar os leitores sensíveis que agora analisam nas publicações que vão estar sendo lançadas o que pode estar ofendendo o leitor de alguma forma. Mas não pense que se um livro fala sobre racismo será uma pessoas caucasiana que fará o trabalho e sim uma pessoa que sobre algum tipo de racismo para que assim possa decifrar e entender se a linguagem ali escrita estará ofendendo realmente o leitor.

A pergunta que fica é? Isso de fato agrada ou desagrada?
Algumas pessoas não gostam de ler livros um pouco mais pesados e eu acredito que deva haver algum tipo de classificação ou aviso na sinopse ou em algum lugar da capa ou contracapa que avise o leitor que pode conter palavras ofensivas sim. 
Quantas vezes já me deparei com histórias em que eu pensava que aquilo estava sendo muito forte e até mesmo pulava algumas páginas. Isto não é de forma alguma deixar de ler a obra por acreditar que não se deva acontecer, até mesmo porque algumas histórias servem exatamente para isto: para ensinar a como lidar com algumas situações. 

Os autores se sentem ofendidos pelo fato de que suas obras podem ser modificadas, mas um negro não vai querer ler uma obra onde fica sendo ofendido o tempo inteiro, a não ser claro, que seja algo em que esteja sendo avisado sobre a questão. O fator em que considero isto viável é que há livros sobre abusos sexuais contra mulheres, por exemplo, que sei que dói em mim, mas me serve como lição para fortalecer. Mas é humanamente importante sempre estar atento aos fatos e formas de serem abertas ao público.

A editora Seguinte foi a primeira a ter a experiência de contratar uma leitora sensível e o que a Nathalia DiMambro relata é muito real:

"Quando um autor escreve sobre uma minoria da qual não faz parte, pode sem querer reforçar estereótipos ou usar termos que sejam mal interpretados."

Ou seja, quando escreve-se sobre algo em que muitas vezes não há experiência pode-se passar o ponto e então alguém que tenha um maior conhecimento sobre o assunto pode dar uma opinião melhor.

Ainda vai gerar muita discussão e polêmica, mas acredito que existem mudanças necessárias já que as pessoas se tornaram mais emotivas e em busca de valores maiores.



4 comentários:

  1. Oi Greice! Eu vi comentários superficiais sobre a polêmica, mas fui procurar a matéria do jornal e entendi o porquê, coisa que é bem justificável, né? Como você falou tem muita gente que pega pra ler um livro e como não há aviso pode causar algum desconforto aquele que lê. Não conhecia a autora em questão, mas hoje faço questão de não ler nada. Se a mulher que escreve não sabe interpretar nenhum texto ou ter empatia por alguma dor de alguém, não creio que suas obras seria boas pra mim.
    Enfim, espero que gere polêmicas e vários debates para aqueles que não entenderam, como a autora, possam compreender do que se trata o Leitor Sensível.
    Ótima postagem!
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que sim, mas as pessoas não acabam lendo tudo e tiram suas conclusões. E acham que todo mundo é sensível e não que é uma profissão que faz bem a todo mundo, como uma classificação em filmes e televisão!

      Excluir
  2. Oi, Greice. Tudo bem?

    Amei esse texto. Inclusive, já fiz trabalhos de leitura crítica e apontei esses aspectos aos autores. Misoginia, machismo, homofobia, abordagem negativa de persongens fora do padrão estético etc. É importante, sim, segurar a onda nesses aspectos!
    Parabéns pelo texto. Amei.

    Mais uma coisa: Vi um comentário seu numa resenha sobre o meu livro. Se tiver interesse, entre em contato pelo meu facebook: Hugo Dalmon - pra gente tentar uma parceiria.

    Bjs no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz uma diferença enorme ter estes aspectos apontados né? As pessoas precisam entender isto.

      Excluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos