03 julho 2017

9

O Ceifador - Neal Shusterman! [Resenha #356]





Ceifadores: seres humanos que são treinados durante o período de um ano para ter aptidão de tirar a vida na era da pós-mortalidade de diversas formas, sendo com armas de fogo, facas, venenos, luta corporal. Na era da pós-mortalidade a morte natural já não existe mais. As pessoas conseguiram romper a barreira de sentir medo de doenças, de perder pessoas já que agora a regra é que qualquer acidente que leve a pessoa para a morte a faça ser revivida. A única morte certa é quando um ceifador cumpra a sua meta e a escolha de alguma forma.

A Nuvem-Cúmulo é a governadora de tudo. Na verdade não existe nenhuma modalidade de governo. Ela é somente quem cuida de tudo, quem conhece tudo e quem sabe de tudo. Quem autoriza e aceita o que acontece no mundo. Não deixa acontecer falta de comida, poluição, violência ou qualquer coisa ruim do mundo antigo.

Citra e Rowan são dois adolescentes que vivem normalmente no novo mundo. Logicamente não são os mais populares na escola, mas sempre possuíram boas intenções. E é por esta razão que o Ceifador Faraday os escolheu para serem treinados por um ano para que após este tempo um deles seja escolhido a se tornar um novo Ceifador.

A questão é que apesar de A Ceifa ter sido criada para ter uma moral elevada e colocar a ordem entre a população mundial, muitos ceifadores querem ganhar com o seu poder. Como eles podem dar imunidade para as pessoas por um ano, são agraciados por bajulações, dinheiro e muitos presentes. E alguns deles querem mais do que isto. Querem poder matar pessoas sem cotas, querem mudar o sistema.

Assim, a mudança entre os ceifadores, a disputa entre Citra e Rowan, o mistério envolto sobre o desaparecimento de um ceifador importante e o interesse das pessoas comuns vai tornar tudo uma intriga real como se em um mundo cheio de prosperidade estivesse prestes a ruir novamente.


Autor: Neal Shusterman
Título Original: Scythe #1
ISBN: 9788555340352
Páginas: 448
Ano: 2017
Gênero: Fantasia
Editora: Seguinte





 

Para quem não conhece o autor Neal Shusterman eu posso dizer que me apaixonei pela escrita dele inicialmente pela saga Fragmentados publicada pela editora Novo Conceito. Agora com a publicação da saga O Ceifador a fama sobre a questão do autor realmente saber escrever uma história de fantasia se torna mais do que verdadeira. É impossível começar a ler e não gostar. As páginas passam tão rapidamente que eu nem sequer percebo que o tempo passa. É uma obra que dá vontade de ler um livro após o outro.

O mais interessante sobre a questão de O Ceifador inicialmente é que ele cria um mundo onde não há mais mortes naturais, não há mais violência, perigos, falta de comida, poluição, guerras, pobreza ou qualquer condição ruim que enfrentamos hoje. E é com isto que o leitor consegue parar e pensar como seria viver em um lugar deste tipo, onde a única coisa que amedronta de verdade é a de ser coletado por algum Ceifador.

Há também o detalhe da imortalidade. Ninguém morre mesmo querendo. Se a pessoa sofrer um acidente ou tentar se matar, ela é revivida sempre. Não sente alguma dor ou sofre de qualquer sintoma pois em seu sangue e corpo existem anticorpos e anestésicos que tratam a dor e qualquer machucado. É como viver sem algum tipo de motivação. Há a renovação de idade para quem quiser voltar a ser jovem até os vinte e um anos de idade, mesmo que já tenha mais de cem anos. 

E é neste paralelo que Neal Shusterman vai criar um ambiente e uma história incrível, com uma forma de fazer pensar diferente, da mesma forma que fez com a saga Fragmentados. É impossível não pensar se é desejável viver no mundo da mesma forma como ele criou ou se é melhor continuar a viver em um mundo como o nosso.

Será que ser um Ceifador é algo importante ou até mesmo desejado? Será que é correto a pessoa que deseja morrer não ter esta opção? É uma influência de ideias tão grande que ler este livro transforma as ideias em um borbulhão de pensamentos. Os capítulos são ordenados pela visão de Citra e pela visão de Rowan, cada um com um caráter diferente e conforme eles vão sendo moldados, cada um vai tendo uma perspectiva diferente ao mesmo tempo em que cada um também vai tendo a personalidade do treinador.

O segundo volume está previsto para ser publicado lá fora no dia vinte e um de novembro e eu já espero ansiosamente pela publicação aqui no Brasil. O final deste primeiro livro termina de uma maneira que causa uma ansiosidade sem fim e ficar esperando tanto tempo é como esperar um seriado por anos. Mas a boa notícia é que esta saga está sendo transformada em filme e espero que não me decepcione.

Pelo que dá para ver com as obras do autor, tem tudo para causar orgulho aos fãs. Pelo menos eu coloco minha mão no fogo ao que li até agora. Uma fantasia completamente perfeita!





9 comentários:

  1. Oi Greice, eu ando de olho neste livro, ainda mais depois que soube melhor sobre o enredo. Este negócio de alguns ceifadores se aproveitarem do poder que possuem é tão atual né?
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Greice menina, já tinha visto esse livro pelas redes sociais mas a princípio não tinha dispertado minha curiosidade. Mas agora lendo suas impressões confesso que fiquei bem interessada nessa Distopia. Valeu pela indicação e vamos torcer juntas para que o próximo ser lançado logo. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há nada pior do que ler livros sem ter continuação e a gente não ficar sabendo do que acontece, né?

      Excluir
  3. Olá,
    Ainda não li nada do autor e tenho que dizer que as outras capas aqui apresentadas me agradaram mais do que a que temos rsrs
    A premissa é bem interessante e, ao meu ver, bem inusitada e ousada.
    Eu não creio que ceifadores sejam tão desejados e fiquei curiosa para saber um pouco mais sobre a imortalidade presente na trama. Não sabia que seria uma série, mas fico feliz por já ter previsão de lançamento do segundo volume.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que achei as capas um pouco fortes demais. Se tu ler tu vai entender que a capa selecionada é bem melhor do que estas que parecem mais mortais.

      Excluir
  4. Eu gostei muito da escrita desse autor em Fragmentados e desde que vi a capa desse livro, fiquei com muita vontade de ler. Achei muito interessante a tua resenha e agora estou ainda com mais vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tu vai adorar este livro se tu gostou de Fragmentados.

      Excluir
  5. Essa história parece ser bem reflexiva !!! Imaginar uma realidade como a que o autor criou deve dar um nó na mente ao mesmo tempo que deve ser bem interessante.Nunca compraria esse livro pela capa,mas sua resenha despertou meu interesse. Lembro que não li Fragmentados por conta da sinopse e capa,mas acho que perdi a chance de conhecer um autor competente no que faz.


    bjsssss

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Esse é um dos lançamentos recentes que estou bem curiosa em acompanhar. Achei bem interessante a trama, e de fato parece ser bem reflexiva, e só vejo comentários positivos sobre ela.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos