07 maio 2017

12

Sempre Haverá Você - Heather Butler! [Resenha #351]


George é um menino de dez anos e seu irmão Theo tem nove anos. Eles são bastante amigos e geralmente fazem tudo juntos. Menos na escola em que estudam, já que George costuma ficar com o seu melhor amigo e evitar as confusões com o Carl, um garoto que adora provocar problemas e confusões e não tem nenhum tipo de educação.

Os irmãos ganharam um presente que amam demais: Goffo. O nome estranho vem do amor de sua mãe por um artista famoso, Van Gogh. Goffo é um cachorro louco e destrambelhado que foi adotado junto com seu irmão, mas que a avó deles resolveu ficar e adestrar para que se tornasse um cão educado, o que Goffo está longe de ser.

O pai de George já não tem mais sua mãe viva, mas seu avô casou novamente com uma senhora que fabrica apontadores sofisticados e cheios de animação, todos os tipos que as pessoas querem e está sempre tentando alegrar todo mundo, mesmo estando há pouco tempo na família.

Já a avó e o avô por parte da mãe dos meninos são mais rígidos. A avô é do tipo que somente com o olhar consegue deixar todo mundo com medo e fazer com que todos aceitem a sua opinião sem pestanejar. Mas também dá ótimas dicas e sempre ajuda na educação e no cuidado das crianças.

Isto sempre foi a vida feliz dos meninos. Até que sua mãe começa a apresentar sinais estranhos e as conversas sussurradas começam a acontecer, sem que George ou seu irmão possam participar. E aos poucos eles percebem que sua mãe visita sempre uma amiga que eles não conhecem, ou que está indo a um hospital para ver coisas. O que eles começam a pesquisar e descobrir é que a mãe que eles tanto amam e que brincam sempre com eles está doente e agora eles precisam lidar com toda esta dor e confusão.



Autora: Heather Butler
Título Original: Us Minus Mum
ISBN: 9788581637150
Páginas: 256
Ano: 2017
Gênero:  Drama
Editora: Novo Conceito
Livro cedido em parceria com o site Thunderwave.com








Esta é a primeira leitura que faço desta autora. Esta obra foi indicada em 2015 lá no exterior a diversos prêmios e preciso dizer que ela é bastante voltada para um público infantil e infanto-juvenil.
O nome que a Novo Conceito selecionou para o Brasil até dá uma deixa que é uma drama e se você for ler a sinopse até vai entender do que se trata o livro, mas posso dizer que a definição do nome real com tradução livre (Nós menos Mamãe) é muito mais tocante e bem mais focada no público ao qual é indicado.

Ao ler a obra dá para entender o conceito que a autora qui repassar. Não é mais um livro só sobre uma pessoa que fica doente e sim sobre como uma criança passa por esta experiência e como ela vê tudo isto sem os olhos que costumamos ver, ou melhor, sem pensar tanto nas consequências habituais.

Aos poucos em cada início de capítulo George conta alguma coisa sobre ele, sobre sua vida ou sobre algo aleatório e no capítulo vai mostrando o fato como se fosse um diário, narrando a história como se fosse mesmo uma criança contando, com sentimentos e sensações. É uma interação interessante para quem não está acostumada a ter este tipo de leitura, já que quando eu imagino uma história em que crianças enfrentam a lida de uma doença com alguém tão próximo, imagino algo complexo, cheio de falas e a obra é simples e ao mesmo tempo sensata.

A questão do cão não me pareceu muito que tenha sido focada diretamente no intuito da obra, acho que serviu mais para salientar o quanto um animal de estimação é importante para qualquer ser humano, ao dar apoio emocional, ao dar amor, carinho e atenção.

Não há muita coisa apresentada sobre a doença da mãe ou sobre tudo o que acontece. É bem leve e nada que vá fazer chorar. É só uma forma de mostrar o desembaraço da trajetória toda. O legal é ver a união familiar, dos amigos e das pessoas próximas. O quanto isto é de total importância em certos momentos.

É uma leitura para quem quer compreender mais o mundo infantil e infanto-juvenil mesmo. Fora isto, não há uma grande história a ser contada.


12 comentários:

  1. Oi Greice, tudo bem?

    Eu não li ainda, mas uma amiga e colaboradora do blog amou esse livro. Pela resenha e pela sinopse parece ser uma história muito gostosa de acompanhar!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi Greice, sua linda, tudo bem?
    Também gostei mais do título "Nós sem a Mamãe" e parece ser mais condizente com o enredo. Eu gosto de leituras leves e voltadas para um público mais jovem por causa das mensagens. Sempre me emociono quando há valores de família e aqui mais pois todos irão se unir em torno da doença de um ente querido. Dica anotada!!! Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Eu nem interessei pela obra por essa capa e por querer ler algo da autora, que sempre falam tão bem. Sabe um pouco mais da história, só me deixou curiosa. É intrigante observar como certas situações afetam as crianças, elas nunca agem como o esperado. Por ser uma livro leve, se fomos considerar o drama envolvido, acho que farei essa leitura antes do que eu previa.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? O livro divide opiniões. Já uma resenha falando que ele faz chorar sim, e aqui você diz que talvez não seja para tudo isso. De fato a gente consegue perceber a diferença que as histórias tocam nas pessoas. Eu confesso que sou manteiga derretida e com cachorro no meio me debulho em lágrimas hahaha A capa é que é bem feinha ao meu ver, apesar de se relacionar com o enredo. E dramas com crianças eu fico longe justamente por ser manteiga derretido. É um livro a se pensar haha
    Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Greice,
    Ainda não tive o prazer de ler esse livro, mas tinha vontade. Sua resenha me deu um banho de água fria e desanimei muito de fazer a leitura, principalmente, porque parece ser um livro que começa em nada e vai a nada.
    Obrigada por compartilhar suas impressões.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. É mto tocante ler livros narrados por crianças, pois eles têm uma visão toda especial sobre a vida e seus acontecimentos. Crianças são puras e sinceras, e sempre tem algo a ensinar.

    ResponderExcluir
  7. OOi!
    O que mais acho interessante no livro é exatamente o fato de podermos saber como a própria criança vê sua situação. Parece ser uma ótima leitura, desde a primeira resenha que li dele já me interessei. haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, achei o livro fofo. O George parece ser bem fofo. A idéia do livro é bem diferente do que ando vendo para um livro infantojuvenil. Acho que me emocionaria bastante ao ler esse livro.

    Nunca tinha visto nada dessa autora pelos blogs em que visito.

    A resenha ficou maravilhosa, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Hey!

    Não conhecia o livro, a capa é diferente, mas não chegou a me atrair. Gosto de livro que tratam o universo infantil e infanto-juvenil, mas não sei se apreciaria leitura deste. Vou passar a dica.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Oii Greice, tudo bem? Gostei da resenha e saber tua opinião sobre a obra. Eu li esse livro e simplesmente amei. Eu adoro dramas, e se é narrado por crianças então... choro na certa. E foi o que aconteceu com esse aqui, chorei! hahaha

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia esse livro, e achei a história bem gostosa, adoro livros com animais, eles são ótimas companhias e de alguma forma aliviam a dor no ambiente. Gostei da premissa, mas se visse esse livro na livraria, a capa não me atrairia,mas lendo a sua resenha gostei e espero poder conferir!

    Beijos!
    https://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Como é mais focado nesse mundo infantil e infantojuvenil mesmo, acabei não me interessando pela leitura. Adoro um drama, mas algo com que eu me identifique mais, gosto de leituras juvenis mas de aventura, fantasia ou que me lembrem da minha infância/ adolescência, e não é o caso dessa. Mas mesmo assim é uma ótima dica para presentear leitores mais novos!

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos