21 maio 2017

5

A Última Camélia - Sarah Jio! [Resenha #352]




No século XVIII uma camélia rara estava sendo procurada pela Inglaterra depois que a última havia sido destruída no jardim da família real britânica. Em outro jardim a mesma camélia se escondia e uma pessoa sabia que precisava esconder aquela joia rara para que outras pessoas usufruíssem de sua beleza.

Agora, na década de 40, Flora precisa achar um jeito de ajudar seus pais a obter dinheiro, já que a padaria deles está indo mal e os cobradores estão aparecendo querendo o dinheiro das dívidas. Mesmo que seu sonho seja trabalhar com botânica, já que sempre passeia pelos belos jardins de Nova York, ela acaba aceitando um emprego como babá em uma mansão na Inglaterra onde mais tarde descobre que o que parecia ser um sonho na verdade é somente uma mentira para que descubra sobre uma flor rara e uma forma de como roubá-la.

A mansão Livingston é uma casa imponente. O Lorde Livingston mora com seus cinco filhos, mas agora precisa administrar a dor da perda de sua mulher, que amava os jardins de camélias e que também mantinha uma estufa em um dos quartos do sótão. O Lorde trazia as mais diversas flores de todos os cantos do mundo para sua felicidade, mas parecia que nada conseguia trazer o sorriso de volta depois que ela fora embora dos Estados Unidos. E agora a sua morte gerava um segredo imenso, deixando os filhos pequenos sozinhos, já que o Lorde se mostrava cada vez mais confuso.

Addison está comemorando um ano de aniversário de casada com Richard, nos anos 2000. Porém ela tem um segredo desde a adolescência e parece que ele não consegue deixar ela em paz já que um suspeito a está seguindo há muito tempo. Ela precisa sumir de alguma forma, mesmo tendo que deixar seu amor pela criação de seus jardins. E a oportunidade surge quando os pais de seu marido oferecem uma mansão no interior da Inglaterra para que passem o verão.

Assim, passado e presente se unirão para que um mistério seja desvendado. Uma mistura de amor, dedicação, medo e segredos enlaçados que farão um destino mudar completamente.



Autora: Sarah Jio
Título Original: The Last Camellia
ISBN: 9788581638355
Páginas: 304
Ano: 2017
Gênero:  Drama
Editora: Novo Conceito
Livro cedido em parceria com o site Thunderwave.com






 




Eu tenho a tendência de parecer suspeita em falar de uma nova obra de uma autora a qual eu sempre gostei bastante. E logicamente não é diferente com a Sara Jio. O primeiro livro As Violetas de Março já foi o suficiente para conseguir me entrar totalmente e depois com Neve na Primavera que tem o mesmo estilo de A Última Camélia, e então O Bangalô, fez com que ela entrasse com total certeza na minha lista de autoras favoritas.

Eu sou a favor de capas que chamem a atenção também. Lógico que a Novo Conceito conseguiu seguir o parâmetro da história e eu ficaria encantada se estas internacionais também fossem publicadas. Mas adoro quando o cenário dedicado à contar a trama é em uma mansão antiga, cheia de um mistério, com uma vida centenária, jardins exóticos, diversos cômodos e a decoração antiga bem delineada e destacada fazendo com que a leitora fique imaginando como é estar naquele cômodo sentindo a sensação, a emoção e o conforto. E é exatamente como a Sarah Jio faz na narração.

Quando uma autora também tem a tendência de utilizar o passado e o presente intercalados é preciso ter uma atenção especial para não se perder o foco, já que muita coisa pode ficar sem um final, mas nesta obra vê-se a vida de duas mulheres em diferentes épocas tendo que lidar com um sonho destruído e encarando um esforço para manter pessoas que amam em segurança. Adorei ver Flora passando pela época dos anos quarenta, conhecendo a mansão Livingston, a grandeza dos jardins detalhados, o estilo de vida dos filhos pequenos, até a forma como foi a viagem de navio dos EUA até a Inglaterra.

O mistério que é levado do início ao fim também é intrigante, mesmo que tenha sido mais leve do que nos outros livros da autora. Mas o suspense em volta do que aconteceu com a ex-mulher do Lorde gera um conteúdo histórico agradável e se você gosta de histórias de romance com uma pitada de drama vai gostar de ler este livro, já imaginando como Flora conseguiu encarar todos os desafios, que foi o que mais me marcou.

O final e a resolução do mistério foi bastante rápido, o que eu queria que houvesse mais e mais, porém foi satisfatório. Não há como não gostar dos livros da autora, pois você se apega aos personagens e eu adoro o estilo antigo da história.

Espero que a Novo Conceito continue publicando os livros da Sarah Jio, pois é como entrar em um paraíso, ir e voltar no passado e no presente e sempre querer mais e mais.






5 comentários:

  1. Não conheço os livros dessa autora ainda. Pude perceber pela resenha que, além da história principal, há histórias secundárias que permeiam a obra. Pareceu interessante. Pena que o final foi rápido, mas ainda assim parece bom por prender tanto.

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Não conhecia o livro, mas estou intrigada. Amei a premissa, agora o que me deixou curiosa é esse segredo da Addison que ela guarda desde adolescência. Que segredo é esse? Amo isso nos livros de época.
    Adorei a resenha e espero ter a oportunidade de ler o livro em breve.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Hey!

    Não conhecia a obra, fiquei confusa com o resumo inicial do livro, no geral não costumo ler livros que fazem um paralelo temporal, justamente por causa da dificuldade que é tratar de duas épocas. Creio que a leitura não será muito satisfatória para mim.

    Bjos.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Greice.
    As capas de fato são realmente bem chamativas.
    Costumo gostar de histórias em que os tempos da narrativa são intercalados, então junta isso com o mistério e o livro me conquistará por completo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Olá adorei o livro a premissa e capa, sua resenha ficou muito bem feita de fácil entendimento, gosto bastante de livros do gênero, e já tinha visto o livros em comentários por ai, já adicionei nos desejados, beijos!

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos