19 março 2017

5

Desintegrados - Neal Shusterman! [Resenha #345]


O Cemitério é o lugar onde os Desintegrados agora habitam tranquilamente após conseguirem fugir e se esconder por um bom tempo das garras dos que querem pegar os fragmentários para que as pessoas possam ocupar as partes de seus corpos. Na verdade, ser um desintegrado, o novo nome dado a um fragmentário é algo novo e estar no Cemitério realmente é só uma jogada, já que os Juvis sabem que eles estão escondidos no deserto do Texas, em todos aqueles aviões com Connor sendo o grande líder desde que conseguiu fugir do campo de colheita Happy Jack e fazer o mundo acreditar que ele está morto.

Risa Ward já não teve a mesma sorte no momento da fuga, sendo que na explosão o seu corpo foi danificado e ela não aceitou de forma alguma receber uma nova coluna de um fragmentado, ficando assim presa em uma cadeira de rodas. Já estava com seus dezessete anos e logo estaria fora da situação de ter medo de ser pega. Sua vida no cemitério ficara mais difícil pela questão da locomoção, mas continuava com sua jornada médica e não deixaria a causa por nada.

A questão é que agora um novo conceito estava se formando. A multiplicação de fragmentados através da criação e união de muitos corpos miscigenados estava criando algo surreal e a cobaia é Cam, um garoto com todos os tipos de pele. 

Lev escapou por muito pouco da explosão no campo de colheita, sendo que fez parte de quem resolveu explodir tudo. Mesmo que fosse um dos batedores que destruíram tudo, resolveu não morrer na causa, mas foi preso e obrigado a colaborar com ela. Isso antes de conseguir fugir para se tornar o herói de muitos jovens.

A verdade é que Risa Ward vai ser chantageada para colaborar com a causa de Cam, em que ser fragmentado é a coisa correta a ser feita, isto para não perder o seu grande amor Connor. Ao mesmo tempo em que Lev não aguenta mais ser visto como um salvador, eles irão lutar contra um governo que quer destruir e matar milhares de jovens, mas que não imagina que estes mesmos jovens são mais poderosos do que imaginam.


Autor: Neal Shusterman
Título Original: Unwholly
ISBN: 9788581638102
Páginas: 416
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Suspense / Distopia
Editora: Novo Conceito





 

Como não amar Neal Shusterman? Como não amar uma saga de distopia que coloca uma questão sobre aborto, dificuldades na adolescência e os problemas familiares em questão tudo em uma história eletrizante não somente em um livro, mas em quatro? 

É este fato que o autor conseguiu criar até agora em Fragmentados e na continuação Desintegrados. O que parecia estar até então já exposto em um só livro conseguiu se sobressair e ser elevado a uma potência de aventura e destaque ainda maior, que fez com que eu não conseguisse largar o livro até o término da leitura.

Este volume traz a consequência dos fatos ocorridos em Fragmentados, mostrando como a vida dos personagens principais de Risa, Lev e Connor continuaram e o que eles conseguiram conquistar após a saída de outros personagens importantes. Não é um livro que somente vai mostrar o que aconteceu como também vai dar a sequência a outros assuntos como a amizade, o amor, a rivalidade, a inveja e em temas também políticos.

É um tema bastante conflitante a questão em que se imagina que hoje pensamos em doar os órgãos após o falecimento de uma pessoa, mas em Desintegrados e na saga a questão é feita com a visão de que tudo seja feita em vida e abre um assunto mais abrangente sobre a questão do não aborto, mas a consequência após esta decisão, já que a fragmentação ocorre dos treze aos dezoito anos.
Não vão faltar cenas de ação como no primeiro livro, como também tem cenas calmas e explicativas sobre o que aconteceu anteriormente. Não é um livro que dá para ser lido sem a primeira parte mas termina como se não fosse imaginado uma sequência de mais livros, apesar de que a leitura faz com que este desejo aconteça.

Espero que a Novo Conceito continue a publicação da saga para saber o total desfecho da obra e dos personagens, os quais acabei me apegando de alguma forma, tanto pela luta e pela coragem, como pelo amor ao próximo.

Neal Shusterman sabe escrever para os jovens, mas consegue alcançar um público bem maior, já que não escreve de um jeito infantil e monótono. Pontos para ele.




5 comentários:

  1. Oi Gre,
    Nossa fiquei motivada com a tua resenha, pois mesmo não tendo lido o primeiro volume, agora fiquei curiosa com essa história. É fantástico quando um autor que pensa que somente atrairá jovens, pega partes dos adultos.

    Boas leituras. Bjos Elis.
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Greice, não conhecia o livro, e apesar de ter achado o enredo interessante, não é um livro que leria por agora, ainda mais por ser de uma série que não está completa ainda.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Desconhecia completamente a saga!! E menina, me deixou até sem fôlego acompanhar sua resenha!
    A premissa é bem interessante e gosto muito de distopias! Fiquei intrigada para conferir como Neal consegue discorrer sobre temas tão complexos a meu ver como aborto.
    Dica anotada.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  4. Olá, Greice!
    Não conhecia o livro nem o autor, mas adorei o fato de vc ter amado o livro e a premissa.
    Não seria minha primeira escolha de leitura (por algum motivo, não me chamou tanto a atenção, sabe?), mas quem sabe se um dia estiver no clima ela não entra na fila? rs
    Bjocas,

    www.umdiamelivro.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá Greice, que livro instigante, adorei a resenha sobre ele. E claro quero ler esse livro, gosto desse estilo de aventura e distopia e faz tempo que não leio nada do gênero. Dica anotada. Bjkas

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos