28 fevereiro 2017

0

O Homem mais Inteligente da História - Augusto Cury! [Resenha #342]


Marco Polo é um psiquiatra, pesquisador e psicólogo que não acredita em Deus e na sua grandiosidade, principalmente pela visão religiosa. É casado com Anna, uma psicóloga que cuida de pessoas com depressão e tem um filho adolescente. nesta esfera tudo parece simples para Marco Polo que sempre trabalhou com a gestão da emoção em seus pacientes.

Após uma conferência da ONU, Marco Polo é instigado por sua esposa a estudar a mente de Jesus pelo lado filosófico e científico e quando o psiquiatra menos espera a tragédia o afeta de diversas formas. Sua esposa adoece e seu filho cai em dependência nas drogas. Dentro de sua própria prisão mental ele, junto com sua assistente Sofia resolvem iniciar uma mesa de debate sobre a vida de Jesus.

A mesa de debate conta com Marco Polo e um amigo também cientista e mais dois religiosos que entendem bastante o conteúdo descrito por Lucas no Novo Testamente. Todo o debate acontece diariamente a partir das sete da noite e é transmitido via internet para o mundo todo e visto por alunos e demais pessoas na universidade em Jerusalém, onde se encontram.

A vida de Jesus aos poucos vai sendo contada por uma ótica religiosa e filosófica, sendo analisada por todos os integrantes da mesa, mas também todas as pessoas que estavam com Jesus antes e depois do seu nascimento vão ter suas personalidades analisadas para ver como lidavam com a gestão da emoção.

Aos poucos acontecimentos estranhos e acidentes graves começam a acontecer, fazendo com que os integrantes percebam que o que eles estão fazendo talvez seja uma coisa que algumas pessoas não desejam que outras realmente venham a descobrir.


Autor: Augusto Cury
Título Original: O Homem mais Inteligente da História
ISBN: 9788543104355
Páginas: 272
Ano: 2016
Gênero:  Romance 
Editora: Sextante







Para entender melhor a minha resenha crítica preciso explicar um ponto básico da minha personalidade: eu amo livros que falam sobre questões emocionais, psíquicas ou que de alguma forma entonem características das pessoas. Tenho esta sede de conhecimento em saber como as pessoas são e agem de acordo com a sua personalidade, porém sou meio resoluta em ler livros de auto-ajuda já que parece que muitas vezes a intenção do livro é passar informações positivas e não dar a explicação de como exercer um meio de chegar ao efeito desejado do que repassa.

A minha explicação acima foi para mostrar que por muito tempo eu fiz a besteira de ficar longe dos livros de Augusto Cury por considerar que ele era um autor de livros de auto-ajuda e que assim, eu não conhecendo o perfil profissional dele, não saia o que esperar dos seus livros, mesmo tendo conhecimento das opiniões positivas das pessoas que lerão os livros. E foi a vez que dei atenção para O Homem mais Inteligente da História. 

Também fico receosa em achar que livros liguem o lado de alguma religião, tendo em vista que não sou a favor de que o autor empurre alguma vontade própria para o leitor e sim que dê a sugestão e nos faça pensar. 

Quando comecei a ler esta obra já dei de cara com o que mais me interessa, um médico psiquiatra que gosta de analisar personalidades. No caso do personagem de Marco Polo, personalidades de pessoas famosas. A forma como Augusto Cury escreve é bastante simples e fácil compreensão. Ele pega em diversos pontos que até fiquei emocionada já que parecia que ele estava falando comigo diretamente sobre a gestão da emoção e de como nos deixamos atingir pela nossa mente.

A partir daí a construção e a utilização da mente de Jesus é uma grande faceta, já que as pessoas sempre ligam a religião a alguma forma de construção e então neste livro o autor forma tudo através da ciência, não deixando de colocar pontos religiosos também. Mas é tudo bastante lógico e faz pensar o tempo todo e perceber como deve-se trabalhar sobre pensamentos, atitudes e a gestão da emoção.

Cada capítulo tem um estilo de exemplo e eu que nunca li a Bíblia me peguei curiosa em todos os fatos, mesmo conhecendo diversas histórias contadas na obra. É algo magnífico e que prende totalmente a atenção. Como realmente em uma época bastante remota as pessoas lidavam com o stress, a calamidade, a ansiedade, o caos? E como isso está mais forte hoje em dia e como sem perceber sobrecarregamos nosso cérebro com coisas totalmente inúteis mas que nem sequer percebemos?

Guardar mágoas, ficar ansiosa com antecipação, rever acontecimentos, tudo isto é mostrado em como resulta de forma negativa e como ocupa um espaço desnecessário em nossa mente.

O livro tem continuação com o nome de Sermão da Montanha com previsão de lançamento em outubro deste ano e você pode ler ele tranquilamente que a continuação só vai dar mais ênfase em toda a história e os exemplos que o autor colocou. Na verdade a saga vai ser uma trilogia com um último livro denominado Amor e Sacrifício, ainda sem data de lançamento prevista, conforme as informações dadas no livro.

É uma obra santa em dois sentidos: no que se refere ao benefício da informação e ao que lida com a questão de que aquilo que não se acredita pode muito bem ser analisado de diversas formas. É perfeito!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos