16 agosto 2016

35

Apenas um Garoto - Bill Konigsberg! [Resenha #311]


Rafe ou melhor, Seamus Raphael, é um garoto que está se mudando de colégio para estudar o segundo e o terceiro ano do ensino médio em uma escola só para garotos. E isto em um estado bem longe do que ele mora. Esta decisão partiu depois de que ele percebeu que ser gay acabava rotulando sua vida em tudo e ele estava cansado demais de ao invés de as pessoas o considerarem por suas qualidades, sempre o consideravam por sua opção sexual.

Rafe decidiu um dia contar para seus pais que era gay. Nunca foi problema para ele que já sentia interesse por meninos há muito tempo e menos ainda para seus pais, que aceitaram tão facilmente quanto uma notícia qualquer. Aliás nada para eles era difícil e Rafe sempre teve todo o apoio da família. Tanto que quando os pais ficaram sabendo que o seu filho queria ir para outra escola somente para que ninguém soubesse que ele era gay, não aceitaram de forma feliz.

Também tinha Claire Olivia, a melhor amiga de Rafe, já que os outros o evitavam por ser gay. Claire Olivia é a garota engraçada e querida que entendia o amigo como ninguém e que se sentia solitária sem a presença do amigo.

Na nova escola rafe aprendeu a ser ele mesmo novamente, mas sempre escondendo a grande verdade.  Ter que conhecer todo mundo e no fundo não contar a real verdade sobre quem ele é de início parece a verdadeira ação que ele cometeu, mas aos poucos isto pode se transformar em uma grande bola de neve de problemas e magoar diversos corações.



Autora: Bill Konigsberg
Título Original: Openly Straight
ISBN: 9788580415896
Páginas: 256
Ano: 2016
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: Arqueiro








Estou aqui pensando como colocar em palavras o sentimento que foi ter lido Apenas um Garoto. Ao mesmo tempo fico olhando a capa acima que é a versão escolhida e publicada no exterior e fico me lembrando da capa de O Extraordinário de alguma forma, o que não tem nada a ver uma coisa com a outra, exceto por esta capa acima ser uma coisa muito fofa e ter tudo a ver com a história do livro, da mesma forma que a escolhida pela Arqueiro.

Apenas um Garoto é um livro adolescente, já que o personagem e a história vive no tempo do ensino médio. Mas isto não é um fator negativo porque a leitura não fica com aquela característica de leitura adolescente ou tem aqueles personagens chatos e bobos que acabam deixando tudo mais cansativo, pelo contrário, os personagens tem peculiaridades e cada um consegue conquistar pelas formas diferentes de ser.

Este livro não é sobre um garoto gay que tenta ser aceito por sua opção sexual ou então é um garoto que está passando por humilhações também pela mesma causa. Desta vez a história é bastante diferente e acho que aqui coube esta questão sobre o homossexualidade somente por um fator em que o autor se encaixava mais, por também ser gay. Mas é uma questão de rótulos. Sobre como todo mundo é rotulado por ser ou fazer algo diferente.

Pense em sua vida se você já não foi rotulado quando criança por ser cdf demais, ou por ser preguiçoso por não conseguir tirar certa nota em certa matéria. Ou rotulado por ser gordo ou magro? E isto muda de um lugar para outro. É isto que conta nesta trama. Rafe vive em uma cidade em que é rotulado por ser gay e não por todo o resto em que disponibiliza pelas pessoas e quando vai para este outro colégio é visto como um grande atleta, já que ninguém sabe sua real condição, o que não mudaria nada para alguns, mas para outros sim.

Mas também tem o fator de que você precisa começar a esconder a realidade de sua vida e assim começa a deixar de viver plenamente. Então em Apenas um Garoto o autor mostra os dois lados de uma moeda. Não há certo ou errado. É um livro para fazer pensar sobre como vemos o mundo e como cada um vê a si e ao outro e como cada um lida com isto.

Eu achei engraçado a forma como os personagens se encaixam. Cada um no seu estilo e ao mesmo tempo com atitudes hilárias que faz com que a história passe rápido. É um livro experimental e ao mesmo tempo lógico. Bill Konigsberg acertou ao demonstrar que rótulos podem frustrar pessoas, mas podem frustrar mais ainda quando decidimos não sermos aquilo que sonhamos.



35 comentários:

  1. Olá
    Eu nunca tinha lido nada sobre esse livro, apenas tinha conhecimento pela capa. Seus comentários e a própria premissa me despertaram muita curiosidade. Essa questão de rótulos é mesmo muito complicado, mas que bom que o autor conseguiu encaixar bem os estilos e as cenas de um modo geral. Espero poder ler também porque já anotei na minha lista de desejados.
    beijos, Fer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, para mim não foi uma livro sobre um garoto gay e sim sobre uma vida cheia de rótulos.

      Excluir
  2. Olá
    Eu adorei a editora Arqueiro ter trago um livro com essa temática, e a obra parece ser muito mas muito boa mesmo, pois as resenhas são sempre cheias de elogios! Eu quero muito ler esse livro, o mais breve que eu consegui rsrs. Eu achei essa capa um arraso também. Até mais vê amore
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POis é, a Arqueiro sempre traz capas inovadoras!

      Excluir
  3. Greice, ainda não tinha parado pra ler nenhuma resenha do livro e gostei demais das suas considerações. Além da representatividade da obra e acho que o tema da homossexualidade deva estar mais presente na literatura de uma forma geral, o que mais me chamou a atenção, foi você pontuar sobre os rótulos que cada um carrega, sendo diferente ou não.
    Quero ler, pra ontem!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, porque temos já livros sobre a questão da homossexualidade, mas agora também é sobre isto e sobre ser rotulado com isto.

      Excluir
  4. Olá Greice,
    Quando li outras resenhas desse livro fiquei bem surpresa ao saber da temática, pois eu não imaginava que era isso, sabe? Não é um livro dobre ser homossexual ou não, apenas um livro sobre aceitação e a prova de que rotulação não são necessárias, como você disse. É como uma pessoa gordinha, ela não quer ser conhecida por isso, ela quer ser reconhecida por ser quem é.
    Estou bem curiosa em relação a essa leitura, pois acho que vou curtir muito. Adorei sua resenha.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  5. Rótulos, rótulos, rótulos... A vida seria tão linda se as pessoas não fosses rotuladas, e que não fossem vistas somente pela sua opção sexual, ou pela sua aparência! Primeiramente, amei a capa do livro, e amei o fato do livro contar a história de alguém que sofre com preconceitos. Se esse tipo de livro atingisse um público maior, creio que abriria a mente das pessoas, e elas perceberiam que não! As pessoas não são só sua aparência, não são só sua opção sexual. São vidas, como qualquer outra, com seus problemas, seus gostos e seus amores.
    Sua opinião sobre o livro me deixou ainda mais com vontade de ler!

    Beijinhos...
    Desencaixados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes nem adianta tentar mostrar par algumas pessoas certas coisas porque elas não conseguem enxergar além do que pensam, infelizmente.

      Excluir
  6. Olá,

    Vi algumas resenhas muito positivas sobre esse livro e fiquei bem curiosa com o enredo. Gostei muito do tema tratado no livro, pois é muito bom sentir que tem várias obras sobre o assunto publicadas, afim de que ocorra a inserção social. A capa é realmente linda e espero ler essa história em breve.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  7. Ola Grace a situação que vive nosso protagonista é bem diferente de muitos que já assumiram sua opção sexual e vivem batendo de frente com o preconceito, ele esconde o que na situação inversa e isso me chamou bastante atenção. Gostei de saber que os personagens foram bem construídos. Pretendo ler em breve. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, foi isso que também gostei. A questão de ele querer mudar a sua aceitação.

      Excluir
  8. Olá!
    Esse parece ser um livro muito bacana e ele aborda uma questão muito importante que é essa dos rótulos. Acho que todo mundo já foi rotulado uma vez na vida e provavelmente será capaz de se identificar com a trama.
    Gosto de livros que abordam histórias de personagens no ensino médio, geralmente histórias que se passam no ambiente escolar acabam me agradando.
    A capa é uma graça e a trama interessante, vou dar chance a obra assim que puder.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Greice, tudo bem contigo ???
    Tenho que confessar que não possuo o costume de ler livros mais voltados para adolescentes, mas uma frase, que você colocou no finalzinho de sua resenha, me fez pensar que, talvez seja uma boa ideia dar uma chance para esse livro. A frase é a seguinte: "rótulos podem frustrar pessoas, mas podem frustrar mais ainda quando decidimos não sermos aquilo que sonhamos."
    Simplesmente amei essa frase, e por causa de ti, vou dar uma chance para a obra !!! ^^

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu sei que você gosta mais de clássicos mesmo, mas eu também tenho me rendido a estes livros, alguns são bons e outros não, mas tenho dado a chance.

      Excluir
  10. Olá!
    Eu já tinha visto falar sobre esse livro mas pela sinopse não achei que seria nada de especial. Pela sua resenha mudei completamente de opinião. É claro que todo mundo já foi rotulado e o autor demonstrar os dois lados da moeda é bem legal. Vou adicionar na minha lista de leituras.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá amore,
    Vi a capa desse livro esses dias e já fiquei curiosa pela leitura... com sua resenha só aumentou isso. Adoro essa temática... o mundo precisa de mais amor... só isso!

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? O mais triste é saber que essa rotulação de pessoas é bem real e que as pessoas não te julgam pelo seu caráter e sim por suas opções ou no caso do enredo desse livro por quem você pode se sentir atraído...acho muito legal a crítica que o autor aborda. Dica mega anotada
    Bj

    ResponderExcluir
  13. Olá.

    Quem nunca foi rotulado por ser diferente? Eu já! Achei bem interessante a premissa da história e gostei de saber que o livro foca na questão de rótulos e não do protagonista ser gay. Fico feliz que a leitura não tenha sido boba e chata, pois se fosse tenho certeza que a leitura ficaria super entediante. Quero ler esse livro mais p frente. Amei a dica!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem
    Estou com o livro aqui e será a minha próxima leitura.
    O que me animou a solicitar o livro foi justamente isso, da história lidar com a HOMOSSEXUALIDADE por outro prisma, fugir do comum, do trivial, acho que nunca conseguirei entender porque a sociedade teima em tentar rotular as pessoas de acordo com quem elas fazem sexo. Pra mim com quem as pessoas transam é a coisa que menos influencia na minha vida.
    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Hey!
    Eu não costumo ler livros com o tema LGBT, mas porque nunca tive a oportunidade. Vi muita divulgação desse livro, mas é a primeira resenha que leio dele e me surpreendi bastante. Gostei do enredo se tratar de rótulos, e imagino que deva ser uma leitura que faz a gente refletir bastante, e é isso que prezo em uma história. Gostei da resenha.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. oi ^^
    gostei muito da história desse livro, mas queria fazer uma pequena correção.
    você usou na resenha o termo "homossexualismo" e está incorreto, visto que o "ismo" tem sentido de doença, condição patológica e etc.
    o certo seria homossexualidade como vc respondeu nos comentários!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela correção, já arrumei no texto. Agradeço imensamente!

      Excluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu recentemente li esse livro e gostei bastante também, mas confesso que esperava um pouco mais, sei lá! Bom, o autor abordar essa questão dos rótulos foi algo que gostei bastante, porque não é algo que vemos com frequência em livros e acho que todo leitor vai se identificar um pouco com a situação, porque acredito que a maioria das pessoas já ficou cansado de ser rotulado por causa de alguma coisa, né? Enfim, fico feliz em ver que você também gostou do livro.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um cansaço ser rotulado o tempo todo, mas acabamos rotulando pessoas também. É algo que a sociedade cria. Mas com o tempo acabamos perdendo o costume.

      Excluir
  18. Quando vi o lançamento do livro, não dei muita atenção, mas agora que as resenhas estão saindo, percebo que o livro tem um enredo muito interessante, ainda mais pelo personagem não tenta se enquadrar em nada e ao mesmo tempo dar ao leitor a oportunidade de pensar sobre suas atitudes. Hoje em dia tudo é rotulado, o que acho extremamente cansativo e sem propósito. Que bom que o livro aborda isso. Quero ler.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que como tem saído diversos livros do gênero, parece que começa a ficar piegas o tema, mas ainda tem bons livros!

      Excluir
  19. Oi!
    Fiquei muito triste agora de saber que o livro é muito bom e que eu perdi a oportunidade de solicita-lo (quem sabe no próximo).
    Achei muito bacana saber que a história não é sobre um menino gay, mas sobre os rótulos, que são um saco seja qual for.
    Fiquei muito cuirosa mesmo com a história e espero ter a oportunidade de ler em breve

    ResponderExcluir
  20. Oie!
    Eu ainda não li esse livro, e espero ler em breve. É uma trama que me deixou bastante intrigada, e será um genero de leitura que pouco li, então será uma grande surpresa. Espero gostar.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  21. olá, flor... então... apesar de ser uma leitura com personagens adolescentes, até que fiquei curiosa pra saber como a questão dos rótulos foi abordada pelo autor nessa obra... a temática me interessa bastante mas não fazia ideia que o livro trazia um quê peculiar...
    espero curtir a história...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem? :)
    Não conhecia esse livro, mas de caras já me apaixonei pela história e pelo protagonista. Só de ler a sinopse já fiquei com muita vontade de ler. Por isso, obrigada por me apresentar esse livro tá? :) Vou procurar o ebook.
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Quem nunca foi rotulado na vida né? Eu era a garota alta e magra demais que não saía da biblioteca, rs.
    Estou louca para ler Apenas um Garoto desde que fiquei sabendo do lançamento, agora mais ainda, pois quero saber como o autor trabalhou a questão dos rótulos e entender melhor o que se passa com o Raffe e o desfecho de tudo isso.
    Bjs

    ResponderExcluir
  24. Oii, tudo bom??
    Eu já li algumas resenhas sobre esse livro e todas me passaram a mesma coisa, de ser uma história como essa, com essa temática, de ser algo fofo e contagiante. Quero muito saber como o Raffe consegue sair de toda a enrolação que ele mesmo acaba se metendo. Gostei bastante, beijos.

    ResponderExcluir
  25. Ola Greice! Tudo bem?
    É a terceira resenha que leio desse livro e estou ficando cada vez mais curiosa para conhece-lo! Adorei sua resenha e pode apostar que em breve será uma resenha minha que vc lerá!
    Bj

    ResponderExcluir
  26. Oi Greice, tudo bem?
    Eu morro de vontade de ler esse livro, acho que ele traz um enredo muito bacana e contagiante, acho importante o que o autor aborda e a forma certa usada para falar no assunto. Estou bem curiosa para conhecer o protagonista e todas as situações que ele passa!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos