22 julho 2016

0

Cinco razões para amar o seriado Penny Dreadful!


Começo a escrever sobre esta série com o coração acelerado de tanta emoção. Logicamente como uma boa pessoa que adora descartar um pouco da vida social, eu tenho uma lista gigantesca de seriados para colocar em dia, mas quando aparecem novas sugestões, eu não deixo de tentar reajustar o tempo em que cada seriado está na sua pausa para colocar outras em andamento. É basicamente o que aconteceu com Penny Dreadful.

Eu fui fisgada de uma forma tão completa que para explicar tudo isto achei melhor colocar os motivos pelos quais você deve se ater e se jogar nesta história de terror e fantasia e talvez chegar ao mesmo patamar de êxtase que eu estou no momento. Eis as cinco razões para assistir e amar Penny Dreadful:


O seriado é do gênero de terror e fantasia e se passa na Londres da época vitoriana, mais exatamente em 1891. Claro que aos poucos o tempo vai retrocedendo em alguns episódios para mostrar o passado dos personagens, mas nenhum deles se volta antes deste tempo.
A foto acima mostra um mapa da cidade e a localização da moradia de alguns dos principais personagens, já que assim dá para ter uma noção mais exata da distância em que cada coisa acontece. Nunca fui muito fiel aos contos desta época, mas me apaixonei completamente pela forma como eles utilizam os personagens. Temos personagens como Dorian Gray, de O retrato de Dorian Gray, livro escrito por Oscar Wilde, Van Helsing, retratando a questão do vampiro, Dr. Victor Frankestein e as obras que ele criou e outras como bruxas, lobisomens, Jack, o Estripador.




Acredito que os produtores da série acertaram em cheio ao selecionar os personagens. Confesso que só conhecia dois dos atores, e como o seriado se passa em Londres, a tendência de que os personagens sejam ingleses pela questão do sotaque, é bem maior. E isso me deixa feliz porque toda a maravilha de interpretação que temos neste seriado se dá exclusivamente pela demonstração de atuação, já que muitas vezes em que há fatores que não precisam da utilização de efeitos visuais, os atores conseguem mostrar pela atuação o que muitas vezes no cinema o que um efeito faria.

Eva Green é a chamada geral. Como a Srta. Vanessa Ives, ela segura a personagem muito melhor do que algumas ganhadoras de Oscar. Vanessa Ives sofre de uma maldição bastante complexa e precisa lidar com seus medos e problemas o tempo todo o que resulta em uma atuação que muitas vezes dá medo e muitas outras fascina. A sua expressão é um mérito à parte.

Também tem Josh Harnett como Sr. Ethan Charles, um atirador que guarda segredos após ter ficado um tempo na América. Ele é como uma segunda mão para Vanessa Ives e ao mesmo tempo em que parece fraco para alguns é extremamente forte e sedutor.

Não dá para deixar de fora os atores que interpretam Sir Malcom, que é por onde tudo começa, já que ele busca sua filha que sumiu e está perdida para um monstro. Não posso detalhar mais a questão pois a trama envolve diversos atores.

Nisso também dá para colocar como magnífica a atuação de Victor Frankestein e Jonh Clare. Criador e criatura que se odeiam como a forma de que tudo aconteceu e aos poucos a forma de como as coisas vão mudando. O ator que interpreta a criatura levou prêmio de melhor ator coadjuvante e não é para menos.

O conjunto todo da obra, tanto com os personagens principais quanto os secundários são perfeitos. Teve um ou outro ator que achei que não parecia condizente com o papel, mas em relação ao resto o magnetismo é um brilho aos olhos.


Parece fácil para quem faz muitos filmes recriar todo o cenário de uma Londres e as cidades em volta dela em um século onde as coisas começavam a tomar forma de máquinas e tudo era mais antigo.

A fotografia do seriado me faz ver o quanto eu achava que sabia sobre a grande cidade e no fim não sabia absolutamente nada porque é tudo bastante diferente. Desde as ruas, as casas, os carros utilizados, os métodos científicos e medicinais, tudo é constantemente mostrado.

Como eu leio muitos romances de época amo ver como tudo agora se encaixa mais perfeitamente nas narrativas e como tudo é tão cinza e parece tão frio sempre com a neve.


Já pode desconsiderar a questão de que cada capítulo conte uma história e finalize naquele mesmo capítulo. Não é assim que funciona e o que eu pensava no início também. O seriado vai contando diversos contos baseados na época ao longo da temporada, sendo que todos eles estão de alguma forma interligados e aos poucos os mistérios e segredos vão sendo revelados. É uma história longa e que vai tendo mais e mais inserção de conteúdo.


Jamais poderia deixar de colocar esta opção. Sou apaixonada pelas vestimentas da época, tanto dos homens quanto das mulheres. Lógico que dá para ver a diferença das roupas entre as classes sociais e o cuidado que os criadores tem com esta parte é bastante impecável. Há cenas em que eles estão em lojas de confecção de roupas e aparecem diversos modelos. Eu me encantei muito com este momento. Cada personagem tem um estilo de se vestir e conforme vão mudando também muda este ponto.

Episódios: 27
Tempo duração: 50 minutos
Temporadas: 3
Estado: Finalizada (2016)
Netflix: Disponível duas temporadas


Espero que você tenha gostado de saber um pouco mais sobre este seriado e que tenha curiosidade de conhecer um pouco mais sobre os personagens e suas histórias. Eu estou na metade da segunda temporada e logo termino toda a série.

Se já conhece, deixe sua opinião!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos