26 dezembro 2015

19

A Carta da Minha Vida - Matilde Pinto de Andrade! Resenha #273! Editora Chiado


April tem dezesseis anos e está agora passando por um momento completamente difícil. Até há poucos dias atrás estava se divertindo com Nate, um garoto de sua escola que mostrava gostar dela e que demonstrava de muitas formas o seu afeto. Este estava sendo o seu primeiro momento apaixonante de verdade.

Lindy era sua melhor amiga. Estava a seu lado em todos os momentos, mesmo que a turma de Joanna, a garota "do mal" de seu colégio, fizesse muitas artimanhas para transformar a vida das garotas em algo chato e vergonhoso em certos momentos, afinal, sempre há o grupo que gosta de incomodar.

Mas naquele dia fatídico April estava no consultório com sua mãe e acabara de descobrir que tinha um câncer nos pulmões. Bem ali, no início da vida, quando estava prestes a aproveitar muita coisa. O que ela realmente poderia fazer? Não poderia contar ao seu irmão menor a verdade, de que ela iria embora logo e deixá-lo morrendo de tristezas. Não podia sequer contar para seus amigos e imaginar eles sofrendo para sempre pela sua perda.

Ao conhecer Kevin, um garoto que também sofria da doença que tirava sua vida aos poucos, April descobriu o que precisava fazer: deixar uma carta com o sentimento que sentia por todos, pois não tinha mais coragem de encarar ninguém e precisava se afastar de todos o mais rápido possível.




Autora: Matilde Pinto de Andrade
Título Original: A Carta da Minha Vida
ISBN: 9789895147038
Páginas: 98
Ano: 2015
Gênero:  Ficção /  Drama
Editora: Chiado







Eu já resenhei outros livros da Editora Chiado aqui no blog e li dois livros, um com o português de Portugal e outro com o português aqui do Brasil. Em relação à língua posso dizer que algumas palavras são diferentes em nossa linguagem, mas nada que possa modificar o texto ou a compreensão dos fatos. Para mim é até importante aprender novas palavras na língua de Portugal e modificar um pouco o comodismo que temos em relação a isto.

Quando selecionei para ler A Carta da Minha Vida, não pesquisei sobre o livro ou sobre a autora, de forma que fui bastante incentivada pela linda capa. Se for analisar não dá para negar que a capa investe em diversos conceitos de romantismo e com um título que remete a um amor. Nada parecido com a história revelada nas páginas do livro.

Já nas primeiras páginas a personagem principal conta a sua descoberta de um câncer terminal. A verdade é que nada antes disso é relatado entre dores, sensações anteriores ou coisas do gênero. Vai direto ao assunto. E quando você imagina que algo vai ser retratado posteriormente na história, esqueça. Nada vai ser explicado, começa assim e depois vai sendo tratado de uma forma diferente.

O livro tem apenas 98 páginas e assim dá para imaginas como a coisa vai correr, principalmente quando se trata de um drama desta intensidade. Não sei qual foi a intenção real da autora, que tem 15 anos, ao escrever esta história. Eu comecei a ler perdida e terminei a ler mais perdida ainda, quando na verdade o que queria era uma história com início, meio e fim e não tive sequer um traço desta magnitude.

A autora quer mostrar a reação de uma personagem que ao descobrir a sua doença decide deixar todo mundo de lado, maltratando a todos para que eles a odeiem, com a visão de cada um em um capítulo, mas o que acaba acontecendo é uma confusão tão grande que não há o sentimento da família, não há o sentimento das pessoas sobre o que ela tem, nem dela mesma. As páginas só mostram cenas rápidas de um momento de carinho e logo depois ela fazendo com que tudo se torne raiva.

Uma confusão, uma perda de páginas tão valiosas para quem quer ter sua história publicada por uma editora de renome e mais ainda uma pincelada como uma ofensa sobre uma doença tão fatal que sequer foi tomada neste livro. Foi mais uma história para ficar preso em dúvidas sobre o real motivo da autora em publicar a obra.







19 comentários:

  1. Oiee..
    Não conhecia o livro e fiquei curiosa para descobrir como que a autora desenvolveu uma trama tão intensa em tão poucas páginas, o enredo parece ser emocionante e espero ter a oportunidade de lê-lo algum dia..
    Também achei a capa muito linda *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Gre,
    Lendo os quotes selecionados e a sinopse, podia jurar que a leitura seria incrível, mas o que a real opinião de um leitor faz e o que ele revela ao falar do livro que nos mostra o quanto um blog é sério e sincero. As vezes penso que ultimamente as editoras não buscam mais qualidade e sim quantidade, isso me preocupa. Pois mesmo sabendo que cada leitura impacta diferente num leitor, tem livros que nos decepcionam de uma maneira que pensamos: - O que as pessoas que elogiaram leram.

    Tive um problema parecido com uma leitura recente no blog, por isso digo que temos mesmo de mostrar como o livro falou com a gente.

    Beijos Elis
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Greice!
    Poxa, fiquei chateada com o desenrolar da estória.
    Acho que esse tema é muito delicado pra ser abordado dessa forma. É preciso tato, delicadeza, e, principalmente, sensibilidade - coisa que pelo que entendi super falta à autora né!?
    Uma pena! Apesar do tema ser um tanto quanto clichê, talvez ela poderia ter criado uma boa estória.

    Eu adorei seu blog e sua sinceridade na resenha! Espero sua visita lá no meu cantinho também!


    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    http://pausaparapitacos.blogspot.com.br | @pausaparapitacos |http://facebook.com/pausaparapitacos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Greice
    Confesso que pela capa realmente parece ser um romance, e nem sequer imaginei em uma história com um personagem com câncer terminal. O assunto está batido já. Mas parece que o livro não fez a premissa. Uma pena.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Caramba! quando vi a capa o livro não me atraiu e ao ler a sua resenha, menos ainda. pra começar, como pode um livro que deveria ter uma carga emocional como essa ter apenas 98 páginas? acho que deveria ter pelo menos mais umas 100 páginas aí. Se a intenção da autora era de a personagem afastar os outros, ela deveria ter se aprofundado nessa história e ter mostrado o sofrimento dela, explorar isso, mostrar que ela estava tratando mal para que eles não sofressem com a sua morte. Se queria colocar um capítulo de cada um, deveria ter feito da mesma maneira, explorar os sentimentos de quem estiver narrando o capítulo. Mas fota isso, o fato de simplesmente jogar um doença assim e esquecê-la nas próximas páginas é .... nem sei que palavras usar, sei lá, é muito chato (isso usando o maior eufemismo) Tenho visto muitos adolescentes com essa idade, publicando seus livros, mas me pergunto a qualidade desses livros. Já li alguns livros de adolescentes, da própria Chiado eu li 2, mas qualidade mesmo que é bom, nada! Fico triste com isso, pois elas deveriam ser incentivadas, as histórias tem uma boa premissa, mas parece que a pressa de uma publicação acaba falando mais alto, as editoras deveriam avaliar melhor antes de publicar qualquer história. Poucos livros que autores adolescentes me chamam atenção e me fazem gostar da história, uma dessas autoras é a Ana Beatriz Brandão, que apesar de ser tão novinha tem livros maravilhosos, sim, o primeiro tem uma certa imaturidade mas a história é realmente boa, mas o segundo a escrita está bem mais matura. Enfim, faço ideia da sua indignação ao terminar a leitura com toda essa confusão.

    ResponderExcluir
  6. Ooiee ^^
    Ainda não conhecia esse livro, e, mesmo não sendo fã de livros curtinhos assim, fiquei curiosa para conhecer quando vi a capa. A curiosidade foi por água abaixo...haha' é uma pena que a autora tenha feito essa confusão toda e deixado a desejar :/
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2015/12/mar-da-tranquilidade.html

    ResponderExcluir
  7. Olá, Greice.
    Quando li a sinopse eu achei bem parecido com A culpa é das estrelas e já me desinteressei de ler. Já estou um pouco farta de livros com esse tema de câncer. Mas dai quando li as sua impressões nossa, parabéns por ter a coragem de dizer exatamente oque achou da obra. Eu que já não tinha me interessado, vou passar longe do livro.

    ResponderExcluir
  8. Oi Greice, eu não conhecia o livro ainda e confesso que ele não chamou minha atenção, seilá mas me pareceu ser uma história meio confusa. Quem sabe um dia eu dê uma chance, mas no momento eu não leria. Ótima resenha!

    Beijos

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/resenha-sophie-em-paris.html

    ResponderExcluir
  9. Nossa!!!! Fiquei aqui pensando como a editora publicou este livro e com que finalidade uma vez que ele não diz muitas coisas... eu não gosto de livros curtos demais, por causa da correria e da falta de desenvolvimento na história... e em sua resenha isso ficou mais do que claro. Fico imaginando que uma doença dessas tinha que ter personagens desenvolvimentos e pelo menos informações básicas de como a menina se sentia e os seus parentes com relação a isso, sei lá.. não curti sick-lit, mas sinceramente fiquei muito chateada por você, em ter lido algo tão superficial. Achei perda de tempo... infelizmente. Xero!

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?

    Que pena a leitura não ter sido tão boa. Mas infelizmente não estamos livre de disso. Eu fico super chateado quando pego um livro "ruim". Pois poderia está lendo um outro melhor. Mas a premissa tinha tudo para ser boa, que pena que não rolou. Beijos, ótima resenha.

    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olha até então eu li poucos livros da Chiado, mas eu gostei muito da sua resenha sobre esse livro. Nos trás uma bela mensagem e nos faz refletir e eu adoro isso. Acho muito legal a editora investir em livros assim, porque chama atenção. Por isso que eu gosto da editora Petit também, porque apesar do pessoal ter um pouco de preconceito com livros espiritas, é o msma coisa, nos trás muitas mensagens lindas no fim que nos faz refletir. Enfim...Espero poder ter a chance de fazer a leitura desse livro. Adorei sério.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/resenha-todos-os-nossos-ontens.html

    ResponderExcluir
  12. Oii, tudo bem?
    A premissa da historia é bem interessante, porém parece que a autora não soube desenvolver bem a historia, e acho isso uma pena, pois acredito que a historia tinha tudo para dar certo.

    ResponderExcluir
  13. Ooi,
    Não conhecia o livro, mas a falta de início, meio e fim me fez decidir ficar longe desse livro! As vezes a ideia até é boa mas desenvolvê-la é bem mais difícil.
    Vitória Zavattieri
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  14. Gente, baixei hoje um livro no Amazon com a capa bem parecida, só muda o posicionamento das mãos e da cabeça da mulher, se chama Te Ver De Novo, até achei que fosse ele. Enfim, quanto a história desse livro fiquei boba com sua resenha, essa editora cobra bastante para publicar um livro desse jeito? Também fiquei aqui me perguntando o porque dessa publicação, sendo ela da forma que você falou, e pelo que eu entendi a autora tratou essa doença que é tão fria, feia, fatal muitas das vezes, de uma forma crua, sem nexo e sem sentimentos de nenhum dos personagens. Bom, adorei sua sinceridade e esse livro não entrará para minha lista, uma pena, porque quando li sobre a história, que teria uma protagonista com essa doença, logo me interessei, livros assim sempre mexem comigo. Uma pena mesmo.

    bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Nossa! Logo na sinopse eu já fiquei um pouco receosa, e não tem como não imaginar que vem um pouco de A Culpa é das Estrelas, mas ao ler sua opinião, fiquei chocada! Uma autora muito novinha para escrever sobre algo tão difícil, tão delicado. Sem tomar cuidado, pode ficar até mesmo ofensivo!
    Eu não entendi bem, essa autora é Portuguesa então?

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  16. A capa é realmente muito linda e estava quase achando que fiz uma boa em não ter escolhido comprar o livro (mas acabei confirmando com o comentário da Simeia de que não é o mesmo livro, mas um com a capa quase igual).
    Admiro que escreve e se arrisca ao publicar um livro - eu acredito que não tenho talento para isso por mais que eu goste de escrever, mas acho que nem tudo o que se escreve deve ser publicado - e mesmo publicações totalmente pagas pelo autor deveriam ter uma analise melhor. Penso que isso faria com que alguém comentasse com a autora as coisas que você fala e talvez ela pudesse melhorar e dar mais sentido para a história.
    É uma pena que a história não aconteceu e não foi desenvolvida como poderia (e arrisco dizer, deveria!). Pena mesmo :(
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  17. Oi Greice, tudo bem contigo ???
    Tenho que confessar que se visse esse livro na livraria, provavelmente não o compraria, principalmente por causa da capa. Eu julgo muito pela capa, e muitas vezes deixei livros de lado pois não consegui gostar ou me identificar com a capa. Mas no caso desse livro, fiquei mais aliviada por ter julgado, rsrsrs, após ler sua resenha, percebi que não gostaria nem um pouco dessa história, ainda mais sabendo que ela não tem início, meio e fim.
    Fiquei bem surpresa ao descobrir que a autora têm apenas 15 anos, acredito que talvez pela falta de experiência, ou talvez pela falta de pesquisa, o livro tenha ficado confuso. Agora, não entendo como o revisor, ou mesmo a autora pode deixar que o livro fosse publicado assim.
    Adorei sua resenha, gostei de ver sua sinceridade com relação ao livro e sua história, gosto muito quando podemos ver a real opinião da pessoa com relação ao livro resenhado !!!

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
  18. Oi,

    Pela sinopse o livro parecia ser muito bom, mas quando você falou que durante a leitura é uma confusão total, já até me desanimou a procurar mais sobre ele.

    ResponderExcluir
  19. Olá!!
    Se eu pensasse pelo nome e capa do livro, pensaria ser uma leitura simples e agradável, obrigada pela dica!

    Amei o blog e já estou seguindo :D
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos