08 julho 2015

15

O Álbum - Timothy Lewis! Resenha #244! Editora Novo Conceito


Em 1926 Gabe Alexander trabalha como escriturário em uma peixaria famosa em Houston há longos anos e julga ter uma vida tranquila até ver passar pela rua uma linda mulher. A partir deste momento ele tem a grande certeza de ter encontrado a sua alma gêmea.

Pearl é uma professora que mora em uma pensão e está noiva de seu namorado da infância. Nenhuma novidade acontece em sua vida a não ser que a monotonia e uma certa indecisão sobre seu futuro conte. Até que um dia ela vai até a peixaria de seu Cecil e é atendida por um homem que chamou sua atenção mais do que o necessário. Como sabe que é casada, não dá muita atenção ao que ele fala, exceto de que ele tem uma grande presença.

Já em 2006 Adam está trabalhando com os objetos a serem vendidos de gabe e Pearl, já que seu negócio é revender o patrimônio de pessoas, quando encontra um álbum com diversos cartões postais cheio de poemas. No álbum está uma vida inteira de relacionamento que não faz sentido para Adam já que este não sabe nada sobre a vida do casal que morou naquele lugar. Adam se divorciou e sente que não conseguiu fazer muito pelo seu casamento e agora se ressente muito por isto.

Yevette é uma mulher amazona que ficou com o casal até o fim da vida dos dois e que sabe muito do que Adam tenta agora descobrir e que deseja completar as lacunas deixadas pelos cartões-postais. Mas ela não deseja simplesmente explicar tudo facilmente. A história de Gabe e Pearl tem muito mais a ensinar do que um simples amor que durou muitos anos e é nesta amizade que vai ser criada que adam vai conseguir entender o que muitos ainda não aprenderam: o verdadeiro sentido de lutar por quem se gosta.


Autor: Timothy Lewis
Título Original: Forever Friday
ISBN: 9788581637365
Páginas: 240
Ano: 2015
Gênero: Mistério / Drama / Romance
Editora: Novo Conceito








Estou há mais de trinta minutos pensando em como começar a escrever esta parte da resenha. Não é como um processo simples em que você vai descrevendo as sutilezas de uma história simples que não tenha de forma alguma mexido com o pensamento, pelo contrário, é uma ideia que fica vagando pela minha mente e não sei exatamente como distribuir em palavras belas e dignas.

Não há mistério sobre a questão em que os personagens de Gabe e Pearl formam um casal em meados dos anos de 1926. Somando-se a isso já dá para ter uma ideia de que tudo naquela época é um pouco mais bucólico, mais desacelerado e as paixões não são demonstradas publicamente como agora e mais do que isso há toda aquela gentileza e romantismo em uma conquista. Isso é o que o autor baseia praticamente toda a parte do seu livro: na gentileza.

O livro em si fala de uma história de amor que ultrapassa décadas e como um casal consegue de uma forma inusitada transformar um casamento em algo bastante duradouro. E é através de postais enviados todas as sextas-feiras por Gabe que ele declara seu amor por sua esposa. Mas obviamente não é somente isto que será encontrado neste livro e obviamente também não é a única ideia do autor.

O bom sentido foi colocar um personagem após mais mais de 90 anos em que descobre a história do casal e que, sofrendo com um divórcio e um casamento nada feliz, quer desvendar o mistério por trás de tanta felicidade. E é assim que a história vai sendo narrada. Os capítulos vão sendo entrelaçados entre a visão de Gabe, Pearl, Adam e Yevette e vão se conectando como uma estrutura sólida onde o ceticismo de Adam vai sendo amortecido pelos momentos de amor e dificuldade do casal.

Em certas partes da leitura eu ficava pensando em como era massante a narrativa, mas o fluxo de detalhes foi importante para dar uma compreensão maior para aquilo que Gabe sempre acreditou que conseguiria até o último dia de sua vida. Lógico que não consegui conter as lágrimas ao final da leitura. 

Mais do que belas dicas de como fazer para sustentar um pilar que pode estragar com o tempo, O Álbum é uma memória ao romantismo de outrora não tão visto atualmente e até não tão previsto. Vale a pena sonhar com momentos como este e mais ainda desejar amar para sempre a mesma pessoa que sempre te fez feliz.



15 comentários:

  1. Oi Greice.
    Eu optei por não fazer essa leitura, porque a premissa me passou a impressão de algo denso e monótono, e em parte não me enganei.
    Mas esse enredo tem algo mais que me interessa, uma abordagem sobre o amor que contagia e desperta a reflexão.
    Acho que vale a pena passar pelos momentos maçantes cheio de detalhes.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Paty, tem momento bem densos, mas dependendo de como você lê, acaba se apaixonando.

      Excluir
  2. Oi Greice!
    Desde que vi o lançamento desse livro fiquei com vontade de ler. Não sei se essa questão da quantidade de detalhes irá me agradar, mas quero conhecer essa história que parece ser tão emocionante!
    Parabéns pela ótima resenha, mais uma vez, e boas leituras :)
    Ps. Vi que você postou a resenha de O Resgate no Mar e fiquei tentada em ler, mas não quero pegar spoilers rs. Você está gostando da primeira temporada??
    Beijos!

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bárbara, sobre Outlander eu adoro demais, mas parei um pouco a temporada porque é tão real que às vezes dói assistir. rsrsrsrsr

      Excluir
  3. Olá! Já tinha visto esse livro, mas não sabia do que se tratava, parece ser um história muito bonita, mesmo sendo bem detalhista como vc disse.
    Beijo!
    http://booksmanybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Sinceramente, eu não gosto muito de narrativas maçantes e cheias de detalhes, sem falar que a obra em si não chamou minha atenção, mas gostei da resenha. A história parece ser mesmo inusitada e emocionante.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Greice!

    É a primeira resenha que leio desse livro. Faz tempo que os livros da NC não me chamam muito atenção. Gostei da resenha mais fiquei com medo de arriscar devida a narrativa. Gosto de sentir fluir as palavras do autor. Acho que não leria agora, quem sabe depois.

    Beijos!

    Cintia
    http://www.theniceage.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Cintia, eu gosto de livros que tem bastante diálogos, mas neste não é muito deste tipo.

      Excluir
  6. Oie Greice =)

    Estou com esse livro em casa para ler, mas ainda não consegui colocar ele na fila.
    Normalmente livros com esse tipo de narrativa em determinados momentos acabam se apegando a detalhes que torna a leitura mais cansativa. Mas o importante é o conjunto todo da história e pelo visto essa essa é uma história que vale a pena.
    Espero não me decepcionar ^^

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo Ari, é o conjunto da obra que faz ele ficar bom ou ruim!

      Excluir
  7. Olá Greice,

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, não sabia o que esperar dele, mas sua resenha me despertou interesse na obra, mesmo com a narrativa cheia de detalhes....bjs.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Greice!
    Esse livro ainda n me chamou muito a atenção, n sei pq... Realmente ele passa a impressão de ser uma leitura mais densa, que n é a minha preferência no momento =/
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Gre,
    Um amor assim é o que todos desejamos, mas poucos encontram. O bom é que desejar já um grande passo para encontrar, creio que eu vou me encantar com essa leitura. Nossa conforme vejo suas resenhas, noto o quanto ainda tenho pra ler. kkkkkkkk

    Beijos Elis!!!
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que temos né, amiga! Temos muita coisa para ler e mais o que virá!

      Excluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos