18 fevereiro 2015

14

Os Micos que já Paguei - Parte 1!

Então, sabe aquelas famosas fases da vida em que o que você mais quer é enterrar sua cabeça em um grande buraco de terra/areia/cimento ou que quer que seja? Não por sofrer algum surto de tristeza ou decepção por aquele carinha que agora você sabe que não valia a pena, mas sim por pagar aqueles micos imperdíveis que muita gente acabou dando risada da sua cara ou simplesmente sentindo vergonha por você. Sabe estes?


Certo que todo mundo passa uma vergonha aqui e ali e até certo ponto a vergonha alheia é engraçada já que pimenta nos olhos dos outros a gente sabe que não arde na nossa mesmo. Mas ao passo que eu vou contar alguns macacos que passei, talvez a pimenta poderia ter passado adiante e escolhido outra vítima, mas não foi o que aconteceu. Estes micos foram comigo mesmo!


Fato 1:

Se você já assistiu ao filme Patricinhas de Beverly Hills, vai saber como é legal a cena em que uma das atrizes cai da escada, só que não.

Era um belo dia de muito sol e calor em um verão que eu podia mostrar meu corpo sequíssimo e sem uma curva sequer, já que nunca tive nenhuma e sempre fui parecida com uma tábua de passar roupas. Neste dia fatídico eu desejei usar um pretinho básico à la Versace da 25 de março e saí desfilando feliz com uma sandália de salto tamanho médio. 

Ok, me achava a Gisele na passarela da alegria e ouvia as Spice Girls cantando ao fundo (estava em uma galeria e o máximo que tocava era uma sertaneja de um salão de beleza), e no momento em que fui jogar os cabelos para o lado e sensualizar com a boca, meus pés resolveram criar vida própria e minha sandália salto 3cm virou. 

Não lembro o que aconteceu no tempo-espaço, mas o que aconteceu foi a minha pessoa rolando escadaria abaixo com um vestido muito brega, uma sandália chinfrin e uma calcinha estilo Taylor Swift sendo mostrada para uma multidão que vinha atrás. E o mais legal de tudo é que naquela época eu ainda usava de bichinhos! Parei de quatro, com o vestido na barriga, sem uma sandália e ouvindo muitas risadas. 

É certo que chorei e não vou negar. Mostrar a bunda nem foi o maior problema, não que eu o fizesse com frequência, mas eu estava na adolescência e tem certas coisas nesta época que é difícil definir. 
A sorte é que os celulares ainda estavam em início de comercialização e o azar é que de qualquer forma, minha poupança ficaria marcada para sempre na mente de alguém, mesmo que fosse com ursinhos decorados.


Fato 2:

Jogar boliche é um esporte bastante delicado. Não, vou refazer esta afirmação. Boliche é um esporte que exige dedicação e atenção. Isso, agora acertei na relação entre boliche x perspectiva de lazer. Para mim boliche sempre foi uma aventura em que se mira um negócio estritamente pesado (diga-se bolas), em que eu sempre pego aquelas coloridas ou escandalosamente decoradas, e miro nos o quê mesmo? Cones? Tubos? João Bobo? 

Bom, seja como for é exatamente assim que eu faço e com muita leveza eu caminho em direção à pista e com mais calma ainda e sem força nenhuma, pois eu mal consigo levantar um pesinho de 1kg na academia, arrasto a bola na direção daquelas coisas que ficam no fundo.

E eis que um dia divertido com as amigas, amigos e uma mãe que aceitou levar toda aquela gente insuportável (gritando) para dentro de um shopping, fomos jogar este jogo enérgico e cheio de atitudes que requer muita forma física. Eu, a senhora sem peitos, estava vestida com uma saia jeans e uma blusa tomara que caia que achava (só achava) que aumentava minha protuberância frontal. 

Foi então, ao jogar a bola lindamente rosa choque e fazer um strike, que meu corpo se joga com força para cima, com as mãos para o ar e dou um grito de felicidade! Uhuuuu! E nisso sobe meu corpo e desce minha blusa. Ok, para quem já havia mostrado a bunda que diferença fazia mostrar os peitos mesmo? 

Ah, sim... Eu estava sem sutiã e naquela época ainda não era muito adepta da depilação estilo terror era medieval. Assim, além de verem meus peitos, viram que eu acumulava pelos ao redor deles. Gratificante. Realmente gratificante.  Eles poderiam ter entoado a canção: “Debaixo dos caracóis dos seus cabelos... certo, não foi legal!”


Fato 3:

Uma dica de vida: só fale quando você tiver 100% de certeza.

No sexto aniversário da minha irmã ela resolveu fazer uma festa. Não, espera. Minha mãe resolveu porque minha irmã com seis anos não resolvia nem quanto era dois mais dois. Enfim, nesta festa eu estava cansada e resolvi me sentar um pouco na sala com o meu ex-namorado (feio, chato e mal amado). E eis que também estava na sala uma mulher que eu não conhecia, mas me pareceu ser legal e puxei papo com ela sobre crianças e em um momento ela me falou que trabalhava na loja X. Como eu sabia de uma mulher que era minha vizinha que trabalhava nesta mesma loja e que maltratava o filho, resolvi falar sobre:

- Você conhece a fulana? Gente, ela é minha vizinha e eu só escuto gritos vindo do apartamento dela. O filho dela chora o tempo todo.

- Conheço sim. Não é uma que tem o filho pequeno? Todo mundo fala que ela bate nele. Até o marido quer ficar com a criança?

- Será que estamos falando da mesma pessoa? Ela mora em um apartamento perto do supermercado X. Ela tem um irmão também. E uma mãe que é divorciada. O menino é moreno.

- Sim, é ela mesmo. Ela trabalha lá na loja faz uns meses. Eu até dou comida para ele porque parece que nunca come.

- Então é esse. Guria, eu estou pensando em denunciar a família para o conselho tutelar porque o menino só chora e a mulher só grita com ele o tempo todo. Chega a me dar pena.

Nisso passa uma criança e eu digo:

- Olha, é este menino! Como pode ser ele estar aqui?

Nisso ela me encara e diz:

- Mas este é o meu filho!

O mundo parou neste momento. Talvez eu tenha pensado que um apocalipse zumbi tenha se iniciado e meu sangue estava congelado porque estava se transformando. A palidez do meu rosto devia ser por conta da transformação. Acredito que era, pois o cutucão que meu ex-namorado deu para me alertar que tinha dado uma bela furada doeu o suficiente para eu olhar para ela e dizer:

- Não pode ser você, o menino que eu conheço é loiro.

- Você disse que ele era moreno.

- Acho que você entendeu errado porque eu conheço a mãe dele.

Nisto entra minha irmã e me chama e a mulher sabe que eu moro do lado dela. Então eu levanto e peço licença. Preciso sair dali antes que leve uma bofetada na cara por ela saber que quero denunciar ela por maus tratos, ou antes de atacá-la por estar me transformando em um zumbi. Um zumbi retardado, muito retardado. 

Fiquei sem sair de casa durante as horas que sabia que ela saía por mais de dois meses. Se ela já batia no filho que dirá em mim!





14 comentários:

  1. Gre,
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk não esqueci apertado não....é risada mesmo....mas não se preocupe que estou rindo das situação e não de você. Sabe que amei esses micos, por mais que eles não tenham te pulado e escolhido outra vítima. Afinal o que seria de nós leitores, se não tivéssemos você para dividir suas histórias. Ansiosa pelo próxima vez que essa coluna for ao ar.

    Beijos Elis!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, tu sabe que sou meio desastrada né amiga, mas eu pago muito mico na vida mesmo. kkkkkkkkkkk

      Excluir
  2. flor pagar mico é comigo mesma, de verdade, pior que eu não dá! ja cai na facul, falei alto demais, falo mais que a boca
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo paga um miquinho de vez em quando né? Isso faz parte da vida.. hahahah

      Excluir
  3. Greice, a gnt não gosta, mas isso é normal kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    O que eu achei mais engraçado foi o jeito q vc narrou as coisas, hahahahaha
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkkkkk Menina, cada saia justa, hein?! Eu já caí do púlpito da minha igreja.... DUAS vezes, kkkkkkk Foi horrível, pq a igreja estava cheia e ficou todo mundo me encarando, afff......
    De vez em quando dou uns foras desses, mas fazer o quê, né?! Faz parte!!!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Su, realmente terrível também o seu mico. E o pior é que se é com os outros a gente gargalha né?

      Excluir
  5. Olá,
    KKKKKK, nossa. Essas situações de mico, principalmente quando estão relacionada as palavras, são tensas mesmo. É incrível como a gente ri depois, mas na hora é super constrangedor, inclusive esse último mico que você descreveu foi bastante tenso!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, correr o risco de levar uns bons tabefes é gigantesco né?

      Excluir
  6. Morrendo de rir comesse post ótimo!!! hahaaha

    http://www.blogproscenio.com/

    ResponderExcluir
  7. Greice do céu!!!!! O que é isto!!!?????
    Não, mas mostrar a bunda, sério, a gente esquece kkkkkkkkkkkk
    o pessoal esquece, até o youtube esquece...
    Mas uma mãe raivosa, vish, fogeeeeee!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Mas relaxa, eu tbm já passei por cada um, que Deus me livre!
    Até esqueço, hj já nem ligo mais kkkkk se eu for ligar pra tudo, enlouqueço de vergonha! kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem que você disse, até o You Tube esquece.. hahahahahaha

      Excluir
  8. Nossa sou bem assim também rs
    Da uma passadinha no meu blog? http://blogdvane.blogspot.com.br/ *-*

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos