29 setembro 2014

6

Private Londres - James Patterson e Mark Pearson! Dica de Livro #99!


Hannah tinha treze anos quando ia comemorar seu Bar Mitzvah. A festa já estava preparada e ela estava mais do que feliz. Sua família era muito rica e seu pai fazia tudo para que ela e sua mãe sempre tivessem todo o conforto possível. Porém no dia em que elas estavam fazendo compras foram sequestradas. O que seguiu após isso foram dois dias de muita tortura e desespero. Hannah acabou vendo sua mãe sendo assassinada, pois seu pai não pagara o resgate e quando a Private foi chamada, só deu tempo de salvar Hannah.

Após sete anos, Hannah está decidida a tentar uma nova vida em Londres, onde fará faculdade de psiquiatria. A escolha é pela Chacellors, a famosa faculdade onde os abastados curtem seus bons momentos e a educação é uma grande exigência. Mas Harlan Shapiro, pai de Hannah, não vai deixar de forma alguma que ela vá correr algum tipo de risco em outro país. 

Dan Carter é o encarregado para escoltar Hannah de Nova Iorque até Londres e também é o responsável pela Private na capital britânica. Dan é um homem musculoso, de 1,80 metro com uma aparência que chama a atenção. Serviu no Iraque e sabe muito bem como coordenar e trabalhar com uma agência de investigações. 

Kirsty Webb é a ex-esposa de Dan, a detetive que cuida dos casos corporativos da polícia e que investiga uma série de assassinatos onde as vítimas tem os corpos dilacerados e com algo em comum: o dedo anelar cortado. 

E é quando Hannah estava em um bar com sua amiga Laura e Chloe que, na saída da festa, ela é sequestrada e Chloe colocada em coma. O problema é que Chloe é a afilhada de Dan, inserida junto a Hannah como uma espiã para protegê-la de qualquer atentado. Mas o passado volta à tona.

Agora Dan, Kirsty e toda Private está novamente lidando com assassinos e suspeitos na corrida contra o tempo. Hannah escapou uma vez e agora pode ser tarde demais.



Autores: James Patterson e Mark Pearson
Título Original: Private London
ISBN: 9788580413038
Páginas: 224
Ano: 2014 
Gênero: Ficção / Policial
Editora: Editora Arqueiro








Eu faço coleção de livros de suspense e policiais. Tenho vários livros do James Patterson com outros autores e quem for pesquisar pelo autor aqui no blog vai ver as resenhas que eu fiz. Mas por que eu falo isto? Não sei qual foi a ideia central da história, mas algo saiu meio mal estruturada nesta trama. Se você for ler a premissa acima parece uma ótima história com um suspense de tirar o fôlego, certo? Ao menos foi isto que eu senti. E na verdade a iniciativa e o início do livro são exatamente desta forma.

Sempre me pergunto como funciona esta coisa de dois autores. Será que o James ajuda com alguma coisa na história ou dá a ideia e o outro autor vai construindo? Porque sei exatamente quando é um livro em que o James escreve por outras leituras que já fiz e pode-se considerar que este não seja um deles. Por isto acredito que tenha sido mais a ideia do que a escrita.

Na narrativa a personagem de Hannah é submetida a uma trama bem trabalhada, com uma ideia brilhante para um livro policial e neste ponto preciso parabenizar a lógica construída. Até então tudo é bastante natural. O problema é que em meio a isso também acontece uma outra história para que sempre haja outros suspeitos e a história comece a se intercalar. Isto é natural nos livros do James. O porém é que neste as histórias se perdem. Em um momento está em um lado e de repente quando você pensa estar pegando um gancho, já está em outro lado. Foi difícil assim conseguir estabilizar os personagens e fazer um traço de um perfil ao todo.

Outra característica marcante é um livro cheio de palavrões. Isso em si já muda bastante para outros policiais do James com co-autoria de outro autor. Claro que pode ser característica de personagem, mas achei bastante exagerado.

De toda forma, a Private é uma agência bem conceituada e com uma lógica favorável. Amei a forma como Dan mesmo com seu lado feroz também consegue ter a parte sólida e humana. Isto foi um ponto bem positivo e que ajudou bastante no livro.

Não vou deixar de ler os livros do James por esta confusão mental que criou-se na minha cabeça. Talvez eu interprete como uma forma diferente de entender o contexto. Talvez tenha sido uma nova jogada e eu, acostumada com o mais óbvio dos casos, me deixei indignar. Aí, o caso é totalmente injusto com o livro e você que lê esta parte crítica, favor desconsidere minha opinião.













6 comentários:

  1. Sabe que eu ainda não li nada dessa série, Greice? Mas tenho curiosidade, ainda mais agora que li meu primeiro livro do autor e me apaixonei! =D
    Pena que esse deixou a desejar, não gosto quando o livro tem muitos palavrões, rs.
    Tbm coleciono livros de suspense/policiais! ;)
    Beijos
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu confesso não curtir esse tipo de livro, então nem leria. Mas esse autor é famoso por escrever boas histórias.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Greice tudo bem? me parece ser um livro bem complexo, no momento não seria o livro ideal para mim, mas mesmo assim mesmo com algumas ressalvinhas suas anotei a dica, adorei sua sinceridade na resenha!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  4. Oi Greice,
    Confesso que gosto do James porque li 1º a morrer dele e o achei fantástico. Mas acabei lendo outros livros que não gostei tanto e realmente esses a 4 mãos não são tão tops.

    E entendo completamente a sua opinião, e bem amo sua sinceridade.

    Bjus Elis
    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Pois é, este fiquei meio ressabiada, mas vou continuar a persistir nos livros dele! :)

    ResponderExcluir
  6. Olá Greice! Estou curtindo esse gênero ultimamente, histórias policiais são muito interessantes. Esse autor é muito famoso, mas nunca tinha parado para ler sobre as obras dele. Gostei. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos