26 agosto 2014

14

Nosferatu - Joe Hill! Dica de Livro #93!




Victoria McQueen tinha 8 anos de idade quando ganhou de seus pais uma bicicleta Raleigh novinha. Era maior que ela, mas sua empolgação não deixava isso ser percebido por ninguém. A bicicleta rosa rodava pela cidade de Haverhill em Massachussetts e fazia a Pirralha, como era chamada por seu pai, descobrir novos caminhos. 

Um dia, Vic precisou sair de casa após ver seus pais brigando por causa de uma pulseira que sua mãe perdera e ali, Vic ficou assustada por ver que seus pais poderiam se separar e ela não queria isto. Então pegou sua bicicleta e começou a andar pela floresta em direção ao rio com toda a velocidade, desejando poder encontrar a pulseira de sua mãe. Foi aí que Vic encontrou algo estranho. Uma ponte antes nunca vista e que na inscrição da parede mostrava o nome do lugar em que ela recém havia voltado de férias. Ao atravessar a ponte, Vic saiu em New Hampshire, muitos quilômetros de onde morava e encontrou a pulseira de sua mãe. A partir daí, O Atalho como seria chamado, era utilizado pela garota para encontrar o que ela desejasse.

Charlie Manx estava velho. Não o tipo de velhice que era notada. Na verdade ninguém percebia sua idade muito avançada, já que ser um vampiro lhe dava muitos anos de juventude. Andar por aí selecionando crianças para levá-las à Terra do Natal era o mais precioso que ele podia fazer. Crianças que viveriam para sempre e onde nenhuma tristeza existia. Um lugar onde todos os dias era o dia do Natal. Utilizava seu Rolls-Royce de 1938, denominado O Espectro, para levar as crianças para a felicidade, mas só podia levar uma por ano, para garantir que elas fossem felizes para sempre.

Com o passar dos anos, Vic utilizou O Atalho para encontrar diversos objetos, mas sempre que voltava duvidava do que realmente acontecia, até que colocava na cabeça que tudo não passava de uma alucinação. Aos 13 anos de idade decidiu que usaria a ponte para encontrar alguém que pudesse ajudar a fazê-la acreditar no que acontecia. Foi então que encontrou Maggie Leigh, uma bibliotecária que possuía um dom parecido com o de Vic, em que utilizava as palavras cruzadas para descobrir o futuro. Foi neste momento que Vic foi alertada que Manx estaria perto dela e que ela deveria fugir o mais rapidamente possível, pois ele era perigoso e quem caia em seus braços, jamais fugia.

Mas Vic não ouviu 4 anos mais tarde foi de encontro ao lunático Manx, direto na Casa Sino. Lá encontrou com Manx e descobriu que o maior terror que poderia ter imaginado realmente existia. Ao descobrir O Atalho, Manx primeiramente o fechou jogando a bicicleta de Vic e depois a perseguiu. Mas Vic após muito sofrer, foi a primeira pessoa a conseguir fugir dele.

Após o pesadelo ter passado, Vic casou-se com o seu salvador Louis Carmody, com quem teve um filho, Wayne. Tudo parecia tranquilo até Vic começar a receber ligações das crianças direto da Terra do Natal. Mas os telefones tocavam somente para ela. Ninguém mais os ouvia. E foi aí que Vic começou a surtar. Após diversas internações, Vic foi morar sozinha já que sua separação fez com que seu filho ficasse com seu marido.

Quando Vic decidira passar as férias com seu filho no lago Winnipesaukee, sua vida começou a ter sentido novamente. Foi na casa alugada que ela encontrou uma moto Triumph e através dela que encontrou novamente O Atalho. Mas também foi por causa dela que Charlie Manx conseguiu capturar seu filho e quase a matar, agora com a ajuda de um segurança fascinado pelo vampiro.

O que o futuro reservava nem Vic sabia. O que ela sabia era que, após conseguir fugir pela primeira vez, diversas crianças que haviam desaparecido junto com suas mães, tinham sido sequestradas por Manx. Suas mães foram mortas e as crianças levadas para a Terra do Natal. Ela sabia no que as crianças se tornavam: frias, sem sangue, com dentes em forma de anzóis. Precisava correr para encontrar seu filho. O único problema seria que alguém teria que ficar para trás...


Autor: Joe Hill
Título Original: NOS4A2
ISBN: 9788580412970
Páginas: 624
Ano: 2014
Gênero: Ficção / Terror
Editora: Arqueiro








Seria frustrante dizer que até este livro eu não sabia quem era Joe Hill. Sim, é verdade. Apesar de ser uma devoradora de livros, isto não me faz uma conhecedora total de autores ou autoras, infelizmente. Porém, após a leitura de Nosferatu, tenho a plena consciência de que a mente de Joe Hill é um complexo mundo fantasmagórico e cheio de criatividade sem igual. O cara sabe o que faz. Ao menos neste livro.

Nosferatu tem uma capa (nacional) intrigante, já que aparentemente o nome do livro não te diz muita coisa sobre o que se trata a história. Pode parecer um suspense, avaliando um carro antigo por uma estrada deserta. Mas não. Trata-se de um terror megalomaníaco. Um terror inebriante que não fere o ego com partes violentas ou cruéis, mas que desmonta o clichê de cenas com facas ou armas. Estonteante.

Inicia introduzindo com o Charles Manx em um papel ao qual ele, de forma alguma pode ser descrito e que como consequência me deixou concentrada nos acontecimentos que viriam a ser narrados. Aliás, medo é algo que Joe Hill sabe induzir ao corpo do leitor. Após isto, uma vida de aventuras da personagem principal é contada, todo um mundo de fantasias é iniciado e isto faz com que o leitor pense que a leitura vá focar em devaneios desnecessários. Não é este o caso. A criação de um atalho foi muito bem formulado, sendo que como toda a ação tem sua reação, isso não difere nesta leitura. 



Porém a reação é aflitiva. Eu não desejaria me encontrar com Charles Manx. Não desejaria, aliás estar no mesmo mundo que ele. Uma mistura de escárnio, sarcasmo e idolatria infantil, gerou em Nosferatu um monstro que é capaz de num piscar de olhos fazer tremer até o mais cético idealista. Ele não é um fantasma em um armário, não é um bicho-papão, ele é o terror interno de nossas almas.

Os capítulos vão sendo intercalados entre a personagem principal, Charles Manx e toda a história entre eles e a narrativa é muito bem feita. A diagramação está ótima e não achei erros gramaticais, o que é ótimo. Outra coisa que achei muito legal são os desenhos, que dão uma vida mais real na história e segmenta cada capítulo com novas perspectivas. 



São muitas páginas de uma boa leitura. Você vai ler e perceber que o medo não é nem um pouco imaginário e quando vir um Rolls-Royce pela rua, sua intenção e talvez sua reação não será de vislumbre e sim de pânico iminente.





14 comentários:

  1. Oi Greice,

    Nossa não acredito que não conhecia Joe Hill, eu li Estrada da Noite dele e amei, fiquei super curiosa para ler Nosferatu, ainda mais de você ter aprovado a leitura.

    Beijos e obrigado pela dica.

    Elis

    http://amagiareal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Greice;
    Tudo bem?
    Dese que vi esse livro fique com vontade de lê-lo. Já tinha lido Joe Hill antes em "Estrada da Noite" e gostei bastante. Confesso que o tamanho desse livro me assustou um pouco, visto que o que eu li dele é bem fininho, mas isso não me espantou por completo. Assim que o preço dele estiver mais acessível vou comprá-lo e devorá-lo!

    Adorei sua resenha! Muito bem explicativa e me deixou com ainda mais vontade de ler!

    Beijusss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogMenteHipercriativa

    ResponderExcluir
  3. Oi Greice,
    Aind anão li nenhum livro deste gênero acredita?
    Comprei acho q uns 2 na bienal rsrsr se eu gostar vou ler este da sua dica tb!!
    Adorei a resenha e o layout do blog tb, que coisa mais linda!
    Bjos!

    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Grei!!!

    To com esse livro na fila e estou looouca para ler!
    Adoro a capa americana com o nome na placa! Pena que aqui não faz sentido...

    A Arqueiro caprichou na diagramação né?!
    Adoro livros com algumas ilustrações! \o/

    Já li "O Pacto" e gostei muito. Tenho certeza de que com esse não vai ser diferente!

    Beijokinhaaaa

    ResponderExcluir
  5. Oi Greice

    Engraçado que quando vi o título desse livro lembrei pensei naquele filme do vampiro. O livro não fala sobre isso, mas parece tão assustador quanto.
    Não conheço nenhum livro do Joe Hill e apesar de suas história parecerem incríveis,acho que me falta coragem para ler seus livros.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  6. Oi Greice, tudo bem?

    Eu já sou medrosa, daí você termina a resenha com uma frase dessas... Tá doido menina, assim eu morro de medo! haha
    Todos falam muito bem desse autor e desse livro, tenho curiosidade, mas o medo fala mais alto, rsrs

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  7. Não tão diferente de você, conheço o Joe Hill a muito pouco tempo. E por isso ainda não tive oportunidade de conferir nem uma obra do autor.

    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Greice,
    Então primeiro isso com certeza deve ser genético sendo filho do rei do terror (king) o joe hill só pode ter uma escrita angustiante que agrada aos leitores de terror. Confesso que não li nenhum livro dele ainda, pois sim, sou um pouco medrosa para esses livros, mas tenho muita curiosidade e algum dia quero acabar lendo algo dele também. Mas já presentei minha prima com os livros dele, e ela por assim dizer é fã do pai dele e amou a escrita desse autor também...rsrs. Muito legal você ter gostado da leitura. Adorei a resenha e quem sabe algum dia eu me aventure nessas histórias também.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Gostei da dica, não sei se leria, para ser sincera, mas ótima resenha Greice!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. É essa pegada "vou ler esse livro somente de manhã e não a noite porque senão não durmo" que me deixa muito animada para ler a obra de Hill. Eu só tinha ouvido falar dele de outro livro assustador que lançou, mas nunca li nada e esse parece ser um bom começo.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  11. Olá Greice!
    Eu não conhecia esse livro, então resolvi começar a ler sua resenha antes da sinopse. Bem, a cada frase suas palavras me prendiam mais e, eu já estava pensando em colocá-lo em minha lista por causa do mistério! Até que comecei a me assustar com o rumo que a narrativa parecia tomar e, ao final da resenha, percebi que não conseguirei ler esse livro, não curto muito terror rs.
    Ótima resenha!!
    Beijos

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Nossa, estou muito ansioso para a leitura desse livro, estou com ele aqui e acho que será uma das minhas próximas leituras. Sua resenha nos deixou ainda mais empolgados.

    Lucas - Carpe Liber
    http://livrosecontos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. O próximo presente do meu aniversário ou no Natal para morrer de curiosidade com o Hill terminando com meu coração naquela tensão maravilhosa de algo incrível que vai começar.
    Adorei saber que é um livro não tão sangrento e sim mais tenso, então espero gostar.

    http://romances-para-te-fazer-feliz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Greice,
    não se sinta envergonhada por não saber quem era Joe Hill, quando o primeiro livro dele que também não sabia, já que ele nem quis usar o sobrenome do pai famoso, porém os livros do filho são bem loucos idem.
    Nosferatu me deixou com medo quando li, acredite.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos