27 junho 2014

11

A grande (e dolorida) diferença dos anos!

Eu sei que algumas coisas parecem estranhas quando a gente pensa demais.
Sei também que quando leio postagens no Facebook estas coisas até pioram mais ainda porque eu imagino como tudo ficou ainda mais difícil.

Quando era adolescente, no início de tudo, das coisas bobas, das piscadas de olhos, de olhar para o lado e ver que um menino era mais do que um menino e não um homem, mas aquilo que talvez fosse somente um sorriso a mais, achava que meu sorriso bastaria. Aquele sorriso com meus dentes separados, pequenos; aquele nariz enorme que eu sempre tive mas que até então nunca havia me dado incômodo nenhum. Mas então eu percebia que ali havia algo de errado porque os meninos nunca olhavam para mim com um grande sorriso nos olhos e minhas amigas sempre foram as "grande garotas" e eu era a "menina amigona".

De qualquer forma isso me dava grande alegria já que eu vivia jogando futebol no campinho ao lado da minha casa ao invés de brincar de Barbie e de maquiagem. Melhor jogar vídeo-game do que brincar de provar roupas.

E então chegou o momento de crescer um pouco mais. Eu cresci na altura mas meu corpo não quis crescer junto. Minhas amigas tinham a protuberância de peitos e bumbum e eu sequer precisava colocar sutiã! E com 16 anos isso já fazia uma diferença enorme. No rosto as chatas espinhas me faziam parecer mais uma goiaba colorida e todo mundo gosta de comentar que você tem algo na cara porque acreditam que você nunca se olha no espelho de casa, além de que os mais malvados criaram apelidos cruéis para meu nariz e fizeram com que eu só quisesse sair de casa com um cabelo tapando meu rosto. Preferia fingir que não existia, mas entre as amigas sempre fui eu mesma: alegre, brincalhona e que nunca perdia uma piada.

Se eu pensar que alguém olhava para mim com algum brilho nos olhos eu posso contar um ou outro dedo da mão. Eu sempre fui a vela, com a chama me deixando arder e desejando um dia poder ser olhada e desejada. Talvez o mundo naquele momento não fosse tão consumista ou tão exigente.



Mas o tempo passa e um dia alguém enfim me aceitou do jeito que eu era. Magra, sem corpo, sem seios, sem bumbum, sem exuberância, sem dentes bonitos, sem roupas legais. Aprendi o que era maquiagem aos 20 anos. Decidi que pintar as unhas talvez fosse bom aos 25. E perdi quem me aceitava também neste momento.

Agora, quem me olha não percebe que tenho coração, que sou legal ou que sei dar risadas. Quem me olha quer uma cópia da mulher de balada, aquela com saias curtas e coladas, com cabelos lisos e maquiagem impecável. Quer corpo potente para mostrar em fotos no Facebook.

Eu apenas sou eu mesma, com um livro nas mãos, com meu olhar direto e com uma dor infinita. Uma dor que não acredita que o amor possa existir novamente como um dia existiu e que resolveu ir embora. Acredito que agora os homens queiram mais o fora do que o dentro e eu quero mais o ser do que o ter.

Não vou negar que choro desejando algo. Que tento buscar o calor de um abraço. Mas chega um momento que certas páginas se repetem tanto que não desejamos mais escrevê-las. Tento guardar as lágrimas, mas sei que elas voltam. Não tenho culpa de não ser linda, mas aprendi a ser leal.

A diferença é desejar ser você mesma, o que realmente não sei mais se consigo ser quando me olho no espelho e sorrio, com meu sorriso imperfeito...



11 comentários:

  1. Gre, vc é linda, só está precisando dar mais valor a si mesma e enxergar o quanto deve ser valorizada. O resto é resto. O amor vai vir com o tempo, pode ter ctz. Talvez vc não deva estar procurando nos lugares certos. Aliás, vou te falar, tá mt dificil arrumar alguém que preste hoje em dia, tanto homem quanto mulher. Mas um dia se acha, pode ter certeza. =*

    ResponderExcluir
  2. OI, pode parecer bobagem, mas realmente quando voce menos esperar, alguém vai "brotar" no seu caminho e todas as mágoas deixarão de existir. Acredite que se até as pedras se encontram..imagine que a pessoa que vai merecer seu coração está por aí, também perdido até te encontrar.
    Beijos e um enorme abraço.
    Evani

    ResponderExcluir
  3. Como mudamos com o tempo né.
    Se a gente parar pra fazer um retrospecto vai se surpreender...

    Belas palavras!

    Beijo, Van - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Greice, quando vc se descreveu me vi ali, muitos anos atras. Sempre fui a patinho feio, a que ninguem queria, aquela que as populares passavam longe. Casei, nao com o marido mais lindo, mas com o que me entendia, o que me fazia sorrir. COncrdo com vc, atualmente a gente abre o face e é só guria com corpo de Paniquete, todo mundo o corpo. Mas elas nao sabem que o corpo muda, que vao envelhecer. O que nós fazemos ? Cultuamos a mente e isso idade nenhuma nesse mundo vai tirar de nós. O que é seu esta escrito e vira no tempo certo.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, texto lindo, mas poxa... Você não pode se achar feia ou deixar que a opinião dos outros te deixe pra baixo...

    beijos
    www.apenas-um-vicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi, Greice! Que desabafo, hein?! É bom colocar pra fora o que aflige, deixar guardado só faz mal.
    Eu tive uma infância e adolescência bem complicada também, mas por motivos inversos aos seus. Minha mãe cortou meu cabelo joãozinho quando eu tinha uns 7 anos, eu fiquei parecendo um menino. Aí sempre fui gordinha, sofria o tal bullying (na minha época não tinha esse nome nem essa atenção toda), mas deixava pra lá. Quando entrei na adolescência, logo comecei a botar peito. Como era gordinha, as meninas diziam que era gordura, mas não era; peito grande é de família. Por nascer muito cedo e eu viver em efeito sanfona, acabaram sentindo o efeito da gravidade logo cedo. Nunca fui vaidosa, minha mãe sofria comigo porque queria me enfeitar e eu não gostava. Com 15 anos comecei a me interessas por maquiagem, mas achava melhor assumir minhas olheiras bem roxas a perder tempo tentando escondê-las. Unha então... mal fazia, e quando fazia não durava 5 dias.
    Minha história começou a mudar quando conheci um ex-namorado, que gostou de mim - gordinha - quando me viu de biquíni. Muitos traumas foram superados com ele. Quando terminamos, fiquei mais tranquila pra encarar a vida, mesmo sabendo que nunca seria a gostosona que as colegas eram. Hoje sou casada, e meu marido me conheceu sem maquiagem, de farda, coque e boot. Eu não consigo me achar bonita com aquele uniforme camuflado, mas ele enxergou algo além. Ele me ajudou quando cheguei aos quase 100 kg, e é ele o responsável por não me deixar desistir da dieta (já perdi 20 kg).
    O lance não é quem somos, porque o que conta mesmo é a essência. O que importa é esperar as pessoas certas - não só amores, mas também amigos. Quem vai nos querer por perto são aqueles que conseguem ter uma relação sem interesses, que enxerga a essência.
    Sei que a espera é chata, mas acaba sendo necessária. Com certeza evita outras decepções futuras. Mas, se uma coisa ajuda (por experiência própria, é se amar mais. Procure coisas que te façam bem. Se você se sente mais bonita maquiada, se force a usar maquiagem. Se fazer as unhas te faz sentir mais feminina, não hesite em ir à manicure. Se você acha que vai ficar melhor com mais corpo, procure um nutricionista pra te ajudar a ganhar massa. Faça por você, o resto é consequência.
    E, pra finalizar, a frase superbatida, mas linda e totalmente cabível: "O segredo é não correr atrás das borboletas… É cuidar do jardim para que elas venham até você."
    Beijinhos! Melhoras!
    Giulia - Prazer, me chamo Livro

    ResponderExcluir
  7. Oi Greice!
    Pelo tempo que nos conhecemos acho que já posso lhe chamar de amiga né?! rsrs
    É como amiga que vou te dizer que tudo tem seu tempo e que apenas o seu tempo ainda não chegou.
    Com certeza em algum lugar tem alguém procurando por você assim como você é, com a sua singularidade. Peça com fé à papai do céu em suas orações e creia que ele vai enviar pra você aquela pessoa que você está esperando no momento certo. Eu creio, você crê?!
    Bjs

    http://garotasbacanas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. lindo seu texto
    precisamos nos aceitar mais mesmo com nossas imperfeicoes
    bjs

    Sachê e Bombom

    ResponderExcluir
  9. Ei você é muito gata, levante a alto estima hahaha!
    Tenho fé que irá encontrar alguém bem bacana.
    Ótimo texto (desabafo) haha
    Bjs
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Que isso Greice??? Deixa disso!!!
    Você é linda, se ainda não percebeu, vou te dizer, você é!!!!!
    Tenha certeza que muitos homens não se aproximam de você, porque percebem a mulher forte, inteligente, respeitável, digna, etc., que você É!!!
    De verdade, te digo isso de <3 pois desde que comecei a visitar o blog (e olha que morro de preguiça de visitar), amei o seu de cara, porque ele é supersincero, fofo, aberto sabe... me sinto em casa aqui, não tenho medo nem vergonha de dar minha opinião, é como se nos conhecêssemos pessoalmente, e eu estivesse apenas visitando uma amiga!
    Está vendo como você é especial???!!!

    Vou te contar uma coisa, que só contei pra minha família: Quando eu era pequena, sofria muito preconceito na escola, porque tenho cabelo enrolado, daí diziam que é ruim; porque era gordinha - o que na verdade, eu só tinha corpo de mocinha sendo criança ainda; depois usei óculos, tinha dentes tortos, enfim, me chamavam de feia na cara!
    Até que um dia, já com 16 anos, pensei comigo que eu era especial e linda a minha maneira, afinal, Deus me fez com tanto carinho e ainda parecida com minha mãe!
    Daí comecei a valorizar meu corpo, comecei a me cuidar mais, coloquei aparelho nos dentes - que já tirei mas não consertou tudo.
    MAS SABE DE UMA COISA: Eu aprendi a me amar e a me aceitar!!!! Eu melhorei um pouco, mas POR MIM!!! Porque quero ter orgulho e admiração por mim SEMPRE!!! E quem quiser ficar comigo, vai ter que ralar muitoooooooo!!! Porque eu mereço, e sei, pelo que te conheço, que VOCÊ TAMBÉM!!!!!!

    Bjuuuus sinceros do ♥

    ResponderExcluir
  11. Gente, muito obrigada pelo apoio e pelas palavras lindas de todos. Cada um deixou um pedacinho de esperança no meu coração, pois quando passamos por momentos difíceis, parece que eles nunca vão embora!

    Obrigada mesmo!

    ResponderExcluir

Olá!
Obrigada pela visita ao blog.
Tento sempre responder aos comentários aqui no blog e, se deixar o seu blog, retribuir as visitas o máximo possível.
Beijos