Para quem já conhece a saga de livros de Romances de Hoje da editora Arqueiro já pode então ficar bem feliz, pois está chegando mais um lançamento para entrar em conjunto com todos os outros lançados.


Desta vez a autora é novata no time da editora e traz mais frescor para todas as outras histórias. Eu já li todos os outros livros lançados e posso dizer que são histórias e amor contemporâneas que faz rir e refletir ao mesmo tempo, em diversos lugares do mundo.

Desta vez a autora escolhida para o lançamento é Lucy Dillon e é a primeira vez que vou ler um livro dela.




LIÇÕES INESPERADAS SOBRE O AMOR
Lucy Dillon
Páginas: 336
Data de Lançamento: 24/02/21


Jeannie sempre sonhou com uma grande paixão, e agora finalmente está vivendo um romance avassalador com Dan, um jovem veterinário. Depois de menos de um ano de namoro, ele a pede em casamento durante um fim de semana romântico em Nova York.

Os meses de noivado voam e de repente ela se vê no carro a caminho do casamento. Tudo parece perfeito e mágico demais para ser verdade. Mas ela não consegue afastar do peito a sensação sufocante de que está tomando a decisão errada.

Jeannie tem uma última chance de voltar atrás. Porém, quando decide agarrá-la, um golpe do destino joga tudo o que ela conhece pelos ares.

Com o futuro parecendo incerto e sombrio, Jeannie mergulha uma jornada de autodescoberta e constata que, para amar totalmente outra pessoa, primeiro precisamos aprender a ouvir nossos próprios desejos e necessidades.


Para quem quiser adquirir o livro com o Pin do mês, pode já ir no link da Amazon e aproveitar a oportunidade, pois vem com esta fofura da foto abaixo.



E depois que eu ler trago mais novidades sobre o que achei desta nova proposta da editora!




Para quem lê ou leu algum livro da autora Kristin Hannah e gostou, já pode ir se preparando, pois em fevereiro vai estrear na Netflix uma série sobre dois livros que são um a sequência do outro e dão vida à história de duas amigas.

O primeiro livro foi lançado aqui no Brasil pela Editora Arqueiro com o mesmo título da série e a continuação foi lançada pela editora Novo Conceito com o nome de Por Toda a Eternidade. A história fala sobre a amizade de Tully e Kate desde a infância até a fase adulta e por tudo o que cada uma delas passa.

    AMIGAS PARA SEMPRE
Estreia na Netflix em 03/02/2021




Aos 14 anos, Tully Hart era linda, alegre e popular. O que ninguém imaginava era o sofrimento que ela vivia: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas, costumava desaparecer por longos períodos.

Mas sua vida se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu Kate Mularkey. A garota era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully se sentir parte de sua família.

Ao longo de mais de trinta anos, Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos, enquanto Kate ensinou Tully a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena.

As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio, até que algo abalou a confiança entre elas.


Será possível perdoar uma traição da melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto curar.



Fico na dúvida se a série vai mostrar também a continuação do livro, pois tem bastante história pela frente e também posso dizer que a história dói demais. É aquele tipo de amizade para toda a vida e que tem tanta história e reflexões que eu levo os dois livros como uma dica para muita gente. Acho que são duas obras muito importantes da autora.


Espero que a Netflix tenha ou colocado as duas obras juntas nesta temporada ou façam duas temporadas sobre os dois livros. 


Caso queira ler mais sobre cada obra, tem a resenha de Amigas para Sempre aqui e Por Toda Eternidade aqui


E um pouco mais no trailer abaixo.





Vou ficar torcendo para ser uma série digna e mais fiel ao livro!

                       


 


Autora: Colleen Hoover
Título Original: Verity
Páginas: 320
Ano: 2020
Gênero: Romance
Editora: Galera



Uma intrusa. Três mentes doentias. Verity Crawford é a autora best-seller por trás de uma série de sucesso. Ela está no auge de sua carreira, aclamada pela crítica e pelo público, no entanto, um súbito e terrível acidente acaba interrompendo suas atividades, deixando-a sem condições de concluir a história... E é nessa complexa circunstância que surge Lowen Ashleigh, uma escritora à beira da falência convidada a escrever, sob um pseudônimo, os três livros restantes da já consolidada série.Para que consiga entender melhor o processo criativo de Verity com relação aos livros publicados e, ainda, tentar descobrir seus possíveis planos para os próximos, Lowen decide passar alguns dias na casa dos Crawford, imersa no caótico escritório de Verity - e, lá, encontra uma espécie de autobiografia onde a escritora narra os fatos acontecidos desde o dia em que conhece Jeremy, seu marido, até os instantes imediatamente anteriores a seu acidente - incluindo sua perspectiva sobre as tragédias ocorridas às filhas do casal.Quanto mais o tempo passa, mais Lowen se percebe envolvida em uma confusa rede de mentiras e segredos, e, lentamente, adquire sua própria posição no jogo psicológico que rodeia aquela casa.


Verity é uma autora de total sucesso com a sua saga de livros. Porém, agora ela está em um estado que não pode mais terminar de escrever sua história e por isto precisa que uma outra autora acabe fazendo isto por ela. Lowen é a pessoa escolhida pelo marido de Verity, Jeremy, que cuida da mulher e de seu filho, Crew.

Para isto Lowen precisa conhecer todo o mundo de Verity e a forma como ela inventa todo o seu mundo. E é indo passar um tempo morando na casa deles que ela vai tentar encontrar alguma pista para os próximos três livros da saga.


A partir daí ela percebe que Verity ficou completamente em estado vegetativo após um acidente e que a vida que aquele casal leva, junto de seu filho é bastante triste. Isto sem contar com a morte de suas duas primeiras filhas. 

"Olho para a cama. Os olhos de Verity ainda estão abertos, mas não olham para nada. Não sei se ela percebe que a enfermeira saiu. Ela percebe alguma coisa? Sinto muito por Crew. Por Jeremy. E por Verity." Pág. 57

E é então que Lowen encontra um rascunho, um estilo de autobiografia que começa a contar desde o início em que Verity e Jeremy se conheceram, tudo o que aconteceu entre eles. Mas a cada página que é lida, coisas perturbadoras começam a acontecer e a cabeça de Lowen não sabe se tudo o que está acontecendo é real ou imaginário. 

Choque. Esta é a palavra certa para definir minha sensação com esta leitura. Minha primeira leitura desta autora foi As Mil Partes do Meu Coração e já conseguiu me conquistar e ao comprar este livro me deparei com algo tão cheio de suspense e uma reviravolta tão grande que tinha momentos em que sequer conseguia respirar.

Tem muito suspense. Você não vai saber o que realmente acontece. A história que vai sendo contada aos poucos deixa um misto de dor, raiva e ao mesmo tempo de pesar. A autora consegue tanto mexer com a mente que parece que tudo é uma encruzilhada de jogadas de todos os lados.

"Parte de mim quer apenas deixar isso para lá, se trancar no escritório e trabalhar pelo resto da noite. Mas sei que não vou conseguir se não for checá-la. Cofirmar que não vi o que achei que vi." Pág. 102


É uma história só contada por dois lados diferentes. E cada lado parece mais louco do que o outro. E mesmo assim nunca se sabe de qual lado ficar ou para qual personagem torcer. Sendo que no final eu simplesmente fechei o livro e fiquei olhando para o teto e imaginando se aquilo tudo que tinha acontecido não era só uma pegadinha da autora para me deixar tão confusa assim.

Colleen Hoover se superou demais nesta obra. Eu fiquei com um medo tão grande em vários momentos que não sei como os personagens aguentavam tanto assim. E mesmo depois de tudo ver que a história terminou eu me senti vazia. Solitária. 

Não perca a oportunidade de ler esta obra. É de dar arrepios a forma como o amor pode ser transformado em histórias tão diferentes e causar um impacto tão forte. Uma ótima leitura.





Estou extasiada depois de ter terminado a primeira temporada de Bridgerton. Sou uma das fãs dos romances de época, inclusive de Julia Quinn que não leu todos os oito livros da série e mesmo assim, ao assistir a série, mesmo sabendo que houve mudanças, fiquei maravilhada.

E assim, para fevereiro, a editora Arqueiro traz mais uma saga de outra autora, Lisa Kleypas, esta já publicada há bastante tempo lá fora, mas que para nós, amantes dos romances, é uma renovação.

A saga é composta de três livros, sendo que o primeiro vai ser lançado no próximo mês. E vamos abaixo com mais informações:


CORTESÃ POR UMA NOITE
Os Mistérios de Bow Street - Livro 1
Nome Original: Someone to Watch Over Me
Lisa Kleypas
Lançamento: 05/02/21
Páginas: 272

Certa noite, o belo e misterioso policial Grant Morgan é chamado para investigar uma vítima de afogamento no rio Tâmisa. Quando chega lá, fica surpreso ao reconhecer Vivien Rose Duvall, um de seus grandes desafetos, a mais famosa e exclusiva cortesã dos salões londrinos. 

Grant fica mais surpreso ainda ao perceber que a moça está viva. Sem saber o que fazer, ele decide levá-la para casa, apesar de seu desprezo por ela. Quando Vivien acorda, porém, os dois percebem que ela não se lembra de nada.

Durante a investigação, logo fica claro que a moça sofreu uma tentativa de assassinato e que sua vida ainda está correndo perigo. Enquanto tenta protegê-la, Grant se sente cada vez mais atraído por ela. E Vivien, incapaz de recuperar a memória, se entrega de corpo e alma a seu salvador.

Nesse mistério envolvente cheio de pinceladas de romantismo, duas vidas se cruzam de maneira inesperada e uma paixão avassaladora coloca em dúvida tudo que eles achavam que sabiam.

As capas abaixo foram outras publicadas em diversos países:







 O segundo livro ainda sem tradução oficial é o LADY SOPHIA'S LOVER:



E o terceiro e último, também sem tradução oficial é o WORTH ANY PRICE:




Enquanto isso ainda vou colocar meus outros livros em dia, mas já dá para  ir colocando este livro na lista de compras e já está em pré-venda para quem quer aproveitar!



 



E depois de ler tantas coisas boas a respeito desta produção nacional, não poderia estar mais do que satisfeita em vir escrever sobre ele.

FILME: Tudo Bem no Natal que Vem

NOME ORIGINAL: Tudo Bem no Natal que Vem

NACIONALIDADE: Brasil

DURAÇÃO: 1 horas e 41 minutos

ANO: 2020 

GÊNERO: Comédia

Sinopse: Jorge sofre um acidente na véspera do Natal e acorda um ano depois, sem lembranças do que ocorreu nesse período de tempo.

E como sou uma pessoa bastante sincera, preciso dizer que não sou uma mega fã de produções brasileiras. Antigamente sempre via as produções como algo que puxava demais para a sexualidade ou filmes muito exagerados. Agora, tenho visto que há alguns poucos anos o cenário mudou e isto pela minha visão, claro.

Depois de ter me alegrado e refestelado com Bom Dia, Verônica, chega o filme Tudo Bem no Natal que Vem e me deixa com um gosto de quero mais em produções que estão colocando o Brasil em maior visualização. Claro que posso citar mais várias produções, mas vamos nos focar neste filme que acabou encantando o país e vários outros pelo mundo.


Em primeiro plano Leandro Hassum. O que este ator e comediante sofreu por acreditarem que ele não era mais engraçado depois de ter perdido peso. E muita gente ainda acha que ele não é mais engraçado mesmo. Mas ao representar o papel de Jorge, um pai de família tradicional que faz aniversário no dia de Natal e desde sempre odiou esta data, mostra que sua versatilidade e humor conseguem superar estas críticas.

Jorge é o tipo de pessoa que realmente sofre com a data, já que todos que fazem aniversário próximo de uma data tão comemorativa nunca conseguem fazer festa, os amigos nunca estão para festejar ou então nunca vai haver dois presentes. Quem aí já não passou por isto e faz aniversário perto de alguma data?

E tudo começa assim, mostrando como ele nasceu, cresceu e passou por momentos em que o fez odiar esta data. Após isto, com a família já formada, a cena parte para a véspera de Natal, no dia 24 de dezembro, onde além da esposa e filhos, acabam indo para a ceia o cunhado, a sogra e demais familiares.


É uma típica cena de Natal. Quem não conseguir se reconhecer nesta cena deve ter algo muito estranho no ambiente familiar. Ou melhor, qual família brasileira consegue ter um Natal sem qualquer tipo de discussão? Ou ter todo o tipo de entretenimento de todas as pessoas?

Mas é depois de um acidente que o filme começa a mostrar a realidade da mensagem. Quando Jorge sofre um acidente e todos os Natais começam a se repetir, porém com datas passando. Assim ele vai vendo todos os anos passando sem que ele possa mudar nada.

E o filme faz rir. O jeito de Leandro Hassum é muito engraçado. Ele tem aquele jeito natural de faz piada e não tem piada forçada. Parece que é tão natural que é como se ele tivesse já nascido com aquele roteiro. 


Mas o verdadeiro valor do filme, mesmo que seja um filme de comédia, é a intenção que ele passa. Nossa, tem momentos em que é quase impossível não chorar. Sabe quando em certos momentos você se pergunta por qual motivo a gente reclama tanto o ano inteiro e depois na noite de Natal fica agradecendo e desejando o melhor para as pessoas? Sim, é isto o que o filme mostra.

O que importa é que nunca se deve desistir, nunca se deve deixar passar momentos importantes, nunca devemos reclamar do que temos. E que por mais complicado que cada família seja, o melhor de tudo é que estar junto com quem quer que seja, este momento deve ser valorizado.

E nisto o filme consegue fazer bem. Demonstrar que mesmo em momentos difíceis ou quando optamos por ações que depois iremos questionar, sempre haverá amigos ou família ao nosso lado. E acredito que é por isto que o filme fez tanto sucesso. Por não ser somente algo para fazer rir, mas também para fazer refletir.

Espero que a Netflix continue dando estas oportunidades aos atores brasileiros e que as produções se tornem mais valorizadas e quebrem paradigmas e preconceitos como os meus. Super recomendo este filme, antes e depois de qualquer Natal. 



E vamos de mais romance de época? Eu já tinha deixado o blog meio paradinho por um tempo, mas nem por isto deixei de ficar ligada em tudo o que estava acontecendo, tanto que minha lista de compras da Black Friday foi enorme e só de lembrar meus livros novinhos já fico com um sorriso enorme.

Depois do primeiro volume lançado da autora Scarlett Peckham denominado O DUQUE QUE EU CONQUISTEI pela editora Arqueiro, agora vem o segundo volume, a ser lançado em janeiro de 2021 (isto se conseguirmos sair de 2020). Segue abaixo mais informações da obra:


O DUQUE QUE EU ARRUINEI
Os Segredos da Charlotte Street - Livro 2
Scarlett Peckham
Páginas: 288
Data de Lançamento: 15/01/2021


Depois que lady Constance Stonewell sem querer arruína o futuro de Julian Haywood, o conde de Apthorp, com sua coluna de fofocas, ela faz a única coisa que resta a uma dama honrada: se oferece para casar com ele. Ou, pelo menos, para encenar um noivado às pressas e, assim, salvar a reputação do coitado. 

Mesmo que isso signifique passar um mês inteiro na companhia do sujeito mais sem graça da Inglaterra, um homem que condena todos os prazeres que ela mais adora.

O conde de Apthorp está prestes a se tornar o homem que sempre desejou quando vê seu nome ser arrastado na lama. E assim que lady Constance, a mulher por quem ele é secretamente apaixonado, confessa que foi tudo culpa dela, não é só a vida dele que se parte em mil pedaços, mas também seu coração.

Agora os dois têm um mês para limpar o nome dele e convencer a sociedade de que estão perdidamente apaixonados. Ao longo desse tempo, Constance percebe que, por trás da fachada tediosa, seu falso pretendido é muito mais interessante do que ela poderia imaginar.

Só que conseguir o perdão dele e convencê-lo a levar o teatrinho para a vida real vai ser o plano mais difícil de todos os que Constance já criou. E o mais delicioso também.


O primeiro livro é este abaixo e sempre indico para ler em sequência para que não se perca algum detalhe, mesmo que sejam histórias com personagens diferentes:



Para maiores informações sobre os dois livros é só acessar o site da editora Arqueiro.



Tem dias que paro e fico pensando para o que realmente eu estou viva. Sim, é um pensamento meio estranho, mas acredito que todo mundo tenha este tipo de pergunta. 


A verdade é que há muito tempo a questão de que é necessário ter um ideal para viver existe sob o contexto da filosofia e muitas análises são criadas para que o ser humano obtenha respostas. Ou seja, qual o motivo de termos nascido e o que nos faz tão importantes? 


A religião para alguns é mais do que necessária, já que é através dela que pessoas encontram suas respostas. E mais do que isto acreditam que é através dela que precisam encontrar outras pessoas, outros mundos para alcançar seus objetivos. Muitos dizem que a caridade é uma forma de sentir-se bem, de fazer com que a vida seja mais plena, que nos sintamos melhor, atingindo um objetivo.


Eu fico pensando no que realmente vim fazer aqui na Terra. Para que sirvo. E é por isso que acredito que a literatura serve tanto para mim. Através de diversas histórias eu consigo aprender mil maneiras de conhecer o outro. Quando alguém escreve uma nova história, está de alguma forma ajudando o próximo a entender um ponto de vista, seja um livro de ficção, um romance, uma fantasia, um drama. Sempre é algo baseado em um pensamento ou em uma experiência já vivida.

O que quero dizer é que depois de ter lido tantas histórias, consegui angariar muito conhecimento sobre diversas fases e modos do ser humano e assim me tornar mais empática, sabendo lidar mais facilmente com o próximo.

Nem sempre é fácil descobrir o que realmente me motiva, o que me faz querer continuar. Será que não sirvo para nada além de somente fazer o meu trabalho do dia-a-dia, quando muitos outros fazem coisas que julgo excelentes e que eu poderia também estar fazendo?

Sim, eu poderia. Também alcancei patamares muito bons com o que fiz até agora.

O que quero dizer ou onde quero chegar é: se o que te motiva pode parecer estranho aos olhos dos outros, continue. Pois sempre vai criar milhares de benefícios a outros de diversas formas. E a você também, pois tudo o que você gera de forma positiva vai voltar de forma positiva.


Se o que te motiva te faz feliz, fará a outro feliz. 


E se isto vier de uma boa leitura, melhor ainda!



E vamos para mais uma comédia de dança adolescente que chegou no catálogo da Netflix. Para quem gosta de filmes no estilo Ela Dança, Eu Danço, pode chegar que é bem nessa jogada.

FILME: Dançarina Imperfeita

NOME ORIGINAL:  Work It (Trabalhar)

NACIONALIDADE: Estados Unidos

DURAÇÃO: 1 hora e 33 minutos

ANO: 2020 

GÊNERO: Comédia


Uma aluna brilhante e estabanada topa tudo para entrar na faculdade que o pai frequentou, incluindo se transformar em campeã de dança junto com os amigos desajustados.


Já vou começando sendo direta para não iludir ninguém. O filme grita totalmente para o famoso clichê. É clichê e mais clichê em todo o roteiro, do início ao fim e é isso que você pode esperar. Pronto. A partir deste momento em que você sabe que o que vai assistir é aquilo que já viu em todo tipo de filme adolescente com música e romance, pode jogar a crítica total de lado e aproveitar o que o filme tem a oferecer.

Primeiro que ele foi produzido por Alicia Keys e aí já vale pontos. O que mais agrada também é a questão do elenco que daí eu conhecia a famosa youtuber conhecida como Liza Koshy, que aqui vai ser a melhor amiga de Quinn Ackermann, personagem interpretada pela garota completamente sem noção de dança de Sabrina Carpenter.

Outro ator que conheço que fez o segundo filme de Para todos os garotos que já amei: P.S. Ainda amo você é o Jordan Fisher, que aqui vai ser o professor de dança. E no restante vai ter muita gente engraçada e cada um com sua peculiaridade total. E essa é a graça da coisa toda.


A história é que Quinn quer muito entrar na universidade de Duke, porém ela precisa ter alguma coisa diferente que chame a atenção deles. Assim, ela resolve mentir que faz parte de um grupo de dança e que participa da competição anual. O problema é que a pessoa com quem ela está fazendo a entrevista de admissão diz que ela só vai conseguir entrar depois que for vista neste concurso de dança. 

Só que ela não sabe dançar absolutamente nada. E isso é mostrado quando a melhor amida dela tenta ensiná-la algumas coisas. E não somente isto, é necessário que seja apresentado em equipe. A partir daí o que ocorre no filme é Quinn e sua amiga correndo atrás de pessoas que queiram participar do time e indo atrás do professor para montar a coreografia.

Claro que também não podia faltar o outro lado, que é uma equipe que sempre ganha esta competição e que vai querer dar tudo para ganhar novamente. Lógico, o clichê.


A partir daí são cenas de danças, ensaios, frustrações e dramas. Claro que tem aquela pequena participação de um romance, que precisa acontecer para fazer dar aquela animada maior entre os personagens principais e também as cenas de humor que a Liza sabe fazer muito bem. 

Eu fico pensando como conseguiram pegar uma atriz que fosse realmente tão ruim de dança. Pois se alguém sabe dançar, imitar alguém que não sabe deve ser bastante difícil. E Sabrina Carpenter é muito ruim na dança. Mas ganha no carisma e no jeito com que trata todo mundo. Há algumas cenas de humor pesadas que eu dei risada e depois fiquei pensando que parecia muita maldade, mas no conjunto é para realmente demonstrar no quão eles estavam em apuros na questão qualidade de dança.



Não é um filme cheio de teorias da conspiração ou algo difícil de entender. Mas é legal para passar o tempo e aquecer o coração. E dar boas risadas, por que não?