E aí, você conhece a Flipop? Ainda não? Então esta é a oportunidade de você conhecer um pouco mais deste evento que vai ocorrer entre os dias 29 de junho e 1º de julho em São Paulo.

Se você gosta de literatura pop e ama diversos autores e autoras desta área, a Companhia das Letras, que fez o primeiro evento em 2017, vai sediar o evento este ano juntamente com mais nove editoras e trazer várias novidades para os leitores.

O objetivo do evento é trazer informações novas e gerar muita conversa entre todos os que vão estar por lá. Você pode comprar o seu ingresso direto no site e também já saber qual é a programação.

Para ter uma ideia de quem estará por lá vou citar aqui os livros e alguns dos autores presentes!


Dia 30/06 - Entrevista e bate papo com Jeff Zentner



01/07/2018 - Bate papo com Eric Novello


01/07/2018 - Entrevista com Morgan Rhodes
Dá para perceber que vai ter muita coisa boa e você pode conhecer todos os autores que estarão por lá aqui abaixo:



Se já quiser garantir o seu ingresso é só ir no site da Flipop e deixar seu registro por lá. 

Depois passa aqui e conta como a sua experiência em conhecer tanta galera legal que é responsável por trazer mais coisa boa e interessante ao mundo da literatura para a gente!





Autora: Lucinda Riley
Título Original: The Olive Tree
Páginas: 464
Ano: 2018
Gênero: Romance
Editora: Editora Arqueiro

Quanta verdade o amor é capaz de suportar?Helena nunca esqueceu o verão que passou na mágica Pandora, a casa de seu padrinho no Chipre, onde, cercada por oliveiras e pelo verde-esmeralda do Mediterrâneo, ela se apaixonou pela primeira vez, aos 15 anos.Mais de duas décadas depois, tendo herdado a antiga propriedade, ela retorna a Pandora para mais um verão, dessa vez em companhia do marido e dos filhos. No entanto, Helena sabe que voltar àquele lugar pode trazer à tona segredos que ela preferia esconder.Um desses segredos envolve Alex, seu filho mais velho, fruto de uma relação anterior a seu casamento. Com uma inteligência acima da média, ele vive a difícil transição para a vida adulta e está determinado a descobrir a identidade de seu verdadeiro pai.Enquanto o verão avança e pessoas do passado de Helena reaparecem, Pandora parece pronta a revelar os mistérios que ocultou por tantos anos e que, uma vez descobertos, farão com que a vida de Helena, e de sua família, nunca mais seja a mesma.
Pandora é uma casa linda e antiga onde morava Angus, o padrinho de Helena. Uma casa onde vidas foram vividas, e muitos amores e desamores tem histórias contadas e gravadas em suas paredes. Foi nesta linda casa no Chipre que Helena passou suas férias durante vários momentos de sua vida, já que sua mãe e seu pai não tinham tempo para ela, e seu padrinho a acolhia com todo o seu coração. 

Aquele céu azul e o calor envolventes fazem com que Helena se sinta acolhida em todos os sentidos. Ao invés do frio da cidade onde mora na Inglaterra. Helena resolveu passar férias na linda Pandora agora que seu padrinho faleceu. Ela precisa voltar para dar uma boa organizada no lugar e até mesmo modernizar com alguns bons móveis, uma nova cor e uma ou outra coisa que venha a agradar a ela. Não que vá mudar a vida que exista nela.

"Naquela época, eram muitos os sonhos, com a perspectiva da idade adulta se estendendo diante dela. A quem amaria? Onde iria morar? Até onde seu talento a levaria? Será que iria ser feliz...?" Pág. 30
Assim Helena e seus dois filhos, Alex de treze anos e Immy de cinco, saem na frente para arrumarem a casa para a chegada do seu marido William e seu outro filho de três anos, Fred. Apesar de ser férias em família, muita gente se convidou para ficar aquele período em Pandora também. Jules, o marido e seus dois filhos e mais Sadie, sua melhor amiga. No fim de tudo, a filha do primeiro casamento de William também vai fazer parte dos convidados e assim todos vão desfrutar de um lugar ao sol de Chipre.

Mas em meio a passeios e entretenimentos ao redor da ilha, Helena encontra um amor do passado, Alexis, com quem teve um relacionamento na adolescência. É com ele que ela vai relembrar algumas dores e momentos de felicidade e também é ele quem vai ajudá-la em momentos mais difíceis.




"Helena passou um tempo sentada, contemplando o deslumbrante céu noturno - inundado por uma miríade de estrelas, que ali pareciam brilhar com muito mais luz -, e sentiu que o cansaço começava a substituir a adrenalina. Entrou pé ante pé e se deitou na cama ao lado da filha. E, pela primeira vez em semanas, adormeceu imediatamente." Pág. 31

Alex, filho de Helena quer descobrir quem é seu verdadeiro pai. Mesmo que William sempre tenha sido seu pai por criação, ele tem a curiosidade de saber quem é o seu gene de verdade. Sua mãe nunca quis conversar sobre isto e ele tenta aos poucos descobrir alguma coisa. Ser um gênio não ajuda muito já que ele se torna diferente de muitas pessoas, mas agora ele pretende saber quem é o seu pai e tentar saber sobre sua família por parte de pai.

Em meio  ao amor em Chipre e a felicidade de todos, muitos segredos serão revelados e talvez muito do que se originou naquele lugar poderá ter fim ali mesmo, anos depois.

Nem preciso dizer que amo Lucinda Riley. Este é o mais novo lançamento dela que não está elencado junto com a saga das Sete Irmãs e quando comecei a ler vi que ela estava colocando mais um novo lugar em sua história: Chipre. Nunca tinha lido uma história com este país como cenário e amo quando leio algo com calor e natureza em volta. A descrição da casa, dos locais, da população em si é bem generosa, o que facilita a leitura a fluir muito mais fácil.

Neste livro não há a passagem de tempo costumeira da autora. Vamos começar a história em 2006 com o Alex voltando até Pandora para rever a casa e depois relembrar a história que acontece em 1996 em que ele conta através de um diário e também pela visão de Helena.


"Minha querida menina,
Estou sentado sob a nossa árvore pensando na última vez em que você ficou aqui comigo, deitada em meus braços. Embora tenha sido há menos de uma semana, a sensação é de que se passou uma eternidade. Não saber quando a verei de  novo torna nossas despedidas muito mais duras." Pág. 179
Lendo a história e conhecendo um pouco sobre a vida de Lucinda Riley jurei estar lendo o diário pessoal dela. É como se pelas páginas ela descrevesse suas próprias férias e fiquei imaginando se ela seria daquela forma, tão simples e tão calma ao mesmo tempo. Tão receptiva e cativante como é com todos os leitores. E ao final do livro ela deixa uma nota em que descreve que também fez uma viagem assim e se baseou na sua própria história para fazer O Segredo de Helena, deixando assim mais veracidade na sua escrita.

É um livro emotivo. Vai tratar de diversos assuntos mas principalmente de escolhas. E escolhas difíceis que se toma na vida. Eu me coloquei no lugar de Helena e acredito que tomaria as mesmas decisões dela e acredito que ela foi totalmente corajosa em cada ponto.

"Existe algum lugar mais lindo do mundo?, pensou Helena, ao percorrer os meandros elegantes das ruas de Viena, a caminho do café. O sol de fim de tarde, de um calor incomum para setembro, inclinava-se sobre as majestosas construções de pedra, banhando-as de um brilho dourado que refletia perfeitamente o estado de espírito que a animava." Pág. 305


Terminei a história suspirando. Feliz com a trajetória de todos os personagens e querendo ir tirar umas férias em Pandora. A diagramação do livro é de letras de tamanho normal e com páginas meio amarelinhas, daquelas que adoro ter e que não prejudica a visão.

Só fico chateada quando cada livro acaba e sinto que tenho que deixar Lucinda Riley ir mais uma vez. E com o livro todos os personagens aos quais já tinha me apegado. Mas sei que ela voltará. E que novamente me fará suspirar em um mundo de cenários ora selvagens, ora românticos. E de todas as formas estarei repleta de vida em páginas novamente.


 Eu sou definitivamente uma pessoa que é difícil de aderir a algum tipo de nova tecnologia. Agora estou pegando o teor de começar a ler coisas em estilo de e-book, já que tem alguns contos ou livros que não são disponibilizados no formato físico, sendo que prefiro o livros em mãos.

Mas tenho que pensar que também é uma questão ambiental e também é uma questão de estar perdendo conteúdo se eu não me atualizar a este ponto.

Então decidi que começaria a interagir com o Kindle. Me cadastrei no Unlimited da Amazon por 30 dias que eles oferecem para teste gratuito, depois disto tem uma taxa mensal de R$ 19,90.

Claro que tem vários livros disponíveis de diversos estilos. Estou começando com uns menores para ir me adaptando e também porque estou procurando autores e obras que não conheço.

Abaixo estão as obras que escolhi começar a ler e que em breve vou trazer uma pequena resenha de cada, já que são contos pequenos. Quando forem livros maiores vou fazer como sempre faço de resenhar o livro todo. Espero assim estar trazendo aos leitores do blog um pouco mais de opções para quem tem também o Unlimited quanto para quem gosta de ler e-books.

Casa, faculdade, casa dos pais. A vida de Juliana estava indo muito bem, obrigada. Até que ele apareceu. Ela não o conhecia, mas ele parecia conhecê-la muito bem. O motivo? Algo que ela nunca esperaria. Não em tão pouco tempo.
É provável que você nunca tenha pilotado uma estrela. É uma aventura para bem poucos. Mas Camile conseguiu tal proeza uma vez. Ela mesma, uma garota de família simples, que morava atrás de uma campina, bem perto de um grande milharal. Ela nascera sem poder falar nada, mas após o dia em que encontrou a grande luminosidade, e que pilotou uma estrela, vislumbrou algo que, não imaginava, modificaria toda a sua vida, e sua forma de enxergar o mundo.


“Sinto medo. O tipo de medo que persegue até a presença de outras pessoas. Segue até a luz e entra nas cobertas. Não está debaixo da cama ou dentro armário. Está em minha pele e tem um nome. Não pergunte. Não descubra. Nunca saiba o nome do seu medo, ou irá chamá-lo... Seus lábios podem estar selados, mas sua mente repetirá: Donavan... Donavan... Donavan.”
Na Aparecida dos anos 70, uma cidade erguida no centro de um milagre, conhecemos a história de Marta e sua filha Clara. De sua terra cultivada por fé a malignidade cresce no coração de uma mãe devota. As orações que a padroeira não atende são feitas agora para eles: anjos caídos. Ela não deveria saber o nome do demônio que atendeu sua prece, e a abominação despertada é tão grande que todos vão pagar pelo seu pecado. O mal só precisava que alguém o chamasse pelo nome e agora está entre nós.
"Faça uma oração antes de dormir e deixe a luz acesa. Se vir a fé em seus olhos, talvez vá embora. Mas ele virá”


Publicado originalmente na coletânea "Branca dos mortos e os setes zumbis e outros contos macabros", de Fábio Yabu. Três irmãos lobos, rebeldes e corajosos, resgatam seu instinto predador para enfrentar a seleção natural da espécie que vem extinguindo sua raça. Eles querem o poder de volta.
Estes são os que escolhi para ler esta semana juntamente com as minhas leituras de livros físicos.
Depois trago as resenhas aqui e digo como foi a minha primeira experiência.

Se você também faz este tipo de leitura e quiser deixar algumas dicas de livros por aqui eu agradeço muito!




Ah, como eu amo este mundo cinematográfico! Sempre estou me enfurnando em algum lugar e digitando no YouTube "trailers" para assistir o que vem de novo por aí e desta vez consegui ver algumas continuações que eu nem sequer sonhava que haveria.

São de filmes que foram lançados ao acaso e como acabaram sendo sucesso, mesmo que um deles teve continuação e foi ruim, acabaram lançando mais. São os que eu aguardo para ver.

SICARIO - DIA DO SOLDADO
Dia de Estreia: 19/06/2018


Quem lembra no primeiro filme deste personagem que tem uma mente brilhante e quer se vingar por terem matado sua família? O cara se infiltra no México em um lugar dominado pelas drogas e enfim... não vou contar muito para não dar spoiler. E agora vem mais ação.

Sinopse: O misterioso Alejandro Gillick e o oficial da CIA, Matt Graver trabalham juntos em uma audaciosa ação secreta. Na missão que envolve a filha de um chefão das drogas, Isabelle, Alejandro acaba se vendo em uma encruzilhada moral e suas escolhas podem acabar desencadeando uma sangrenta guerra de cartéis.

 O PROTETOR 2
Data de Estreia: 16/08/2018


Como esquecer Denzel Washington no papel onde ele como um aposentado protegeu uma menina no primeiro filme? E que tem aquele dom de olhar para as coisas e marcar no relógio que conseguirá fazer em questão de segundos vários atos? Ele tem um dom especial e consegue utilizar para proteger pessoas. Eu adoro o personagem que ele interpreta neste filme e na continuação parece que ele vai ter que enfrentar as consequências do primeiro.


Sinopse: Sequência dos feitos de Robert McCall (Denzel Washington), um agente aposentado que ajuda pessoas em perigo. Até onde ele irá por alguém que ama?
A PRIMEIRA NOITE DE CRIME Data de Estreia: 23/08/2018


Uma Noite de Crime foi um filme muito legal ao que se revela na questão do que eles queriam efetuar, como uma seita. Depois inventaram vários filmes que aconteciam na rua e tudo o mais que acabou destruindo a originalidade do primeiro, tanto que perceberam e tentam agora retomar a história com o início da história. 

Sinopse:O longa será uma prequel da franquia The Purge/Uma Noite de Crime que se concentrará nos eventos que levaram ao primeiro dos filmes.

Estas são as continuações que consegui ver por enquanto e que não imaginava que estavam por vir, mas ainda bem que conseguiram pensar em filmes não tão famosos aos olhos da fantasia em filmes de heróis, já que eu também gosto deste estilo de filmes.

Vamos ver o que esperar de cada um deles, já que me dá medo quando o tema continuação acontece nos filmes.







Autora: Sarah Dessen
Título Original: Just Listen
Páginas: 352
Ano: 2017
Gênero: Literatura Juvenil
Editora: Editora Seguinte


Ano passado, Annabel era a típica “garota que tem tudo” — inclusive era esse o papel que interpretava no comercial de uma loja de departamentos da cidade. Este ano, porém, ela é a garota que não tem nada: não tem mais a amizade de Sophie; não tem uma família feliz desde a descoberta do distúrbio alimentar de uma de suas irmãs; e não tem ninguém com quem passar a hora do almoço na escola. Até conhecer Owen Armstrong. Alto, misterioso e obcecado por música, Owen é um garoto que vivia se metendo em brigas, mas agora está tentando mudar. Um de seus novos lemas é sempre falar a verdade, não importa qual seja, e jamais guardar ressentimentos. Será que com a ajuda desse amigo inesperado Annabel vai conseguir encarar a verdade e enfrentar o que aconteceu na noite em que brigou com Sophie?

Annabel é uma garota normal que está cursando o ensino médio. Na verdade deveria ser como uma garota normal, porém este ano ela tem que enfrentar algo novo no colégio. Algo que ela prefere não ter que conversar com ninguém depois das férias de verão, já que ao que tudo parece todo mundo acredita que o que aconteceu foi totalmente a sua culpa.

Annabel sempre teve uma melhor amiga desde a infância, Clarke, a garota que esteve ao seu lado nos melhores e piores momentos. Até a chegada de Sophie. Sophie é aquele tipo de menina que se pode chamar de garota problema. Aos treze anos Annabel conheceu a garota problema. Agora, aos dezessete, sabe que ter trocado Clarke quando precisou escolher entre e melhor amiga ou Sophie, a garota descolada e cheia de popularidade, talvez tenha feito a escolha mais do que errada. Agora, Annabel está totalmente sozinha. Depois do que aconteceu nas férias de verão.

"Assim que pensei isso, Sophie abriu os lábios perfeitos, semicerrou os olhos e entregou o veredicto que esperei o verão inteiro.
- Vagabunda!." Pág. 9

Annabel tem duas irmãs mais velhas. Kirsten é a mais falante e mais ativa. Não perde tempo em brigar e reclamar quando não está contente. Whitney é a mais velha e mais calada das três. Quando fica braba se cala e não é de brigar com ninguém, porém é de demonstrar facilmente de outras formas a sua insatisfação. 

Todas as três garotas sempre foram modelos em sua cidade e agora Kirsten e Whitney decidiram buscar patamares mais altos em Nova York, enquanto também estudam. Por isso Annabel, que não quer continuar com a carreira de modelo na cidade, continua a fazer a vontade da mãe, mesmo que para isso tenha que ficar infeliz durante as sessões e os desfiles.

Com um segredo grave que guarda e que precisa se manter forte para continuar a seguir em frente, Anabel precisa lidar também com os problemas em casa. Sua irmã mais velha está enfrentando um problema de severo de bulimia e sua mãe não consegue se livrar da depressão após a morte de sua avó.










"- Ela está doente, pai. Quase nunca come, e quando come é estranho. Pega, tipo, um quarto de maçã no café, ou três bolachas de água e sal no almoço. Às vezes acordo e ela não está. Sei que foi para a academia vinte e quatro horas que tem lá perto." Pág. 48

E é neste cenário que ela vai conhecer Owen, o garoto que todos acham que é cheio de problemas, mas que na verdade é quem pode salvar Annabel de muitas coisas. O principal é que ela consiga em primeiro lugar fazer com que a verdade venha à tona para poder salvar várias pessoas de sofrerem o que ela sofre.

Este é o segundo livro que eu leio da Sarah Dessen. O primeiro foi Os Bons Segredos que gostei bastante e este também não me decepcionou. Esperei muito para poder ler esta obra e quando comecei me senti em um mundo onde uma família precisa se unir para conseguir salvar todos os seus integrantes de diversos problemas.

Gostei do fato de que o livro trate da história de bulimia, principalmente porque muitas meninas passam por esta questão nesta idade e foi uma forma que a autora abordou de forma simples e que deu muita explicação de como as pessoas conseguem se ver em um beco sem saída quando acreditam que a sua imagem não é aquela que os outros desejam.


"Apesar de ter passado bos parte do fim de semana atenta a quantas vezes eu omitia as coisas ou simplesmente mentia para evitar conflitos, meu primeiro instinto naquele momento foi fazer exatamente aquilo. A honestidade como princípio era uma coisa. Na cara de alguém era outra." Pág. 127
A leitura é bem rápida e fluída. Claro que houve momentos em que eu queria entrar na leitura e sacudir a personagem. Tenho esta coisa de achar que muitas vezes porque logicamente nem sempre a personalidade é a mesma, acredito que a personagem está fazendo algumas coisas bobas demais, mas também sei que não estou passando pela mesma situação para saber se eu faria a mesma coisa ou não.

O que me fez sentir bem é a aquela questão de amizade e amor familiar, aquele encontro onde a família mesmo passando por situações difíceis está sempre junta, sempre se ajudando em todos os momentos. Não é sempre que encontro famílias assim ou talvez porque saiba que a minha própria família não seja tão unida quanto neste tipo de leitura e acabo achando o quanto é lindo e maravilhoso este tipo de apego.


"Sophie continuava à minha frente. Todos estavam em silêncio à nossa volta. Eu sabia que poderia ter quebrado o silêncio, poderia ter falado. Era minha palavra contra a dele, e agora contra a dela. Mas não falei." Pág. 251
É um livro de literatura adolescente, mas tem diálogos inteligentes e não cai na monotonia. Vai mostrando a passagem do tempo dos personagens ao longo de cinco anos, mas o foco principal ainda recai sobre um tema que principalmente nos EUA é algo um tanto complicado já que tem um nível muito alto de acontecimento, infelizmente.


 


No fim todas as razões para esta leitura está tanto na amizade quanto na dificuldade em lidar com os assuntos propostos, uma vez que acredito que esta idade seja de definições para o futuro. Sarah Dessen aborda com tranquilidade cada um deles e de forma intrínseca. 

É uma leitura que enriquece tanto para quem passa por esta idade quanto para outros leitores de diferentes idades. Afinal, experiências nunca tem hora para acontecer.




Quem gosta de romance de época já viu os dois primeiros livros desta saga nas livrarias ou com leitoras por aí e claro que também vou dar uma pitada de apresentação dos livros, mas neste mês a editora vem publicar o terceiro livro da série, que trata sobre a readaptação da história do patinho feio e vem com o nome de A Duquesa Feia.

A Série Conto de Fadas conta com um total de cinco volumes e a Arqueiro já publicou dois, sendo que o primeiro seria Um Beijo à Meia-Noite, porém a editora resolveu lançar Uma Bela Domou a Fera antes, o que não prejudica em nada, já que cada livro é único em sua história.



Acima são as capas internacionais e claro que a Arqueiro sempre capricha na escolha para suas leitoras.


Páginas: 320
Ano: 2017
Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, Quando a Bela domou a Fera é uma deliciosa releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos. Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?
Páginas: 272
Ano: 2017
Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo.Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo.Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo.Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.

Páginas: 272
Ano: 2018
Como ela ousa achar que ele a ama, quando Londres inteira a chama de Duquesa Feia?Theodora Saxby é a última mulher com quem se poderia esperar que o lindo James Ryburn, herdeiro do ducado de Ashbrook, se casasse. Mas depois de um pedido romântico feito na frente do próprio príncipe, até a realista Theo se convence de que o futuro duque está apaixonado.Ainda assim, os tablóides dizem que a união não durará mais do que seis meses.Em seu íntimo, Theo acredita que os dois ficarão juntos para sempre… até que ela descobre que o que James desejava não era seu amor, mas seu dote.E a sociedade, que primeiro se chocou com seu casamento, se escandaliza com sua separação.Agora James precisará enfrentar a batalha de sua vida para convencer Theo que ele amava a patinha feia antes que ela se transformasse em cisne. E Theo logo descobrirá que, para um homem com alma de pirata, vale tudo no amor – e na guerra.
A Duquesa Feia tem seu lançamento dia 11/06 e você já pode adquirir seu exemplar em pré-venda clicando aqui ou conhecer mais sobre o livro e os outros da série no site da Arqueiro.

Em breve tem mais novidades aqui no blog!






Autor: Harlan Coben
Título Original: Home
Páginas: 304
Ano: 2018
Editora: Arqueiro


Dez anos atrás, dois meninos de 6 anos foram sequestrados enquanto brincavam na casa de um deles, uma mansão em um bairro elegante de Nova Jersey. Mas, após o pedido de resgate, as famílias nunca mais tiveram notícias dos sequestradores nem de seus filhos. Agora, Myron Bolitar e seu amigo Win acreditam ter localizado um deles, o adolescente Patrick, e farão de tudo para resgatá-lo e obter as respostas pelas quais todos anseiam:O que aconteceu no dia em que foram raptados?Onde ele esteve durante todo esse tempo?E, o mais importante, onde está Rhys, seu amigo ainda desaparecido?Após cinco anos sem escrever nenhum livro da série Myron Bolitar, Harlan Coben brinda os leitores com Volta para casa, um suspense explosivo, como só o seu talento pode criar. Um thriller profundamente comovente sobre amizade, família e o verdadeiro significado de lar.
Myron Bolitar está novamente de volta após novas aventuras. Mas desta vez está com a vida em paz ao lado de sua noiva Terese. Morando no apartamento de seu melhor amigo Win depois que ele sumiu há um ano, ele está vivendo com a maior felicidade com a mulher de sua vida e já sofreu demais com as idas e vindas do relacionamento.

Agora que resolveu se casar de uma vez por todas sabe que sua vida vai voltar aos eixos e aquele ex-atleta que sofreu uma grave contusão que o tirou do ramo do esporte, mas não fez com que ele desistisse de trabalhar com outros atletas os agenciando e claro que também trabalhando na parte de investigações, sua melhor praia.

"No entanto, por maior que seja a vontade de poupá-los de mais um instante de sofrimento, não posso perder de vista o meu objetivo final: resgatar os dois garotos. Já analisei todos os prós e contras. Minha decisão está tomada. Não adianta ficar remoendo a questão." Pág. 9

Mas uma ligação de Win fez tudo mudar em questão de segundos já que o sobrinho de seu amigo havia sido sequestrado há mais de dez anos junto com outro amigo dentro da casa de Brooke, a prima de Win. Os garotos tinham apenas seis anos e o caso nunca foi esclarecido mesmo que um resgate tenha sido requisitado. 

Só que agora os garotos tinham dezesseis anos e um e-mail anônimo dizia que eles estavam vivos, tanto Patrick quanto Rhys e que precisavam ser resgatados. Claro que Win não deixaria passar esta oportunidade e estava em Londres atrás dos meninos. Precisava se redimir com Brooke e tirar esta dor do peito da prima. E quando viu Patrick em meio àquela loucura das ruas de Londres sabia que o futuro tinha sido cruel. Mas ao tentar resgatar o garoto Win acaba se metendo com um dos gangsteres mais perigosos da cidade e não vai ser tão fácil quanto parecia resgatar os garotos.







"Assim que atravessou a porta de serviço do hotel, Myron lembrou-se da última vez que estivera ali, da destruição, das mortes e do caos que se seguiram. Logo avistou o comparsa de Win, um sujeito que ele nunca tinha visto antes. O homem se adiantou e, sem dizer uma palavra, instalou a primeira escuta no peito de Myron, sob sua camisa." Pág. 64
Mas por trás de todo o perigo há mais segredos do que se possa imaginar. Uma linha tênue guarda tanta coisa que somente Myron e Win vão conseguir desvendar o que nem a polícia ou o FBI conseguiu. Mas será que isso garante a vida dos garotos?

Eu gosto muito de ler Harlan Coben, desde o primeiro livro que li já considerei uma leitura de qualidade e onde não tem como descobrir qual é a verdadeira trama que o autor está colocando nas páginas. Não tem jeito de dizer quem é o assassino ou qual é a verdade. Isto é fato, tanto que ele vende livros como vende água. 



"Chegando ao terceiro andar, rapidamente ele decifrou a numeração das portas e seguiu correndo pelo corredor da direita, ouvindo os gritos distantes do obstinado segurança, que ainda não havia desistido da perseguição. Assim que localizou a porta do 322, entrou no quarto e ficou imóvel, recuperando o fôlego." Pág. 94
Como o Myron Bolitar tem uma saga de livros, que com este conta-se onze, fico meio perdida quando leio outro livro dele já que não leio em sequência, mas sei o que acontece, pois o autor consegue deixar o leitor bem informado sobre cada acontecimento e os desenvolvimentos dos livros. Claro que gostaria de ler a saga inteira, mas se você não leu assim como eu não precisa se preocupar em ler os livros sem ser em série já que vai entender perfeitamente sobre a vida do personagem principal e de seus amigos.

Digamos que Volta para Casa vai ter mais enfoque em Win, personagem que não tive muito conhecimento de livros que li. Mas já gostei por ser bastante direto e objetivo, principalmente em suas ações. É bastante poderoso e tem a personalidade diferente de Myron, já que não é de ter uma paciência muito grande para a resolução de assuntos.



Apesar do enredo ser bastante interessante, desta vez Harlan Coben não conseguiu me cativar totalmente. Eu estou acostumada com seus capítulos empolgantes onde ele consegue me fazer ficar com os olhos abertos e ficar tentando achar uma lógica para tudo o que acontece. Mas a tática não foi válida. Talvez porque quando ele estava se saindo bem no fator do sequestro, resolveu mudar e jogar as cartas na mesa muito rápido e então fiquei pensando que a solução não seria nada convincente.

Neste livro Myron mostra muito a parte da amizade, da família e de como ele é uma pessoa emotiva. Isso é o que gosto neste personagem. Tem aqueles livros onde os delegados ou geralmente o personagem que o autor coloca para a saga que tem uma procedência forte e sempre consegue passar por cima de tudo. Acho que o principal é fazer com que o leitor consiga se conectar e nada melhor do que perceber que é como a gente, que tem seus defeitos e qualidades e principalmente passado.

"-Vá sozinho. Será seguido e vigiado o tempo todo. Sabemos que você conta com alguma espécie de apoio local. Tem outras pessoas trabalhando com você. Se farejarmos qualquer trapaça. Sr. Bolitar, haverá consequências." Pág. 62

A diagramação e a capa sempre são um elogio à parte. A Arqueiro aposta bastante nesta questão e acerta em cheio quando sabe fazer a capa ficar muito coerente na história. Da metade da história para o final fiquei mais consciente de onde Harlan queria chegar e então já tinha percebido o que estava acontecendo e tinha imaginado o final. Queria um final diferente? Sim! Queria uma desenvoltura diferente, mas foi um lucro que ganhei sabendo que Harlan consegue me cativar em outros livros também.

Desta vez foi um final inteligente, claro. Mas pareceu um pouco mais amador do que o autor é capaz.



E mais uma vez eu tenho que trazer algum tipo de filme pós apocalíptico pois não consigo fugir deste tema. Na verdade não é bem assim, é que o tema está sendo bastante tratado em diversos filmes e seriados e assim há muita coisa boa saindo pela Netflix ou outros canais pagos.

Para quem já conheceu Cargo sabe que ele foi baseado em um curta-metragem de cerca de oito minutos e então transformado neste enorme filme que conta com uma hora e quarenta e quatro minutos.

Não ia perder este filme até porque sabia que tinha um cunho um pouco diferente dos demais, não era algo estilo Guerra Mundial Z em que está todo mundo correndo de tudo, é até um pouco mais sensível e emotivo.


Sinopse: Em meio a um apocalipse zumbi na Austrália, um pai desesperado busca alguém disposto a proteger sua filha pequena.



O filme Cargo mostra inicialmente uma família em um barco na Austrália em meio a um rio onde estão praticamente isolados de tudo juntamente com uma criança pequena. Aos poucos vai sendo percebido que não há pessoas próximas e que algo dizimou a população do lugar. A cena em que o personagem principal encontra uma outra família e tenta contato e então é ameaçado com uma arma faz com que o telespectador perceba que ninguém quer chegar perto de ninguém e então ao pegar kits de sobrevivência no lago descobre-se que um vírus realmente tomou conta do lugar.



O legal de tudo é que as coisas acontecem de forma lenta mas ao mesmo tempo não é nada chato ou monótono. Quando o casal descobre um iate e vai até lá para conseguir mantimentos, a mulher acaba sendo mordida e é a partir deste ponto em que se começa a contagem de 48 horas para que o vírus se instale completamente no corpo. E então eles decidem que precisam buscar socorro tanto para a esposa quanto para a criança. 

Mas no meio do percurso acabam acontecendo aquelas coisas normais de filmes e sobre somente o pai da criança que também acaba mordido e a criança. Assim o filme vai se basear nas 48 horas em que ele tem para deixar sua filha segura com alguém em um lugar inóspito.




A experiência toda é muito emocional pois ao longo do trajeto pessoas novas vão surgindo e cada uma tem uma concepção diferente do que está acontecendo no mundo. E é isto que faz com que o filme se torne uma lição de emoção e ao mesmo tempo de controle da raiva. Vai haver personagens que vão tentar se aproveitar de situações e outras que só querem ajudar mas também não conseguem seguir um caminho sem rumo.

A beleza fica por conta do cenário total da Austrália que é totalmente explorada e também pela cultura local. É de tirar o fôlego. Logicamente vai haver zumbis, mas não será o forte do filme. Gostei também do desenvolvimento do vírus, já que os sintomas vão surgindo aos poucos, trazendo assim mais angústia ao longo dos minutos.


É a luta de um pai em busca da salvação da filha e também a busca de uma outra filha em busca da própria salvação. É um filme para fazer pensar em como a sobrevivência se torna importante quando o que possuímos dentro de nós é somente o amor e não o desejo da ganância, que também é bastante trabalhada no trailer.

Terminei o filme com o coração na mão. Há todos os enfoques para quem gosta de filmes de zumbis. Mas não há como negar que é um filme que nos faz entender que mesmo no pior dos momentos a união ainda continua sendo o maior poder do ser humano. Amei o filme pela sensação que ele passa. Pode até repassar o gê.ero de terror, mas é uma experiência humana de equilíbrio emocional!