21 março 2017

0

Lançamentos da Harlequin! Para quem ama amar!


Março chegou e logo vem abril para encher nossa barriga de chocolates, mas chocolate também é sinônimo de amor, já que não é possível alguém ficar sem amar algo tão viciante. E viciante também são os lançamentos da Harlequin destes meses que vão estar diretamente disponíveis para você.


TODOS OS SONHOS DELE
Shannon Stacey

A bela Katie Davis cresceu com os Kowalski e sempre foi considerada “um dos rapazes”. 
Porém, seus sentimentos por Josh Kowalski não são nada fraternais. 
E ele também parece estar começando a enxergar a mulher que Katie se tornou.
Ela esperou muitos anos para que Josh a notas¬se, mas talvez seja tarde demais. 
Entregar seu coração para um homem que quer deixar a cidade o mais rápido possível é um jeito fácil de se decepcionar. Contudo, Josh continua inventando motivos para ficar… E ele logo perceberá que tudo o que precisa para realizar seus sonhos é ficar ao lado de Katie.



AS NOIVAS BALFOUR
India Grey e Herdeira da Sedução

HERDEIRA DA INOCÊNCIA   India Grey
Ela fugiu de sua vida perfeita ao descobrir que foi construída em cima de mentiras. Porém, como estava sem dinheiro, Emily Balfour não pôde recusar a oferta do príncipe Luis Cordoba. Ela precisava de um teto sobre sua cabeça, mesmo que significasse ter de dividir a cama com esse notório playboy. Para Luis, conquistar essa bela herdeira é um desafio. Por mais que ela o deseje, seu coração está relutante. Afinal, Emily não quer se tornar apenas mais uma das conquistas do príncipe...

HERDEIRA DA SEDUÇÃO      Kim Lawrence
As Balfour são belas, extravagantes e glamourosas… exceto Sophie. Convencida de que é comum e sem atrativos, ela foge dos holofotes. Contudo, seu pai está cansado de vê-la se esconder. Por isso, encontra um emprego que ajudará a aumentar a autoconfiança dela. Trabalhar para o irresistível siciliano Marco Speranza é uma revelação. Sophie sabe que não é bonita o suficiente para atrair a atenção de um homem tão poderoso. Ainda assim, ele parece determinado a seduzi-la. Mas será que o interesse desse estonteante bilionário carrega motivos ocultos?


COMO DOMAR UM SHEIK
Olivia Gates

Ele a notou em um salão lotado. E, naquele momento, o sheik Shaheen Aal Shalaan a desejou. Com poucas palavras, conseguiu levar a bela misteriosa para a cama,onde ela despertou paixões que haviam sido renegadas por tempo demais. 
Então, Shaheen descobre a identidade de sua amante: ela era Johara, sua amiga de infância,uma verdadeira miragem que ele não conseguia parar de admirar. 
Porém, a tradição exige que a noiva de Shaheen seja escolhida pelo trono. Se quebrasse a regra, os resultados seriam catastróficos. Contudo, como poderia virar as costas para a mulher que carrega seu herdeiro?




RETORNO AO PASSADO
Carole Mortimer

ESCÂNDALO PERFEITO
Melanie Milburne

RETORNO AO PASSADO – Carole Mortimer
Mia Burton achou que nunca mais veria Ethan Black, o homem que partiu seu coração. E tudo o que ela mais queria era tirá-lo da cabeça. Ethan era uma lembrança dolorosa do passado que precisava ser esquecida. Contudo, ele está de volta, determinado a seduzi-la. Mia não pode evitar questionar se existem segundas intenções por trás do interesse dele. Afinal, Ethan está disposto a tudo para tê-la novamente em seus braços. 

ESCÂNDALO PERFEITO – Melanie Milburne
Emilio Andreoni já é o solteiro mais cobiçado da Itália e considerado um rei no mundo corporativo. Para atingir o sucesso total em sua vida, ele só precisava encontrar a esposa perfeita. No passado, Emilio achou que essa mulher era Gisele Carter… Até os atos escandalosos dela serem estampados em todos os jornais. E, para não macular sua reputação, Emilio desfez o noivado de conto de fadas. Mas quando ele é confrontado com a prova de que Grace era inocente, decide fazer tudo para reconquistá-la!






Você pode aproveitar seu mês e seus chocolates de Páscoa lendo tranquilamente os belos romances.

Claro que dá para comprar na comodidade do seu lar através do site da Harlequin ou então em bancas mais próximas de você.

E dá para escolher outros vários títulos também, de diversas autoras diferentes, hein!





19 março 2017

1

Desintegrados - Neal Shusterman! [Resenha #345]


O Cemitério é o lugar onde os Desintegrados agora habitam tranquilamente após conseguirem fugir e se esconder por um bom tempo das garras dos que querem pegar os fragmentários para que as pessoas possam ocupar as partes de seus corpos. Na verdade, ser um desintegrado, o novo nome dado a um fragmentário é algo novo e estar no Cemitério realmente é só uma jogada, já que os Juvis sabem que eles estão escondidos no deserto do Texas, em todos aqueles aviões com Connor sendo o grande líder desde que conseguiu fugir do campo de colheita Happy Jack e fazer o mundo acreditar que ele está morto.

Risa Ward já não teve a mesma sorte no momento da fuga, sendo que na explosão o seu corpo foi danificado e ela não aceitou de forma alguma receber uma nova coluna de um fragmentado, ficando assim presa em uma cadeira de rodas. Já estava com seus dezessete anos e logo estaria fora da situação de ter medo de ser pega. Sua vida no cemitério ficara mais difícil pela questão da locomoção, mas continuava com sua jornada médica e não deixaria a causa por nada.

A questão é que agora um novo conceito estava se formando. A multiplicação de fragmentados através da criação e união de muitos corpos miscigenados estava criando algo surreal e a cobaia é Cam, um garoto com todos os tipos de pele. 

Lev escapou por muito pouco da explosão no campo de colheita, sendo que fez parte de quem resolveu explodir tudo. Mesmo que fosse um dos batedores que destruíram tudo, resolveu não morrer na causa, mas foi preso e obrigado a colaborar com ela. Isso antes de conseguir fugir para se tornar o herói de muitos jovens.

A verdade é que Risa Ward vai ser chantageada para colaborar com a causa de Cam, em que ser fragmentado é a coisa correta a ser feita, isto para não perder o seu grande amor Connor. Ao mesmo tempo em que Lev não aguenta mais ser visto como um salvador, eles irão lutar contra um governo que quer destruir e matar milhares de jovens, mas que não imagina que estes mesmos jovens são mais poderosos do que imaginam.


Autor: Neal Shusterman
Título Original: Unwholly
ISBN: 9788581638102
Páginas: 416
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Suspense / Distopia
Editora: Novo Conceito





 

Como não amar Neal Shusterman? Como não amar uma saga de distopia que coloca uma questão sobre aborto, dificuldades na adolescência e os problemas familiares em questão tudo em uma história eletrizante não somente em um livro, mas em quatro? 

É este fato que o autor conseguiu criar até agora em Fragmentados e na continuação Desintegrados. O que parecia estar até então já exposto em um só livro conseguiu se sobressair e ser elevado a uma potência de aventura e destaque ainda maior, que fez com que eu não conseguisse largar o livro até o término da leitura.

Este volume traz a consequência dos fatos ocorridos em Fragmentados, mostrando como a vida dos personagens principais de Risa, Lev e Connor continuaram e o que eles conseguiram conquistar após a saída de outros personagens importantes. Não é um livro que somente vai mostrar o que aconteceu como também vai dar a sequência a outros assuntos como a amizade, o amor, a rivalidade, a inveja e em temas também políticos.

É um tema bastante conflitante a questão em que se imagina que hoje pensamos em doar os órgãos após o falecimento de uma pessoa, mas em Desintegrados e na saga a questão é feita com a visão de que tudo seja feita em vida e abre um assunto mais abrangente sobre a questão do não aborto, mas a consequência após esta decisão, já que a fragmentação ocorre dos treze aos dezoito anos.
Não vão faltar cenas de ação como no primeiro livro, como também tem cenas calmas e explicativas sobre o que aconteceu anteriormente. Não é um livro que dá para ser lido sem a primeira parte mas termina como se não fosse imaginado uma sequência de mais livros, apesar de que a leitura faz com que este desejo aconteça.

Espero que a Novo Conceito continue a publicação da saga para saber o total desfecho da obra e dos personagens, os quais acabei me apegando de alguma forma, tanto pela luta e pela coragem, como pelo amor ao próximo.

Neal Shusterman sabe escrever para os jovens, mas consegue alcançar um público bem maior, já que não escreve de um jeito infantil e monótono. Pontos para ele.




16 março 2017

15

Fanatismo religioso: a prisão mental!


Esta matéria pode parecer pretensiosa aos olhos de alguns leitores, mas acredite que o que vou relatar nas próximas linhas já vem de algum tempo e com certeza de alguns anos de convívio com a relação religião x espiritualidade.

Não sou uma pessoa que não acredita em Deus, portanto já pode deixar de imaginar que vai ser algo que eu vou ficar criticando. Acredito em algo maior, em uma criação de um mundo feito por algo divino, mas diferente do que as religiões colocam perante os que acreditam nela, ou melhor, da forma como alguns acreditam ou tentam fazer outras pessoas acreditarem.

Muitas vezes me pergunto se quando rezo alguém está me ouvindo ou é um processo em que a mente cria um laço de pensamento positivo em que já foi comprovado em diversas pesquisas que pensamentos positivos criam reações positivas no corpo. Tanto que pessoas que tem mais fé reagem mais em casos de doenças, justamente pelo fato de terem mais reações positivas.

A questão de ser fanático é o que mais me revolta, não no caso de ser a opção da pessoa e sim o que cada religião impregna na mente do indivíduo. Para mim isto gera uma relação de culpa e medo em quem segue e faz com o mesmo deixe de se perguntar ou indagar certas questões.

Há religiões que acreditam que somente quem segue aquele tipo de conduta vai ser salvo no momento em que Jesus voltar ou no momento do chamado juízo final. Há então quem deixe de cortar o cabelo, quem não use calças, quem não possa assistir a TV, não possa ouvir músicas diversas e por assim vai. É a este tipo de fanatismo ao qual me refiro.

Já estive em um relacionamento em que a pessoa acreditava que depois do casamento, em menos de três meses o casal era obrigado a ter filhos, e não poderia demorar muito para casar também. Mas o que mais me choca foi que descobri que estar em outro relacionamento me deixou ainda mais presa dentro de mim do que eu imaginava.

Esta religião em específico acredita que somente quem a segue e faz as coisas de sua maneira é que vai poder ser um ser celestial após a morte. E as imposições são diversas: não se pode ver televisão, não se pode ter nenhum tipo de atitude destrutiva (comer demais, beber, fumar, usar drogas), tem que haver um altar, fazer orações e meditações específicas, sexo somente sem preservativo, sem prazer e somente em uma posição, tem que analisar-se a todo o momento para ver se não está emitindo pensamentos de natureza pecaminosa, não se pode ler livros quaisquer. Coisas do gênero. 



É algo que parece cegar. Não sou adepta de nenhuma religião em específico, mas já frequentei e frequento várias, as quais me sinto bem. Porém no momento em que alguém passa a acreditar que somente a sua religião é que é a verdade, que somente o que ela segue é que a fará evoluir, que pessoas diferentes em gênero sexual vão direto para o inferno e que qualquer coisa diferente as fará encarnar um demônio, me dá asco. Porque desde o início de religiões foi criada a crença de que quem não faz tal coisa vai para o inferno.

É como viver preso dentro de uma mente com medo. Por gostar da pessoa eu me sentia obrigada a estar olhando minhas atitudes, a pensar que deveria deixar minha vida sexual de lado, a viver rezando, a fazer cursos e tudo o mais e aos poucos fui me perdendo e ficando cada vez mais triste porque não estava sendo eu mesma e sim seguindo um padrão da sociedade. Não deixo de acreditar e de rezar, mas sem uma obrigação de hora e lugar.

Não existe uma única verdade. Cada ser tem uma forma de pensar e se esta forma te deixar feliz e satisfeito e você perceber que está te fazendo levantar e seguir em frente, então esta é a sua verdade. O resto é a imposição criada por outros. Cada um tem uma religião, uma crença, uma fé. E o respeito é necessário. Há quem não acredite em nada, há quem acredite em tudo.

Acredite no seu coração. Na sua intuição. Não precisa estar dentro de uma igreja para ser ouvido. Há pessoas que vão à missa todos os dias e quando saem de lá a primeira coisa que fazem é falar mal das pessoas. Não use uma venda para uma única crença. Aceite a todos como eles são sem querer empurrar nada, pois cada um sempre acha um caminho. Um conselho é uma vantagem, uma imposição é desperdício.

E no tempo em que percebi que o fanatismo me faria mais chorar do que sorrir, eu optei pela felicidade, mesmo que sozinha.




14 março 2017

0

Lançamentos da Arqueiro! Você vai desejar mais que um!


Eu adoro quando venho escrever sobre os lançamentos da editoras. Porque é aqui que posso sonhar em ter milhares de livros a mais na minha estante e nunca conseguir colocar todas as leituras em dia. Mas eu estou conseguindo, por incrível que pareça. Mentira! Desde quando viciados em ler conseguem colocar a pilha de livros em dia?
Mas agora dá uma olhadinha nos lançamentos da Arqueiro e escolha o que você vai colocar na sua pilha!


QUANDO A BELA DOMOU A FERA
Eloisa James

Eleito um dos dez melhores romances de 2011 pelo Library Journal, Quando a Bela domou a Fera é uma deliciosa releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos. Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.
Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.
No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?


JARDINS DA LUA
Steven Erikson

Desde pequeno, Ganoes Paran decidiu trocar os privilégios da nobreza malazana por uma vida a serviço do exército imperial. O que o jovem capitão não sabia, porém, era que seu destino acabaria entrelaçado aos desígnios dos deuses, e que ele seria praticamente arremessado ao centro de um dos maiores conflitos que o Império Malazano já tinha visto.
Paran é enviado a Darujhistan, a última entre as Cidades Livres de Genabackis, onde deve assumir o comando dos Queimadores de Pontes, um lendário esquadrão de elite. O local ainda resiste à ocupação malazana e é a joia cobiçada pela imperatriz Laseen, que não está disposta a estancar o derramamento de sangue enquanto não conquistá-lo.
Porém, em pouco tempo fica claro que essa não será uma campanha militar comum: na Cidade do Fogo Azul não está em jogo apenas o futuro do Império Malazano, mas estão envolvidos também deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inimaginável.


O SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA
Nicola Yoon

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.
Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.
O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

A CHAVE DE REBECCA
Ken Follett

Norte da África, Segunda Guerra Mundial. As tropas britânicas na região estão sofrendo perdas significativas. Não há dúvidas de que alguém está informando o inimigo sobre os movimentos e planos estratégicos do exército britânico.
O espião é conhecido por seus compatriotas alemães como Esfinge, mas para todos os outros é o empresário europeu Alex Wolff. Após cruzar o deserto, ele chega ao Cairo, no Egito, munido de um rádio, uma lâmina letal e um exemplar do livro Rebecca, de Daphne du Maurier. Violento e implacável, ele está disposto a tudo para cumprir a missão que recebeu.
Para isso, conta com a ajuda de uma dançarina do ventre tão inescrupulosa quanto ele.
O único homem capaz de detê-lo é William Vandam, oficial da inteligência britânica que precisa desvendar o enigma do Esfinge para interromper o avanço dos nazistas.
Ao mesmo tempo que os alemães chegam cada vez mais perto da vitória final, Vandam também se aproxima de seu adversário, da chave que revela o código escondido no livro – e do combate mortal do qual apenas um deles sairá vencedor.

IRMÃOS DE SANGUE
Nora Roberts

A misteriosa Pedra Pagã sempre foi um local proibido na floresta Hawkins. Por isso mesmo, é o lugar ideal para três garotos de 10 anos acamparem escondidos e firmarem um pacto de irmandade. O que Caleb, Fox e Gage não imaginavam é que ganhariam poderes sobrenaturais e libertariam uma força demoníaca.
Desde então, a cada sete anos, a partir do sétimo dia do sétimo mês, acontecimentos estranhos ocorrem em Hawkins Hollow. No período de uma semana, famílias são destruídas e amigos se voltam uns contra os outros em meio a um inferno na Terra.
Vinte e um anos depois do pacto, a repórter Quinn Black chega à cidade para pesquisar sobre o estranho fenômeno e, com sua aguçada sensibilidade, logo sente o mal que vive ali. À medida que o tempo passa,
Caleb e ela veem seus destinos se unirem por um desejo incontrolável enquanto percebem a agitação das trevas crescer com o potencial de destruir a cidade.
Em Irmãos de sangue, Nora Roberts mostra uma nova faceta como escritora, dando início a uma trilogia arrebatadora em que o amor é a força necessária para vencer os sombrios obstáculos de um lugar dominado pelo mal.



A estreia da Nicola Yoon na Arqueiro vem com um livro super fofo que eu já quero saber como vai ser, depois de ter lido Tudo e Todas as Coisas. 

Também quero ler o da Eloisa James, já que não conheço a escrita da autora e esta saga vai ser escrita como um estilo de conto de fadas.

Não dá para negar que a Arqueiro vem publicando livros para todos os gostos e melhorando cada dia mais. 

Você pode conferir estes e os novos lançamentos no site da Arqueiro.









09 março 2017

8

Outlander - A Cruz de Fogo - Parte I - Diana Gabaldon! [Resenha #344]



Após passada todas as aventuras com a chegada da filha de Jamie e Claire, Bree, o nascimento de seu neto e a vinda também de Roger, as coisas parecem ter melhorado mais na Cordilheira dos Fraser. O casamento de Bree está para acontecer junto com a da tia de Jamie, Jocasta, que tem como pretendente Duncan.

Juntamente com o evento do casamento há o encontro de diversos clãs escoceses e a amizade de Jamie com muitos dele continua e se torna cada vez mais importante, já que uma briga entre o Governo e os reguladores está começando, atiçando brigas fortes em cidades.

Enquanto isto Claire continua em sua função de curandeira e médica, ficando cada vez mais conhecida entre os povoados na Carolina do Norte. A sua fama está crescendo até como uma pessoa que faz pessoas serem ressuscitadas.

Jamie continua atrás de Stephen Bonnet, que fez um ato cruel contra sua filha e deseja vingança até conseguir mata-lo, mesmo que Bree tenha dito que ela quer que ele siga seu caminho. Mas Jamie está decidido a encontrar o ladrão estuprador a qualquer custo, mesmo que isto vá custar a vida de alguém.

Ao mesmo tempo Jamie é recrutado a ser coronel para montar uma milícia e defender cidades e povoados contra as ações dos reguladores. Claire sabe que a guerra vai acontecer dentro de alguns anos e que é impossível evitar, já que a história já foi contada.

Mas ao se deparar com uma situação de assassinato e perseguição em busca do ouro dos Stuart, um suspense vai ficar no ar e um segredo será revelado colocando em cheque tudo o que já foi construído até agora pelo casal que viajou da Europa até ali em busca de um final feliz.


Autora: Diana Gabaldon 
Título Original: The Fiery Cross
ISBN: 9788580416602
Páginas: 720
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Drama / Romance
Editora: Arqueiro







 

Como sempre fiquei completamente feliz em recomeçar a história de Jamie e Claire. Por ser uma saga comprida e este ser o quinto livro, os outros anteriores ainda são divididos em mais de um livro por terem muitas páginas. Mas quando se ama uma história e se apega a ela com unhas e dentes quanto mais história para contar houver melhor e desta vez Diana Gabaldon tinha muita coisa para colocar no papel, nesta primeira parte de A Cruz de Fogo.

Agora a família está completa com Jamie, Claire, Brianna, Roger e o filho de Bree. A vida na Cordilheira dos Fraser está melhorando a cada dia e os arrendatários aumentando aos poucos. O que gosto nesta ambientação é a descrição detalhada de cenário, o que para mim é como um sonho em ficar passeando com a mente por um local da Carolina do Norte em meio ao ano de 1771. A descrição de fauna e flora é impecável e isto é algo totalmente declarado em todos os livros da saga.

A Cruz de Fogo é uma parte da história que vai focar completamente em lealdade, amizade e fidelidade. Esta primeira parte mostra como Jamie consegue ser um líder para muitos escoceses e até para algumas pessoas que não vieram das Terras Altas em busca de uma vida melhor e mesmo assim se identificaram com ele. 

A união de pessoas diferentes traz um gosto especial, já que mostra mais costumes e o modo de viver que cada pessoa tinha e agora precisa ter em um ambiente diferenciado. Como é parte da história real, também começa a contar a parte sobre onde a Coroa cobra altos impostos e toma as posses das pessoas que não conseguem pagá-los e a onda de revolta dos reguladores, pessoas que querem lutar contra este abuso e criar uma revolta.

Uma parte no livro me marcou profundamente, mesmo que neste volume talvez não tenha muito sentido por parecer fazer somente uma parte da passagem no tempo. Uma cena sobre um casal de fazendeiros e como naquela época as coisas podiam acontecer de forma meio bruta, até porque existia a questão da escravidão e venda de pessoas de todas as raças. Não posso falar muito sobre esta parte para não dar spoilers, mas esta parte em si me chocou bastante pela crueldade.

Esta obra em si não vai ter algo que intrigue o leitor ao extremo, mas cada pedaço da história é montada para colocar personagens em seus devidos lugares para o próximo volume da saga que deve vir com muita ação pela questão das rebeliões e é onde fico mais tensa com o futuro das pessoas na Cordilheira dos Fraser.

Agora espero ansiosa pela continuação, prevista para publicação em maio deste ano, para entender mais sobre alguns segredos que foram expostos nesta primeira parte e para saber o destino de outros personagens que causaram revolta e desejo de vingança no início e no  meio da história de Outlander. Segredos e mais segredos. Coisas de Diana que só Diana sabe resolver e nos embriagar em sua aventura!



07 março 2017

12

Dicas de livros sobre a Segunda Guerra Mundial!

Imagem memorial do levante no gueto de Varsóvia


Um dos assuntos que mais interessa as pessoas é a questão da guerra, principalmente da Segunda Guerra Mundial. O fascínio não é uma generalização pelo ato cruel que foi gerado contra judeus, ciganos, negros, homossexuais e deficientes físicos e sim o interesse em especular a mente de todos que fizeram parte desta história. As biografias e livros que contam um pouco mais de tudo o que se passou entre 1939 e 1945 relatam pesadelos terríveis para os que eram caçados e glórias para quem estava vencendo a batalha.

Sou uma das fascinadas por todas as histórias relatadas neste período, que considero de grande conhecimento e aprendizado de diversos modos. Já li vários livros de cunho autobiográfico e fictício e ainda me surpreendo lendo obras e descobrindo como o ser humano pode ser cruel uns com os outros.

Para quem não conhece muito a história sobre a questão dos judeus na guerra, Hitler acreditava que a raça alemã deveria ser uma espécie única, limpa de qualquer miscigenação, denominada ariana. Eles tinham total ódio contra judeus que eram pessoas geralmente bem dotadas de bens e com uma cultura diferente. Isto fez com que aos poucos não somente a partir de 1939 mas antes deste tempo também, já começasse a perseguição contra este povo.

Na Polônia, após a ocupação alemã, os judeus começaram a ser realocados para lugares denominados guetos, que eram bairros antes ocupados por várias pessoas e que depois foi cercado por um muro e a saída era guardada por soldados. Os judeus só podiam sair se trabalhassem fora para algum propósito. O restante tinha que viver dentro de um espaço mínimo, onde em cada apartamento que morava uma família, depois precisavam ser encaixado mais de três famílias. A fome, a doença, a tortura eram parte do dia destas pessoas.


Li três obras adolescentes e assisti a um filme que mostram de uma forma muito interessante como foi a parte de sofrimento e perseguição que os judeus sofreram. É uma leitura fluída e que traz bastante conhecimento de fatos.



Mesmo diante de uma vida extremamente difícil, há esperança. E às vezes essa esperança vem na forma de um garotinho, armado com uma trupe de marionetes - um príncipe, uma menina, um bobo da corte, um crocodilo...

O avô de Mika morreu no gueto de Varsóvia, e o menino herdou não apenas o seu grande casaco, mas também um tesouro cheio de segredos. Em um bolso meio escondido, ele encontra uma cabeça de papel machê, um retalho... o príncipe. E um teatro de marionetes seria uma maneira incrível de alegrar o primo que acabou de perder o pai, o menininho que está doente, os vizinhos que moram em um quartinho apertado.

Logo o gueto inteiro só fala do mestre das marionetes – até chegar o dia em que Mika é parado por um oficial alemão e empurrado para uma vida obscura.

Esta é uma história sobre sobrevivência. Uma jornada épica, que atravessa continentes e gerações, de Varsóvia à Sibéria, e duas vidas que se entrelaçam em meio ao caos da guerra. Porque mesmo em tempo de guerra existe esperança...



Misto de biografia e romance de formação, O menino da lista de Schindler acompanha a trajetória de Leon Leyson, o mais jovem integrante e um dos últimos sobreviventes da famosa lista de judeus salvos pelo empresário alemão Oskar Schindler durante a Segunda Guerra Mundial. 

Intenso como O diário de Anne Frank, o livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores depois de alcançar a prestigiosa lista dos mais vendidos do jornal The New York Times, e oferece uma perspectiva única do Holocausto. Um relato emocionante, corajoso e humano que precisa ser contado às novas gerações.



O depoimento da pequena Anne Frank, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Seu diário narra os sentimentos, medos e pequenas alegrias de uma menina judia que, com sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto.

Lançado em 1947, O diário de Anne Frank tornou-se um dos maiores sucessos editoriais de todos os tempos. Um livro tocante e importante que conta às novas gerações os horrores da perseguição aos judeus durante a Segunda Guerra Mundial.




Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. 

Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.

Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.


Imagem da cerca que separava o gueto de Cracóvia da cidade



Todos estes livros eu recomendo completamente para quem quer conhecer mais sobre como foi o inferno que todos os perseguidos viveram. Através de relatos em uma história e até uma meia biografia dá para saber a forma como eles viviam, onde ficavam, como eram tratados. É uma leitura interessante e que flui de forma rápida, já que muitas vezes um livro de história em si pode ser mais lento quando só relata os fatos de forma descritiva. 

Todos os livros são vividos por personagens jovens e no caso de O Menino da Lista de Schindler e O Diário de Anne Frank, os relatos são biográficos.

Recomendo totalmente a leitura para quem quer conhecer um pouco mais do assunto sem ler artigos científicos.
No final das leituras você vai ficar se perguntando como ainda somos capazes de continuar perseguindo povos, nações ou até mesmo alguém que pode-se considerar diferente.




04 março 2017

4

O Par Perfeito - Saga A Pousada #3 - Nora Roberts! [Resenha #343]


Hope se tornou a gerente da pousada Boonsboro, na pequena cidade do mesmo nome. Melhor amiga de Avery, depois de ter descoberto que seu noivo a traia e que fazia de propósito ao contar a ela que estava para se casar com outra mulher rica e poderosa, ela deixou a grande cidade onde também era gerente de um grande hotel e mudou-se para aquele lugar de interior e para aquela pousada que agora era o seu coração.

Ryder Montgomery era o irmão mais rabugento de todos os três. Os outros dois já estavam comprometidos com as amigas Avery e Clare, inclusive Clare já estava grávida do irmão. Mas Ryder era um homem que não gostava de enganar as mulheres, e sempre deixava claro que não desejava nenhum tipo de compromisso sério e o trabalho que tinha com todas as construções era o suficiente para ocupar seu tempo.

Hope achava que Ryder não gostava dela, já que demonstrava isto de diversas formas, desde que ela chegou ali pela primeira vez. Mas Lizzie, o espírito que ficava na pousada sempre dava um jeito de fazer eles se encontrarem de alguma forma para uma conversa e até de certa forma trancar eles juntos parecia ser uma piada para todos. 

Mas Hope não esperava que o passado viesse se meter em sua vida e começar a infernal jornada novamente. E desta vez ela teria que mostrar que mesmo que ser uma mulher decidida e preparada fosse seu estilo, muitas vezes a ajuda de amigos era melhor. E nesse meio Ryder começou a conhecer melhor aquela gerente tão querida e especial por todos.


Autora: Nora Roberts
Título Original: The Perfect Hope
ISBN: 9788580415254
Páginas: 320
Ano: 2016
Gênero:  Romance 
Editora: Arqueiro







 


É com felicidade desta leitura que posso dizer que cheguei ao final da saga de A Pousada escrita pela Nora Roberts. Até o momento eu li três sagas dela, sendo a primeira O Quarteto de Noivas, o segundo Os Primos O'Dwyer e agora esta. A Nora Roberts consegue escrever sobre tudo um pouco, sendo que a saga de A Pousada é algo bem mais romântico, voltado para uma cidade do interior, família e amigos. 

Nesta versão conhecemos a personagem de Hope, que para mim foi a que mais se destacou pelo seu jeito de ajudar sempre a todos, estar sempre alerta em qualquer situação e sempre preparada a encarar qualquer desafio, mesmo que Avery e Clare, que foram as personagens dos outros livros também tenham este estilo. Mas Hope conseguiu me cativar com mais sucesso, acho que também pela questão de que ela não morava na cidade e que teve que se adaptar aos poucos e a todos.

O Par Perfeito também foi para mim o livro que mais teve um impacto entre o desejo da conquista e a rivalidade de não dar o braço a torcer. Sabe aquela coisa de saber que há faíscas entre dois personagens e mesmo assim fica aquela coisa de eles tentarem fugir um do outro? Gosto da situação em que eles vão se conhecendo aos poucos, mesmo que eles estejam desde o primeiro livro, claro.

Para mim a história da fantasma, Lizzie, me marcou muito. Achei linda e perfeita como a Nora conduziu tudo e como ela de alguma forma conseguiu não a fazer desaparecer em nenhum dos livros. Queria que tivesse um quarto livro da saga contando somente a história dela para saber mais como tudo aconteceu. Mesmo que a autora tenha deixado tudo explicado, ficou aquela vontade de conhecer toda a vida da personagem.

É uma saga para ler com tranquilidade, sem tensão nenhuma e para dar risadas, porque os irmãos são muito hilários um com o outro e tem umas tiradas que eu não conseguia me controlar. É uma saga clichê, mas é repleta de histórias cheias de amizade, cheias de desafios de encontros e de desencontros e sobre como é ganhar depois de perdas.

Esta é a Nora Roberts que me acostumei a gostar. A que escreve sobre o amor sem envolver muita fantasia sobre bruxarias, tempos antigos ou coisas afins, que não me identifico com o jeito que ela escreve. Foi um ganho a mais na literatura. Ainda bem!