11 dezembro 2017

0

Coluna de Fogo - Ken Follett! [Resenha #378]



Kingsbridge se tornou uma cidade importante na Inglaterra desde a construção de sua grande Catedral.  O comércio se tornou a grande atividade e muitos cresceram desde então com a venda de produtos produzidos em outros países e distribuídos ali. Na verdade depois que um rei protestante assumiu, os padres, monges e freiras perderam seu espaço e logo estes espaços ficaram totalmente inabitados. 

O reinado atual era de Maria Tudor, uma católica fervorosa que não aceitava de forma nenhuma que protestantes mantivessem seus cultos ativos e qualquer pessoa que mostrasse não ser da fé católica era perseguida e morta por traição. A Inglaterra estava sendo construída pelo catolicismo e muitas pessoas cresciam financeiramente com isso. 

Ned Willard é filho de Alice, uma comerciante bastante famosa de Kingsbridge. Junto com sua mãe ele fazia o negócio prosperar e apesar de seu irmão Barney estar na Espanha fazendo outros negócios, ficar ali era seu futuro. O que ele mais queria era casar com Margery Fitzgerald, mas seu pai e o irmão Rollo repudiavam Ned completamente por sua criação e seu credo e queriam que Margery se casasse com alguém da nobreza.

Na Europa os ânimos estavam exaltados, Catarina, rainha da França, casada com o rei Henrique II tinham filhos muito frágeis mas precisavam fazer algo diferente para erguer o moral da população após a tomada de Calais dos ingleses. Com isso obrigaram o filho Francisco a se casar com Maria Stuart, rainha da Inglaterra. O país era bastante católico porém os protestantes eram tolerados desde que não fizessem seus cultos ao ar livre.

O que Aumande mais queria era fazer parte da nobreza. E com isso enganar as pessoas e induzir outros a mata-las era o que mais sabia fazer. Com a ajuda outras pessoas começou a caçar protestantes para uma futura insurreição e também a preparar padres e colocar eles na Inglaterra de forma que no momento que uma armada invadisse a Inglaterra, eles unissem outros católicos pudessem se virar contra a nova rainha, Elizabeth.

Elizabeth era a filha ilegítima do rei e meia-irmã de Maria Tudor. Porém era protestante todos os católicos queriam que Maria Stuart virasse a verdadeira rainha. Porém Elizabeth era fiel a suas promessas e tanto católicos quanto protestantes podiam viver em paz. Durante todo seu reinado era alvos de atentados até que o mundo se virou contra ela e Ned Willard precisou mostrar toda sua perspicácia para proteger a Inglaterra.

Reis, rainhas e interesses políticos vão debater de frente para que a fé que uns e outros acreditem suba ao poder, enquanto sangue escorre por uma Europa em crise.



Autor: Ken Follett
Título Original:  A Column of Fire
ISBN: 9788580417340
Páginas: 816
Ano: 2017
Gênero:  Ficção Inglesa
Editora: Arqueiro






  

Primeiro veio Pilares da Terra para iniciar a grande história sobre a cidade de Kingsbridge, depois Mundo sem Fim deu origem ao término da construção da Catedral da cidade e agora Coluna de Fogo continua a história como uma saga que esclarece como os fatos anteriores atravessam o tempo e marcam o destino de todos.

Nos dois primeiros livros que se passa a cada 200 anos de distância um do outro, o foco principal é a cidade de Kingsbridge e a evolução de seus personagens. A questão da fé é bastante trabalhada em todos os livros, já que o catolicismo era bastante pregado nesta época e que vai ficar bastante evidente em Mundo sem Fim e mais ainda a partir de Coluna de Fogo.

Comecei a ler Coluna de Fogo sem pensar no que mais Ken Follett poderia criar através de seus personagens. Tinha tido tanta coisa em Mundo sem Fim que achei que tudo pudesse ter sido já discutido e quando comecei a ler já me deparei com um mundo totalmente diferente. Se você pensar que precisa ler os livros anteriores para entender este está enganado. Alguma coisa ou outra é relembrada, mas o foco fica mesmo em uma nova história bem arrebatadora.

Kingsbridge foi apenas o começo da história para saber de onde realmente saíram todos os personagens e qual o interesse de cada um, mas a Europa é o cenário complexo de toda a trama e isso é tão fascinante que ainda penso que tudo o que aprendi neste livro valeu mais do que as aulas de história que tive no colégio. Nunca tive muito interesse na realeza de qualquer país que fosse, mas ao começar a conhecer a monarquia de diversos países me dediquei totalmente. Entender o que é fazer parte da monarquia nada mais é do que uma guerra de conflitos e interesses e um jogo onde cada um  tenta se manter vivo da melhor forma.

A história mostra todo o contexto intelectual sobre o reinado de Maria Tudor em que a fé católica era colocada como a única correta na Inglaterra e em outros países e as pessoas que não acreditavam nisto, ou seja, os protestantes, eram caçados e mortos de diversas formas, já que a rainha e seu marido, o rei Filipe da Espanha, não toleravam este tipo de comportamento. Porém após a morte da rainha, quem assumiu o poder foi Elizabeth Tudor que era a favor dos protestantes e que queria a paz da Inglaterra.

O mais crucial do livro é que Ken Follett vai mostrar a opinião de diversos países e suas condições perante a questão do catolicismo e do protestantismo e como cada um lidava com esta questão na época. Quem acredita que hoje haja algum tipo de preconceito, ao ler esta obra vai ficar absorto em uma condição lamentável de como haviam perseguições e complôs entre clãs e famílias para que os interesses de cada um reinasse. 

Há de tudo um pouco nesta obra: escravidão, guerras, massacres, insurreições, complôs. É uma obra prima em unir quase um século de história de uma forma em que o leitor fica tão preso nas consequências dos atos que só pensa em ler uma página após a outra.

Quando eu pensava que uma coisa teria fim, vem outra e interfere naquele trajeto. Nunca imaginei que a Inglaterra tivesse uma história tão farta e tão cheia de idas e vindas. E como a Espanha e a França tiveram tanto apreço neste conflito pelo poder. 

Ao terminar o livro só queria poder abraçar o Ken Follett e pedir gentilmente que continuasse o livro e que não parasse nunca mais, já que por aquelas páginas aprendi mais do que jamais imaginei. O teor emocional é tão grande que não tem como torcer para nenhum lado, só tem como torcer para o autor continuar a surpreender mais e mais, pois isto com certeza ele sabe exatamente como fazer.







07 dezembro 2017

0

Crise Existencial: Post Desnecessário!



Falta de assunto. Será que é falta de assunto? Acredito que não seja. Acho que é mais uma falta de criatividade momentânea que está me impedindo de criar algo mais direto e que possa chamar a atenção de alguém.

Tenho visto muitos seriados ultimamente e isto tem me confundido bastante a cabeça. Não no sentido ruim, mas no sentido de que está sendo muito confuso com todas as teorias apresentadas e me pego pensando na quantidade de coisas em que a gente passa a vida se perguntando e analisando se é real ou fictício ou se devemos ou não acreditar em algo. Existe destino ou tudo já é traçado? Como o mundo foi criado? Este tipo de coisa

Adoro seriados ou filmes que me façam analisar todas as questões existenciais, já que muitas pessoas acreditam somente naquilo que é apresentado. Quando assisti ao filme Matrix fiquei um tempão analisando o que poderia ser verdade ou mentira e acredite, acho que nem sequer estamos preparados para este tipo de verdade já que afinal nem aceitamos a religião dos outros que são contrárias das nossas, não é?

E assim quando vou pensar em fazer alguma coisa mais completa me pego pensando novamente na teoria do que tenho assistido. É um ciclo que preciso completar com perguntas e respostas. Depois de ter lido Coluna de Fogo do meu querido Ken Follett e estar no último capítulo do seriado Dark eu parei muito para pensar o que realmente vale a pena na vida e o que fazemos de melhor no passado, no presente e no futuro.

Os dois assuntos dão temas de matérias bem complexas e com certeza é o que farei. Por enquanto só o que desejo é poder criar algo a mais do que problemas racionais que não consigo desvendar. Lost já tinha criado uma dimensão maior em mim e agora mais coisas surgem ao meu redor.
Falta de assunto? Nem pensar. É falta de coordenar tudo em palavras. 

Não se preocupe, logo volto com tudo em contexto para você.

Será o destino ou tudo está conectado?



04 dezembro 2017

20

A Irmã da Pérola - Saga As Sete Irmãs #4 - Lucinda Riley! [Resenha #376]


Ceci, conhecida por alguns como Celeno D’Aplièse, agora está tentando aceitar tudo o que aconteceu depois que sua irmã Estrela foi morar em outro lugar. A sua praticamente alma gêmea encontrou suas origens e descobriu o verdadeiro amor de sua vida, deixou Ceci em seu grande apartamento, apesar de nunca deixa-la completamente só. 

Com a perda de Pa Salt todas as irmãs resolveram que seguir a trilha deixada por ele em uma carta própria devia ser o caminho certo e agora que tudo mudou para Ceci ela também decidiu que ir para a Austrália de onde partia uma pensão e uma fotografia era sua missão. Porém ao entrar em um avião a caminho do país ela decidiu que dar uma parada na Tailândia seria uma saída melhor para aliviar a mente.

Lá ela encontra um pouco de redenção já que foi lá também que um ano antes estivera com sua irmã. E em um momento de destino conhece Ace, um homem desconhecido e misterioso que não quer aparecer em público e com que Ceci acaba tendo um relacionamento temporário.

Kitty Macbride é uma jovem escocesa que está completando seus dezoito anos. Filha de um padre e cheia de irmãos, sua vida está fadada a acompanhar uma viúva até a Austrália para visitar sua irmã e assim poder sair da sua pacata vida. Mesmo sabendo que vai passar mais de nove meses fora de casa em uma época em no início do século XX, encarar esta aventura é sua única solução.

Ao chegar em um país recém habitado Kitty se depara com um mundo diferente onde os homens brancos começaram a habitar as cidades e lutam contra os aborígenes. Somente algumas cidades são habitadas, outros lugares possuem nativos e mais nada ao redor. 

Kitty ficou hospedada na mansão Alicia Hall na cidade de Adelaide. É lá que moram os Mercers, o casal e seus dois filhos gêmeos: Andrew e Drummond. E também foi lá que Kitty ficou presa sem ter o que fazer durante um longo tempo. Isto até começar a conhecer os dois irmãos e descobrir que os dois eram muito diferentes. Andrew era mais ético e conservador e Drum era impulsivo e aventureiro.

Com o passar do tempo junto do convívio dos irmãos ambos acabam se apaixonando pela adorava Kitty, porém Andrew acaba se casando com a bela moça e vai morar com ela em Broome, uma cidade não muito civilizada onde a família Mercer possuía sua grande fortuna no comércio de pérolas. 

Ao chegar na Austrália Ceci vai se deparar com muitos destinos, diversas cidades para conhecer e muitos mistérios para desvendar. E com a ajuda de Crissie, uma nativa local vai também entender como fazer parte de uma nova tribo é importante quando se descobre o que realmente se sente.



Autora: Lucinda Riley
Título Original:  The Pearl Sister
ISBN: 9788580417739
Páginas: 528
Ano: 2017
Gênero:  Romance
Editora: Arqueiro







 

Se eu começar a falar sobre a Lucinda Riley e todas as façanhas que ela faz em todos os livros que leio dela este post vai se transformar em uma biografia minha sobre alguém que admiro muito. Já faz dias que li A Irmã da Pérola e ainda sinto a sensação de estar como esta capa estrangeira acima, uma mulher saindo de uma carruagem em roupas de época diretamente nas áreas secas e áridas da Austrália para um mundo novo.

Neste volume a autora fez uma coisa que eu tinha rejeitado nos livros anteriores, ela pulou a parte em que a filha, no caso Ceci, faz toda a parte da introdução de como foi a sua percepção sobre a notícia e a perda de Pa Salt, a ida até a sua casa e como tudo aconteceu. Nos outros três livros isto é narrado e ficou um pouco cansativo sendo que neste isto não acontece, mas Ceci conta de uma maneira breve o acontecimento de forma que se você não leu os anteriores vai conseguir entender o que se passa.

Como começar a contar o que senti? Primeiro vamos pela parte mais atual: a vida de Ceci. Todas as irmãs rumam a um local para encontrar a sua real origem. Gostei da de Ceci pelo fato de que ela estava indo para um lugar que não é muito explorado nos livros que leio e assim sendo eu estaria conhecendo um pouco mais de um outro continente. Quando ela para inicialmente na Tailândia, a descrição de cenário é linda, mas não somente isto como os poréns de quem já visitou o lugar vai saber traduzir e quem conhece a autora sabe que ela passou muitas vezes a infância e faz viagens frequentes para lá.

Agora partindo para o momento do passado é inacreditável como as características de uma Austrália inabitada e tão nova foi bem descrita. Não sabia como eram as habitações, apesar de sempre saber que este país não teve e não tem uma vasta quantidade de pessoas por toda a sua extensão. Mas aos poucos as cidades vão aparecendo e a forma como a autora mostra o comércio, a escravidão, os aborígenes e sua cultura, fica claro que houve uma grande devastação e ao mesmo tempo uma apropriação de terras.

Se for focar nos personagens é de tirar o fôlego o quanto Kitty é persistente e atenciosa. O que mais me cativou é o drama de toda a sua história e como o vai e vem dos acontecimentos causam um final tão dramático e ao mesmo tempo surreal. Me apeguei tanto ao passado de Ceci que parece que sempre desejo estar nos ambientes criados pela Lucinda Riley.

O final da trama não poderia ter sido melhor classificado. Sempre se imagina que com tudo o que aconteceu com as irmãs, o destino possa mudar tudo, mas é tão legal ver que a criação que todas elas tiveram as levaram a rumos diferentes e que Pa Salt tenha feito tudo para que elas conhecessem suas origens.

Amei cada pedaço e não consegui até agora me desprender desta história. O ruim mesmo é que demora demais para sair a próxima história e mais ainda para ter o final da saga, até porque Lucinda sempre pesquisa bastante sobre os lugares os quais escreve. Só resta ver o seriado que em breve estará no ar e ficar na perspectiva de sonhar mais ainda com todas as histórias.





29 novembro 2017

0

Destino Tentador - Nora Roberts! [Resenha #375]


Sinopse:

O advogado Caine MacGregor tem a reputação de ser um demônio dentro e fora do tribunal. Impetuoso, raramente se depara com um caso - ou uma mulher - que não possa ganhar. Mas Diana Blade é diferente. Caine anseia por quebrar a fria barreira de autocontrole dela e libertar toda a paixão que existe em seu interior. Ele a convence a formar uma parceria profissional, contudo, será que conseguirá persuadir Diana a arriscar tudo pelo amor de um MacGregor?


Autora: Nora Roberts
Título Original: Tempting Fate
ISBN: 9788539825257
Páginas: 256
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: HarperCollins Brasil / Harlequin




Diana Blake é a irmã de Justin, que foi criada pela tia quando eles perderam os pais, pois para o irmão mais velho, era a coisa certa a fazer. Ela se tornou uma mulher forte, decidida e sofisticada.
Agora depois de muitos anos afastados ela é convidada para passar uns dias com Serena sua cunhada e o irmão no hotel Cassino Comanche, ela aceita no entanto não sabe se conseguirá esquecer todos os anos de abandono do irmão, sua curiosidade é maior, pois agora é uma advogada formada em Harvard, e sabe que não se abalara facilmente.

"Ele estava oferecendo o seu amor e não aceitaria gratidão. Não ia chorar. Em vez disso, Diana pegou a mão dele.
- Seja meu amigo." Pág. 53.


Caine MacGregor é o casula da família também advogado, foi destacado para apanhar Diana no aeroporto. Ele fica instigado, pois sua beleza é ímpar. Ele como mulherengo tenta se conter, afinal agora ela é da família.

"Conseguia ver claramente a imagem que ele havia feito com palavras. Seria um amante bárbaro, o tipo que as mulheres almejam mesmo sabendo que podem não sobreviver à experiência." Pág. 70.

Ao irem se conhecendo, algo começa a acontecer entre eles. Diana que agora quer ter o próprio escritório em Boston, acaba recebendo uma proposta irrecusável de Caine, para alugar a sala ao lado da sua. Em uma ótima localização,  com clientela e um valor de aluguel aceitável ela fecha o negócio.

"Caine estava abrindo caminho por uma trilha que ela não conhecia. Ele estava brincando com vulnerabilidades que ela não deveria ter, com paixões  que ela não queria." Pág. 41

A partir daqui temos conversas tensas e discussões, alguns acasos do destino e muito amor e decisões a serem tomadas. Livros da Nora Roberts sempre me prendem, pois não conseguimos esquecer esses romances e histórias trágicas familiares que ela cria. Sempre quero fazer parte das famílias e conhecer o futuro dos personagens. De uma fã  para você que não a conhece ainda. Saiba que ela sabe dosar tudo e deixar-nos apaixonadas por suas obras.

Uma leitura imperdível, é a coleção McGregor.

  ESTA RESENHA FOI FEITA PELA BLOGUEIRA E COLUNISTA CONVIDADA ELIS DO BLOG A MAGIA REAL.



27 novembro 2017

9

Crítica: Exathlon Brasil!


Para quem ainda não leu ou ouviu falar sobre este programa vou explicar um pouco dele por aqui, já que sou certamente uma das viciadas nele.

O Exathlon Brasil é um programa estilo reality show em que de início tinha no total vinte participantes divididos em dois times: Heróis e Guerreiros. Todos eles são pessoas ativas em esportes ou em algum estilo de vida saudável, alguns conhecidos outros não. 


O programa se passa em uma praia da República Dominicana e oferece ao ganhador um prêmio de 350 mil reais. Mas o mais legal de tudo isto é que neste tipo de reality é como se fosse um estilo de circuito bem alucinante em que toda a semana várias provas são dadas aos participantes, que podem pontuar para que tenham um ranking próprio e depois na sexta-feira o time que foi pior naquela semana, perde um participante.

Eu sempre gostei deste tipo de prova pela questão de que o que vale é sempre o esforço de cada competidor. Este se passa na Band, mas lembro de outros que acabei assistindo na Globo e digo que este do estilo da Band acabou me fazendo gostar mais pelo fato de que o grupo faz com que a gente se apegue bastante nos participantes.

As provas são em formas de circuitos e geralmente com pontuação até dez e cada dia vale um tipo de recompensa: a cabana, que serve para ter uma acomodação decente pois senão eles dormem no piso de uma casa aberta, comida, ligação para um parente ou a possibilidade de eliminação.


As competições por enquanto acontecem entre dois times mas homens contra homens e mulheres contra mulheres, porém conforme forem saindo os participantes a coisa vai se tornando mais acirrada até que quem for sobrando vai competir um contra o outro.


Também há semanas em que os competidores brasileiros competem contra os mexicanos, que estão tendo a sua versão por lá também. Já houve três circuitos em que o Brasil ganhou duas vezes e perdeu uma. 

Claro que as provas tem uma exigência bem forte. Mas exigem todo o estilo de habilidade: corrida, natação, força e principalmente mira que é uma coisa que faz os participantes perderem muitas vezes. Entre os participantes existe jogadores de vôlei, campeão de Parkour, jogadora de futebol, modelo, nutricionista e por aí vai.

E o que gosto muito é que dá para participar por Twitter e ter o seu comentário na telinha dor programa. Como eu sou uma pessoa que participa sempre, já consegui aparecer por lá duas vezes.



Nem preciso dizer que fico super orgulhosa por estar aparecendo quando eu gosto um monte do programa e estou sempre participando né?

Para quem quiser assistir o programa passa de segunda à sexta às 20:30 e dura até às 21:10 mais ou menos e ainda também tem mais na quinta às 22:30 na Band!

Alguém aí curte o programa também além de mim?





23 novembro 2017

0

Leituras desejados de Novembro!


Este mês é o mês do meu aniversário e eu já estou esperando a Black Friday para fazer umas compras especiais. Não que isto tenha a ver com alguma comemoração e sim com o fato de que não consigo imaginar alguma boa oferta e deixar de colocar os meus desejados na estante. 

As pessoas que me conhecem dão risada porque ficam me perguntando se eu já li todos os que tenho. Lógico que não, porque se já tivesse lido não teria graça, não é mesmo?

Vamos para os desejados do mês. Claro, alguns deles.


MULHERES SEM NOME
Martha Hall Kelly

A socialite nova-iorquina Caroline Ferriday está sobrecarregada de trabalho no Consulado da França, em função da iminência da guerra. O ano é 1939 e o Exército de Hitler acaba de invadir a Polônia, onde Kasia Kuzmerick vai deixando para trás a tranquilidade da infância conforme se envolve cada vez mais com o movimento de resistência de seu país. 

Distante das duas, a ambiciosa Herta Oberheuser tem a oportunidade de se libertar de uma vida desoladora e abraçar o sonho de se tornar médica cirurgiã, a serviço da Alemanha. Três mulheres cujas trajetórias se cruzam quando o impensável acontece: Kasia é capturada e levada para o campo de concentração feminino de Ravensbrück, onde Herta agora exerce sua controversa medicina. 

Uma história que atravessa continentes — dos Estados Unidos à França, da Alemanha à Polônia — enquanto Caroline e Kasia persistem no sonho de tornar o mundo um lugar melhor. Costurado por fatos históricos e personagens femininas poderosas, Mulheres Sem Nome é um romance extraordinário sobre a luta anônima por amor e liberdade. Um livro inspirador, que encanta e comove até a última página.



O JARDIM DAS BORBOLETAS
Dot Hutchison

Quando a beleza das borboletas encontra os horrores de uma mente doentia. Um thriller arrebatador, fenômeno no mundo inteiro Perto de uma mansão isolada, existia um maravilhoso jardim. Nele, cresciam flores exuberantes, árvores frondosas... e uma coleção de preciosas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. 

Cada uma delas passa a ser identificada pelo nome de uma espécie de borboleta, tendo, então, a pele marcada com um complexo desenho correspondente. Quando o jardim é finalmente descoberto, uma das sobreviventes é levada às autoridades, a fim de prestar seu depoimento. A tarefa de juntar as peças desse complexo quebra-cabeça cabe aos agentes do FBI Victor Hanoverian e Brandon Eddinson, nesse que se tornará o mais chocante e perturbador caso de suas vidas. 

Mas Maya, a enigmática garota responsável por contar essa história, não parece disposta a esclarecer todos os sórdidos detalhes de sua experiência. Em meio a velhos ressentimentos, novos traumas e o terrível relato sobre um homem obcecado pela beleza, os agentes ficam com a sensação de que ela esconde algum grande segredo.


A MULHER NA CABINE 10
Ruth Ware

Aclamado pela crítica e há mais de 30 semanas na lista dos mais vendidos do The New York Times, A mulher na cabine 10 estabelece de vez Ruth Ware como um dos grandes nomes do suspense contemporâneo, na melhor tradição de Agatha Christie. 

No livro, uma jornalista de turismo tenta se recuperar de um trauma quando é convidada para cobrir a viagem inaugural de um luxuoso navio. Mas, o que parecia a oportunidade perfeita para se esquecer dos recentes acontecimentos acaba se tornando um pesadelo quando, numa noite durante o cruzeiro, ela vê um corpo sendo jogado ao mar da cabine vizinha à sua. 

E o pior: os registros do navio mostram que ninguém se hospedara ao seu lado e que a lista de passageiros está completa. Abalada emocionalmente e desacreditada por todos, Lo Blacklock precisa encarar a possibilidade de que talvez tenha cometido um terrível engano. Ou encontrar qualquer prova de que foi testemunha de um crime e de que há um assassino entre as cabines e salões luxuosos e os passageiros indiferentes do Aurora Boreal.


ACHADOS E PERDIDOS DA HISTÓRIA: ESCRAVOS
Leandro Narloch

A coleção contará a história do Brasil e do mundo por meio de histórias de vida. Não há caminho melhor para se reconectar ao passado do que conhecer dramas e aventuras de homens e mulheres que construíram a nossa identidade.


A partir da biografia de escravos, este livro percorre os três séculos da escravidão e suas diversas fases. Muitas histórias confirmam a brutalidade que, como sabemos, marcava aquele sistema. Outras espantam: no século 18, uma mulher livre se vendeu como escrava; um negro liberto mandava dinheiro à viúva de seu antigo dono ao saber que ela havia empobrecido.



São relatos tão surpreendentes que só conseguimos entendê-los se abandonarmos nossa mentalidade acostumada à liberdade e aos direitos humanos do século 21.



Ao revirar este baú de achados e perdidos, o leitor chegará à conclusão de que não houve só uma escravidão no Brasil. Mas várias, de diversos tipos e cenários, com um grau de complexidade muito maior do que imaginávamos.



O HOMEM MAIS FELIZ DA HISTÓRIA
Augusto Cury

O homem mais feliz da história é um romance protagonizado pelo psiquiatra Marco Polo, um pensador ateu e mundialmente reconhecido que ousa estudar a complexa mente de Jesus sob o ângulo da ciência.
Em uma jornada surpreendente, ele procura desvendar os misteriosos códigos da felicidade ocultos no mais famoso discurso do Mestre dos Mestres: o Sermão da Montanha. Ao mesmo tempo que fica fascinado com suas descobertas, Marco Polo sofre uma perseguição implacável de forças ocultas que farão de tudo para silenciar sua voz.

Estes são alguns dos lançamentos deste mês que pretendo ler, agora só basta eu adquirir e colocar na fila de espera, que não é muito pequena. Mas vale a pena cada um!





21 novembro 2017

14

Skoob Plus: Minha experiência! Vale a pena?


Para quem não sabe eu sou uma louca do Skoob, que gosta de colocar todas as leituras por lá, selecionar os livros que quero ler, os livros que já li, os que tenho na estante e tudo o que mais o site permitir.

Até então, para trocas eu sempre optei selecionar a questão de livro X livro, já que eu achava mais fácil trocar um livro que eu tinha por outro livro que alguém também desejava e assim tinha mais confiança na questão da troca ou então era algo mais justo ao meu ver, já que tinha interesse no livro. Porém há alguns dias eu acabei mudando de opinião e foquei no Skoob Plus.

Para quem ainda não conhece, o Skoob Plus é uma vantagem do site em que o participante quando tem créditos pode escolher um livro desejado, selecionar ele e assim, quem recebeu a seleção pode aceitar ou não. Caso tenha aceitado tem um prazo para o envio do livro. Assim que o livro é recebido, se faz uma avaliação e a pessoa recebe o crédito.

Após algumas tentativas achei o sistema interessante e igualmente eficaz e vou mostrar aqui algumas situações as quais me deparei.


Estes acima são os livros que eu solicitei e que estou aguardando no momento que as pessoas me enviem. Ontem, (20/11), fiz duas solicitações que já foram aceitas e que estou aguardando que as pessoas coloquem o código de rastreio dos Correios para que eu possa verificar como está o andamento.

Podem ver que há um doa dia 13/11 em que a pessoa aceitou a minha solicitação mas ainda não fez o envio. Apesar de eu estar aguardando bastante tempo, tenho conversado com ela por mensagens e ficado a par da situação. Toda vez que eu solicito um livro, o Skoob já resgata imediatamente os meus créditos, porém depois de 5 dias, se o livro foi aceito mas não foi enviado, eu posso cancelar a solicitação que os créditos voltam para a minha conta. Vou aguardar mais uns dias pela terceira solicitação e caso não tenha o registro do envio vou ter que cancelar a solicitação.


Aqui são os livros que as pessoas me solicitaram. Os dois últimos já foram entregues como aparece em status: troca concluída. Os outros três estão a caminho dos destinatários e possuem o código de rastreio que eu cadastro e assim que chega para as pessoas eu fico sabendo e já entro em contato. Assim ele confirmam e eu recebo meus créditos com uma avaliação de quem recebeu o livro, dizendo como foi a experiência para validar a minha postura: se o livro chegou direito, se foio que eu falei que era, se está em bom estado e tudo o mais. Isto é impostante pois vale como uma medida para outras pessoas fazerem as próximas solicitações.

A primeira foi uma que recém recebi a solicitação e aceitei e está aguardando eu cadastrar o código dos Correios. Assim sendo, eu ainda tenho 7 créditos para receber, sendo que cada pessoa pode optar por oferecer um livro por 1 ou 2 créditos.


Eu já fiz trocas de livros X livros com pessoas confiáveis. O ruim é que você só pode trocar com pessoas que tenham algum livro que você deseja e que ela deseje e assim tem que ficar procurado mais.

A questão de ser Plus no Skoob quando se é amarelo algumas pessoas acham ruim porque é necessário que primeiro você mande um livro para depois começar a ganhar créditos. 

A minha avaliação é que é muito melhor a utilização do Plus, que depois que você se torna azul, você tem milhares de opções de livros, pode colocar seus desejados e só clicar em um botão para ver se eles estão disponíveis, ver a reputação de quem está oferecendo e ainda ter a vantagem da proteção do Skoob que te dá dias para a pessoa responder ou você tem seus créditos de volta, o que não acontece caso você troque livro X livro. 

Já tive um caso em que solicitei um livro, a pessoa aceitou e sumiu do mapa. Caso eu tivesse mandado um livro para ela, certamente ficaria a ver navios e com o Plus eu simplesmente fui lá, cancelei a solicitação e obtive meu crédito de volta.

Claro que tem livros que as pessoas cobram 2 créditos, principalmente quando é lançamento, mas se você buscar bastante vai achar ótimas oportunidades e o envio é barato se feito por registro módico até 500 gramas ou então por impresso nacional se passar disto.

Então é isto. Aconselho muito mais as trocas pelo Plus do que livro X livro, mas cada um sabe como é melhor para adquirir livros novos.

Caso alguém tenha interesse em conhecer meu perfil e ver as trocas que eu faço, pode clicar aqui.




19 novembro 2017

0

Entre Irmãs - Frances de Pontes Peebles! [Resenha #374]


Sinopse:

Nos anos 1920, as órfãs Emília e Luzia são as melhores costureiras de Taquaritinga do Norte, uma pequena cidade de Pernambuco. Fora isso, não podiam ser mais diferentes.
Morena e bonita, Emília é uma sonhadora que quer escapar da vida no interior e ter um casamento honrado. Já Luzia, depois de um acidente na infância que a deixou com o braço deformado, passou a ser tratada pelos vizinhos como uma mulher que não serve para se casar e, portanto, inútil.
Um dia, chega a Taquaritinga um bando de cangaceiros liderados por Carcará, um homem brutal que, como a ave da caatinga, arranca os olhos de suas presas. Impressionado com a franqueza e a inteligência de Luzia, ele a leva para ser a costureira de seu bando.
Após perder a irmã, a pessoa mais importante de sua vida, Emília se casa e vai para o Recife. Ali, em meio à revolução que leva Getúlio Vargas ao poder, ela descobre que Luzia ainda está viva e é agora uma das líderes do bando de Carcará.
Sem saber em que Luzia se transformou após tantos anos vagando por aquela terra escaldante e tão impiedosa quanto os cangaceiros, Emília precisa aprender algo que nunca lhe foi ensinado nas aulas de costura: como alinhavar o fio capaz de uni-las novamente.


Autora: Frances de Pontes Peebles
Título Original: The Seamstress
ISBN: 9788570418197
Páginas: 576
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: Arqueiro




Nessa obra temos duas irmãs, uma delas morena e bela chamada Emília, que imagina-se casada e vivendo um casamento maravilhoso fora do interior. Já a irmã Luzia depois de cair de uma árvore devido a sua peraltice, fica com o braço deformado; então pelos olhos dos outros ela é vista como uma mulher sem atrativos para o casamento.

Elas moram com a tia Sofia que põe na cabeça que elas devem no mínimo serem boas costureiras, por isso além de ensina-las lhes proporciona um curso de corte e costura. Suas vidas mudarão assim que um bando de cangaceiros chegar a cidade de Taquaritinga.

Confesso a vocês que mesmo o livro tendo um cunho cultural e histórico, a leitura foi um pouco arrastada. Achei muitas repetições desnecessárias,  como sobre o braço deformado de Luzia. Para mim depois que um fato é mencionado ele não precisa ser repetido outras vezes e se for, não seria necessário muitas.

"Aprendera com Antônio que a indecisão leva sempre a um mau resultado. O que ele não tinha lhe ensinado, porém, foi que decisões erradas quase sempre deixam remorsos e remorsos não têm cura."

Emília se apaixona pelo professor de corte e costura e começa a criar coragem de conversar através de bilhetes com ele, ele corresponde, no entanto a chegada do grupo de cangaceiros muda tudo que a cidade conhecia.

Sofia e as sobrinhas ficam vivas porque se mostram úteis para costura e com o passar do tempo o líder de nome Carcará começa a admirar Luzia e sua franqueza e a leva quando vai embora da cidade para que ela seja a costureira do grupo.

Emília acaba por ir atrás do casamento dos sonhos, que a leve para fora do interior e vai parar em Recife com um casamento infeliz, que a faz ficar em busca da irmã que continua com o grupo de cangaceiros e atualmente parece ser uma das líderes.

Posso lhes dizer que a leitura é interessante e nos mostra uma visão de uma época que não  vivemos, de uma maneira ímpar. Ver o destino de cada uma que seguiu seu próprio caminho, mostra o quanto a vida molda cada pessoa. O livro é um misto de ideias, pois em alguns momento dá uma calmaria e fico um pouco monótono e de uma hora para outro a história vira e acaba se tornando cheia de ação e atitude.

Um fato bem positivo é que há muitos fatos históricos na trama que para quem gosta é como estar vivendo diretamente na época em questão.

Não posso falar muito sobre a diagramação porque li o livro em e-book mas a Editora Arqueiro sempre é impecável nos livros que publica.



 

O livro também foi convertido em filme com as atrizes Marjorie Estiano e Nada Costa como as principais irmãs. 

ESTA RESENHA FOI FEITA PELA BLOGUEIRA E COLUNISTA CONVIDADA ELIS DO BLOG A MAGIA REAL.