23 agosto 2017

0

Meus Dias com Você - Clare Swatman! [Resenha #361]


Ed e Zoe estão casados há um longo tempo e se conhecem há vinte anos, a ponto de o casamento estar deteriorado. Agora o que eles estão fazendo é conviver um com o outro como se fossem apenas amigos que acordam e dormem juntos. Zoe se sente pressionada e cansada com a obrigação de tentar engravidar e dos eternos tratamentos que faz para que isto aconteça e a mudança de humor que ocorre o tempo todo.

Ed é um cara tranquilo, que escolheu uma profissão que ama, mas que não traz tanta retribuição financeira. Trabalhar com jardinagem para ele é como estar no paraíso. Já Zoe é uma trabalhadora workaholic e faz o que ama também, apesar de muitos dias ficar até tarde em seus projetos de marketing para seus clientes. Sua promoção parece vir a qualquer momento e colocar a cabeça no trabalho parece ser uma solução única.

Isto até o momento em que Ed sofre um acidente e não sobrevive. A partir daí Zoe vê seu mundo ruir e se arrepende completamente por não ter dado mais atenção, por não ter feito mil coisas que deveria fazer, por não ter tido tempo para dizer adeus. E agora é tudo tarde demais.

E dois meses depois em um surto de fúria um acidente acontece e Zoe acorda em 1993, ainda no momento em que estava se preparando para ir à faculdade, onde toda a sua vida começava e ela percebeu que iria passar por todas as experiências novamente. Inclusive conhecer Ed e reviver alguns momentos principais.

E é a partir daí que Zoe decide que vai refazer tudo da melhor maneira possível para que o final não seja o mesmo, para que o acidente e a morte de Ed não aconteça e para que tudo volte a ser como antes.


Autora: Clare Swatman
Título Original: Before You Go
ISBN: 9788580417401
Páginas: 288
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: Arqueiro







 

A curiosidade sempre toma conta de mim quando vejo uma capa neste estilo. Parece uma arte em que demonstra um romance, mas que de uma forma abstrata também retrata algo perdido, como uma pessoa sozinha, solitária, o que na verdade é a real intenção da capa. Adoro capas que condizem exatamente com o que a história quer repassar e a Arqueiro é uma das editoras que são bem assertivas.

Quem já leu algum livro da autora Dani Atkins certamente vai se identificar com este estilo de leitura, mas não fique imaginando que vai ser idêntica a narrativa e a trama, porque é somente um estilo parecido, mas as diferenças param por aí. Clare Swatman tem um jeito mais simples de narrar o que quer passar para o leitor. Claramente de início a história parece ser algo como um clichê e no fim fiquei esperando um final de uma forma e acabou acontecendo de outra, o que faz o leitor pensar que em fatores em um romance a questão é crucial e a autora segue as ideias a fio.

Lógico que parece ser um pouco dramática toda a parte em que a personagem de Zoe tem que enfrentar a questão da perda do marido e isto por si só dá uma carga mais dura ao enredo, totalizando um sentimentalismo dolorido. Mas ao mesmo tempo quando a autora dá ao leitor a chance de mostrar o passado do casal e como eles chegaram na situação que é narrado no início do livro, dá uma base para entender o quanto muitas vezes não percebemos os erros que cometemos ao longo da vida porque acreditamos que sempre teremos tempo para tudo.

Em certos pontos ficava esperando um pouco mais, mas somente porque sabia que certa cena que estava sendo narrada iria acabar de alguma forma e iria para a seguinte, mas isto é algo de uma leitora ansiosa. A leitura é bem fluída e fácil, aquele tipo de livro que se lê rapidamente e mesmo assim dá para tirar uma ótima reflexão.

O final me deixou pensativa ao que eu realmente sentiria se estivesse no personagem de Zoe. Acredito que não agiria da mesma forma e é este tipo de situação que serve de exemplo e de história que nos faz pensar o que realmente vale a pena. 

Posso dizer que é um livro clichê, mas é um belo exemplo de como as coisas do dia-a-dia interferem nos sentimentos verdadeiros e como afetam relacionamentos ao ponto de se perderem totalmente.


21 agosto 2017

1

Duologia: Agentes da Coroa de Julia Quinn!

Tem um gênero literário que é impossível dizer que não cativou o coração de milhares de leitoras mundo afora: o romance de época. Todo o jeito de escrita, o romance, o cenário, as roupas e o requinte gera um apego romântico que nos faz cair de amores pelos livros lançados. 

Mais que isto, é saber que algumas autoras são famosas justamente por saber escrever este tipo de gênero. Aqui pelo Brasil dá para citar várias, tanto estrangeiras quanto brasileiras e cada uma consegue captar a graça e o romance perfeitos.

Mas agora a Arqueiro está lançando uma duologia da autora famosa Julia Quinn, que também tem vários outros livros lançados pela editora, sendo que eu comecei a ler pela primeira vez os livros dela com a saga dos Smythe-Smith e posso garantir que é uma leitura para lá de divertida e que enfeitiça.

A duologia da série Agentes da Coroa vem com os livros Como Agarrar uma Herdeira, com publicação já feita pela Arqueiro agora em agosto e Como se Casar com um Marquês, lançamento previsto para setembro.

Conheça um pouco mais sobre os dois livros:


COMO AGARRAR UMA HERDEIRA

Quando Caroline Trent é sequestrada por engano por Blake Ravenscroft, não faz o menor esforço para se libertar das garras do agente perigosamente sedutor. Afinal, está mesmo querendo escapar do casamento forçado com um homem que só se interessa pela fortuna que ela herdou.
Blake a confundiu com a famosa espiã espanhola Carlotta De Leon, e Caroline não vai se preocupar em esclarecer nada até completar 21 anos, dali a seis semanas, quando passará a controlar a própria herança milionária. Enquanto isso, é muito mais conveniente ficar escondida ao lado desse sequestrador misterioso.
A missão de Blake era levar “Carlotta” à justiça, e não se apaixonar por ela. Depois de anos de intriga e espionagem a serviço da Coroa, o coração dele ficou frio e insensível, mas essa prisioneira se prova uma verdadeira tentação que o desarma completamente.


COMO SE CASAR COM UM MARQUÊS
Elizabeth Hotchkiss precisa se casar com um homem rico, e bem rápido. Com três irmãos mais novos para sustentar, ela sabe que não lhe resta outra alternativa.
Então, quando encontra o livro Como se casar com um marquês na biblioteca de lady Danbury, para quem trabalha como dama de companhia, ela não pensa duas vezes: coloca o exemplar na bolsa e leva para casa.
Incentivada por uma das irmãs, Elizabeth decide encontrar um homem qualquer para praticar as técnicas ensinadas no pequeno manual.
É quando surge James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury, que o convocou para salvá-la de um chantagista. Para realizar a investigação, ele finge ser outra pessoa. E o primeiro nome na sua lista de suspeitos é justamente... Elizabeth Hotchkiss.
Intrigado pela atraente jovem com o curioso livrinho de regras, James galantemente se oferece para ajudá-la a conseguir um marido, deixando-a praticar as técnicas com ele. Afinal, quanto mais tempo passar na companhia de Elizabeth, mais perto estará de descobrir se ela é culpada.
Mas quando o treinamento se torna perfeito demais, James decide que só há uma regra que vale a pena seguir: que Elizabeth se case com seu marquês.

Outras capaz pelo mundo afora das duas publicações:




Impossível não querer ler alguma publicação da autora.
Logo trago a resenha dos livros aqui para vocês e espero que a Arqueiro continue com as capas lindas, que fazem toda a diferença!




16 agosto 2017

13

Relacionamentos: A diferença entre precisar e querer!


Na semana passada eu vi um vídeo que mudou muita coisa em minha forma de pensar. Na verdade tenho visto diversos vídeos positivos que com um ou outro comentário vai formando um pensamento positivo e me mostra como eu via de forma errada a minha imagem ou o jeito como eu me vitimizava ou me vitimizo em certos momentos.

Quem é que ao sofrer um tipo de decepção fica se perguntando qual a razão do sofrimento ou se pergunta o motivo de estar passando por aquilo? Mas ao fazer isto nunca parou para pensar se a real versão é de não ter parado e analisado que talvez a verdade estivesse batendo ali na cara muitas vezes, mas que quando queremos muito algo não conseguimos ver que aquilo muitas vezes não nos serve de verdade.

Algumas vezes gostei de pessoas que depois de terminar o relacionamento percebi que não tinham o mesmo teor de paixão que eu, que não estavam na mesma sintonia e nem sequer tinham os mesmos gostos, os mesmos estilos para filmes, música, livros e tudo o mais, mas, naquele momento, o que valia era que a paixão era irrefreada e tudo o que eu queria era ficar junto independente do que eu precisasse enfrentar. E esta é a questão.

Querer é diferente de precisar. Eu preciso de amor e um relacionamento estável, mas muitas vezes quero ficar com uma pessoa que não está dando um amor dedicado e que gera mais brigas do que momentos bons e mesmo assim eu acho que vou conseguir mudar a pessoa de alguma forma. Ou então fico insistindo em algum momento em alguém que não quer o relacionamento sem perceber que o meu querer não é o mesmo que o querer da pessoa e o meu precisar continua sendo o amor, mas o meu querer é uma pessoa que não é o que eu preciso.


Precisar é saber que é necessário ter amor, mas querer é algo que a gente coloca na mente que quer de uma certa forma e não como a melhor forma aparece. E é nisto que o ser humano precisa trabalhar. Se você fica preso neste querer e a outra pessoa não age como você acredita que é um relacionamento feliz, vá em frente e pare de sofrer, porque as pessoas não mudam do nada. Talvez mudem com a dor e o sofrimento, mas somente depois que perdem.

Por exemplo: Eu  preciso de um bom relacionamento, mas eu quero que seja com o Leonado Di Caprio. Logicamente que o meu querer é algo um pouco exagerado e que eu vou sofrer se ficar indo atrás e tentando algo que é basicamente impossível.

Se você estiver em um relacionamento em que se sente triste, há muitas brigas, percebe que existe uma dificuldade de mudanças mas mesmo assim não quer sair dele porque acredita que o ama demais e que nunca vai achar alguém melhor, pare e pense que isto não existe. Aprenda a se amar e saber que é possível sim viver sozinha e depois que se aprende a fazer isto se descobre como viver um relacionamento feliz.

Precisei explicar isto para uma pessoa com o qual tive um relacionamento e que depois percebi que não era o que eu precisava, mas esta pessoa não aceita que eu vá e assim fica relutando constantemente. Assim, expliquei a diferença sobre precisar e querer. Não digo para não tentar. Tente. Lógico que sim. Mas quando você percebe que tenta demais e que a pessoa só dá valor quando perde e aí promete que vai fazer de tudo para melhorar, esqueça. Ela perdeu as oportunidades de fazer o melhor quando podia.

Saiba descobrir o que você precisa e não somente o que você quer. E da mesma forma ofereça o que os outros precisam. Assim tudo se tornará melhor. Acredite!




14 agosto 2017

0

Leituras Desejadas de Agosto!


Sempre tem um livro que é publicado por alguma editora ou até mesmo de forma independente por alguma autora que acaba entrando na minha lista de livros desejados para leitura. Aqui vou mostrar alguns deste mês que quero adquirir e colocar em dia na leitura. Entrando para a fila, né gente?


NÃO ME ESQUEÇAS
Babbi A. Sette

Aos vinte e um anos, Lizzie deveria estar empenhada em fisgar um noivo e finalmente se casar. Entretanto, após uma decepção amorosa, o coração da jovem só palpita por sua grande paixão — os estudos sobre o povo e a cultura celtas. Esse interesse faz com que ela troque os concorridos salões de baile de Londres pelas estradas desertas e sinuosas das Highlands escocesas. 

Ali, ela conhecerá Gareth, o enigmático líder do clã que vive no local mais remoto e bucólico da Escócia. Envolto em uma aura de mistério, ele luta para manter suas tradições, seus segredos e, principalmente, seu povo em segurança.

Enquanto o austero Gareth tem a vida toda sob controle e resiste a mudanças, Lizzie está muito entusiasmada com suas explorações e descobertas. Porém a vida de ambos é alterada de maneira inexorável quando uma fatalidade transforma a tão sonhada aventura de Lizzie em pesadelo.
Vindos de mundos tão diferentes, mas unidos por uma atração irresistível, Lizzie e Gareth vivem uma paixão proibida e desafiadora, sem saber que finalmente poderão encontrar aquilo que só ousavam buscar em sonhos.




SORRISOS QUEBRADOS
Sofia Silva

Sorrisos Quebrados gira em torno de três personagens: a jovem Paola, a pequena Sol e seu pai, André. Os três são vítimas de violências distintas, que deixaram marcas profundas em cada um. 

Trata-se de uma história de superação de dores, magia, estrelas e de como importantes laços humanos podem se formar a partir da autoaceitação, da arte e da tolerância no cotidiano.



OS 27 CRUSHES DE MOLLY
Bechy Albertalli

Molly já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça. E foi assim que, aos dezessete anos, a menina acumulou vinte e seis crushes. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que ela precisa ser mais corajosa, Molly não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então age com muito cuidado. Como ela diz, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas.

Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e ainda se reaproximar da irmã.

Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo?

Em Os 27 Crushes de Molly, a perspicácia, a delicadeza e o senso de humor de Becky Albertalli nos conquistam mais uma vez, em uma história sobre amizade, amadurecimento e, claro, aquele friozinho na barriga que só um crush pode provocar.




A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
Martin Gilbert

Martin Gilbert, historiador britânico e autor de duas das maiores obras de referência sobre o século XX, os clássicos Churchill: Uma Vida e A Segunda Guerra Mundial, se debruça sobre a Primeira Guerra Mundial. O conflito que mudou o mundo destruiu impérios, realinhou fronteiras e matou milhões de pessoas. 

Legou à humanidade novas tecnologias de morte – tanques, aviões, submarinos, metralhadoras, artilharia de campo, gás venenoso e armas químicas. Começou às onze e quinze da manhã, em 28 de junho de 1914, em Sarajevo, e se estendeu por quase cinco anos. 

Porém, como mostra Gilbert em uma narrativa fluida e empolgante, nunca terminou. Até hoje vivemos muitos dos horrores que ali nasceram. Para o The New York Times, “este é um dos primeiros livros que qualquer pessoa deve ler para entender a guerra e o século”.


Estes são alguns dos livro que desejo ler, mas lógico que a lista não para por aí. 
E então, tem interesse em algum destes? 
Deixa sua opinião nos comentários!



11 agosto 2017

3

A Casa do Lago - Kate Morton! [Resenha #360]



Em uma bela casa na Cornualha, Inglaterra, em 1933, uma família vive feliz em belos jardins cheio de flores, com uma decoração de dar inveja pela enormidade de todo o cuidado e pela alegria que a família composta pelo casal e pelos quatro filhos transbordam. Esta é Loeanneth, a casa da família Edevane que era uma das mais ricas da Inglaterra, que em 1930 continua rica, mas perdeu um bom pedaço de terra, mas continuou com a esplendorosa mansão.

Em Londres vive Sadie Sparrow, em 2003, a detetive da polícia que está encarando um fato constrangedor em uma investigação. Uma mãe desaparecida que deixou a filha sozinha durante uma semana dentro de casa e que através de todas as provas e evidências foi constatado que a própria fugiu. Porém Sadie não está aceitando o fato e conseguiu infringir a regra de não ir até a mídia e declarar o que considera ser a verdade de que a mãe teria sofrido algo. Agora estava afastada do trabalho e foi parar na Cornualha, na casa de seu avô Bertie.

Alice Edevane é uma autora famosa de livros policiais. Agora na base dos 80 anos ainda luta contra a memória triste do que aconteceu no passado com a sua família, principalmente por recordar exatamente tudo que a noite fatídica da festa de ano-novo trouxe para todos e o segredo que ela guarda até hoje. 

Em um dia em que Sadie corria para espairecer sua raiva interna sobre o acontecido em sua investigação, ela se depara no meio da floresta com uma casa enorme, com a aparência de abandonada, com animais selvagens em volta e o mato crescendo ser sem aparado há muitos anos. Ali ela descobriu um lugar mágico e aos poucos começou a perceber também que aquele local não poderia ficar tão abandonado assim quando tudo o que havia dentro da casa ainda permanecia lá, como se tivesse sido deixada na mesma hora.

O que pode ter sido tão fatal para que uma família fosse despedaçada? Um pai que lutou na Primeira Guerra Mundial, uma mãe dedicada aos seus quatro filhos, uma casa dos sonhos e segredos que correm entre portas e janelas? É neste cenário que Sadie vai tentar reviver um caso não resolvido e talvez solucionar também sua questão pessoal interna.


Autora: Kate Morgan
Título Original: The Lake House
ISBN: 9788580417272
Páginas: 464
Ano: 2017
Gênero:  Ficção / Romance
Editora: Arqueiro







 

Quando vi que A Casa do Lago seria um drama no estilo de suspense já fiquei feliz. Adoro livros de drama e quando inclui a incursão ao passado e o presente no sentido mais atual, já quero me jogar de cara. Pelo que li sobre Kate Morgan, a autora, ela é especializada nas questões de escrever sobre dramas do século XX e quem leu ou vai ler o livro pode perceber que a descrição de toda a época é realmente bem descritiva e detalhada.

De início vamos ao encontro de uma família aristocrática que se vê conhecendo os problemas da guerra e do que tudo isto envolve pela questão da separação e dos atributos do que a volta de um homem sobrecarregado pela crueldade humana pode causar. Cada um dos personagens tem uma característica peculiar, que os transforma em únicos. Alice, que é uma das filhas do casal da trama, é a personagem principal, contando esta a parte do passado da família.

Em seguida temos o conhecimento de Sadie, que vai mostrar mais o lado do presente, com um instinto de detetive e assim compor todo o suspense com a ajuda de outros personagens secundários e também um outro mistério à parte que vai sendo solucionado pelas entrelinhas.

Vi algumas opiniões a respeito desta história e alguns disseram que ela é um pouco arrastada. Na verdade de início foi um pouco lento pegar o ritmo de tudo, já que os capítulos são entrelaçados entre as vidas dos personagens e o passado e o futuro. Também há a particularidade de que eu gosto muito da questão do passado e quando pulava para o futuro eu lia com um pouco mais de lentidão. Depois que consegui me conectar com o rumo que tudo estava tomando e com o que realmente estava subentendido, imergi totalmente na leitura.

No quesito inteligência literária não é à toa que o livro de Kate Morgan foi vendido para 18 países. A criatividade ao criar um enredo tão intrigante e sem pontas soltas é um ponto alto do livro. Quando eu imaginava que iria seguir por um rumo, logo dava de cara na porta e me via novamente em um mar aberto em busca de novas pistas. São diversas hipóteses para os acontecimentos e quando achei que na metade do livro tudo havia sido entregue percebi como estava sendo tola. A realidade é que a autora segue o ritmo do suspense e coloca o leitor na expectativa até o momento final.

Há um sabor enorme entre a diversidade da amizade, do amor, da paixão, dos conflitos e do que os personagens precisam passar para alcançarem seus objetivos. A dor e a felicidade em uma espécie de guerra para ver quem ganha mais espaço.

No final o que fica é a mensagem de que o sentimento de culpa pode amortecer a alma durante muitos anos e a melhor garantia é sempre enfrentar todos os problemas com as pessoas que mais amamos. Um final muito bem elaborado e com uma narrativa perfeita. Kate Morgan é uma ótima escritora, com certeza!



07 agosto 2017

3

Na Telinha: Planeta dos Macacos: A Guerra! Eu assisti!


E então chegou o último filme da trilogia do Planeta dos Macacos. Depois de Planeta dos Macacos: A  Origem e Planeta dos Macacos: o Confronto, Planeta dos Macacos: A Guerra veio para dizer o real motivo que fez com que toda a história tivesse um contexto tão firme e tão famoso e demonstrou o que o primeiro filme feito fora da trilogia realmente idealizou: um planeta dominado pelos macacos, mas que até então não se sabia qual era o real motivo. 

O primeiro filme Planeta dos Macacos gravado em 1968 e depois regravado mostra um mundo em outra dimensão em que os seres humanos são dominados por macacos e servem de escravos para eles e onde um viajante dos tempos atuais vai parar. Após ele conseguir fugir deste mundo, ele vai parar em um outro que acredita ser a Terra, porém em um outro futuro e se depara com uma Terra também dominada por macacos e sem seres humanos.




Sinopse: Humanos e macacos cruzam os caminhos novamente. César (Andy Serkis) e seu grupo são forçados a entrar em uma guerra contra um exército de soldados liderados por um impiedoso coronel (Woody Harrelson). Depois que vários macacos perdem suas vidas no conflito e outros são capturados, César luta contra seus instintos e parte em busca de vingança. Dessa jornada, o futuro do planeta poderá estar em jogo.


É a partir daí que muitas pessoas acreditaram que os vilões eram realmente os macacos e que os humanos eram meros espectadores maltratados. Assim sendo, esta trilogia veio para mostrar a grande verdade por trás desta história toda.

Se você tem coração mole e chora facilmente vá se preparando para assistir a este filme. O lado emocional é o trabalho mais focado neste terceiro filme, que já foi utilizado desde o primeiro quando Cesar, o personagem principal, foi criado e é o líder. Mas neste terceiro filme há uma família enorme e uma comunidade gigantesca tentando sobreviver em meio ao caos da perseguição à raça símia e mesmo assim Cesar tem a tendência em buscar a paz.



Pelo trailer dá para imaginar um filme enorme de ação e pura aventura, cheio de efeitos especiais, guerra, brigas e tudo o mais. Inicialmente o que ocorre é exatamente isto, mas a decisão que eu considerei sensata é que o foco não está nos efeitos especiais como o que aconteceu no segundo filme. O conflito em si ocorre mais nas partes finais e durante as duas horas e vinte minutos o que se vê é uma construção significativa de amizade, amor, luta e esperança entre os animais e alguns humanos.

Em um momento atual tão desconcertante para a sociedade mundial, assistir a um filme assim é nada mais do que um tapa na cara. É como voltar ao passado e assistir todo o desenrolar de uma história dos nossos antepassados até agora e também o que está ocorrendo no mundo com a questão da imigração. É o ser humano se autodestruindo e querendo destruir o próximo para tentar sobreviver.


Vale a pena assistir a todos os filmes. Só não vá esperando muito mais ação pois o filme tem alguns momentos assim e o restante é bem dramatizado. O final é excelente e fecha com chave de ouro uma história que querendo ou não, pode acontecer a qualquer momento.




04 agosto 2017

3

Livros em Filmes: Novidades de 2017!


Para você que sempre está atualizada na questão de filmes para o cinema, saiba que os livros que você talvez tenha lido ou que quer ler pode estar saindo em filme a qualquer momento. Um mostra disto são três lançamentos que vou mostrar aqui e que até mesmo eu já li dois deles e que agora fico só esperando para ver como vai ser na telinha. Confere aí:


BONECO DE NEVE
JOE NESBO
Nos Cinemas: 02/11/2017

No dia da primeira neve do ano, na fria cidade de Oslo, o inspetor Harry Hole se depara com um psicopata cruel, que cria suas próprias regras; O terror se espalha pela cidade, pois um boneco de neve no jardim pode ser um aviso de que haverá uma próxima vítima. No caso mais desafiador da sua carreira, Hole se envolve em uma trama complexa e mortal, com final surpreendente.




DEPOIS DAQUELA MONTANHA
CHARLES MARTIN
Nos Cinemas: 20/10/2017

O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo. Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida. 
Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada. Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. 
Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. 
E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.






ASSASSINATO NO EXPRESSO ORIENTE
AGATHA CHRISTIE
Nos Cinemas: 23/11/2017

Nada menos que um telegrama aguarda Hercule Poirot na recepção do hotel em que se hospedaria, na Turquia, requisitando seu retorno imediato a Londres. O detetive belga, então, embarca às pressas no Expresso do Oriente, inesperadamente lotado para aquela época do ano.
O trem expresso, porém, é detido a meio caminho da Iugoslávia por uma forte nevasca, e um passageiro com muitos inimigos é brutalmente assassinado durante a madrugada. Caberá a Poirot descobrir quem entre os passageiros teria sido capaz de tamanha atrocidade, antes que o criminoso volte a atacar ou escape de suas mãos.




Quero assistir a todos estes filmes e lógico que tem vários outros que vão sair nas telinhas. Nada melhor do que ver um filme baseado em um livro. A pior parte é quando nos decepcionamos se a adaptação não for das melhores, mas mesmo assim vale a tentativa.
Sem contar que amo a Kate Winslet por ser minha atriz favorita, então não posso perder mais um filme dela!


02 agosto 2017

7

Lançamentos Harlequin de Agosto! Banca e Livraria!


Chegando o tal famoso mês de cachorro louco e na verdade de loucos não temos nada, a não ser ter livros e mais livros para colocar em nossa coleção, certo?
E para melhorar esta situação nada melhor do que ver os lançamentos da Harlequin que tem romances de banca e também livros de livraria para adicionar aos nosso desejados. Quer saber o que tem? Dá uma conferida:

CASA REAL DE NIROLI
Penny Jordan 
Melanie Milburne

O Príncipe Herdeiro - Penny Jordan 
Marco Fierezza é considerado o príncipe playboy de Niroli. Ele está acostumado a ser obedecido, principalmente pelas mulheres que leva para a cama. Seu atual caso é com Emily Woodford, que não faz ideia de que ele faz parte da realeza. Quando chega a hora de Marco assumir o trono de Niroli, ele sabe que é o momento de escolher uma esposa adequada. mas o que fará quando descobrir que Emily está grávida? 

O Príncipe Plebeu - Melanie Milburne 
Alex Hunter é um brilhante cirurgião, que foi convocado a Niroli para avaliar a saúde do rei. Junto com a sua chegada, boatos surgem dizendo que ele é, na verdade, Alessandro Fierezza, o príncipe que foi sequestrado quando bebê e dado como morto. Amelia Vialli sempre vivei com o estigma de vir de uma família de bandidos. Por isso fica surpresa que Alex Hunter se interesse tanto por ela. Mas será que esse relacionamento poderá florescer depois que eles descobrirem que o sumiço de Alex tantos anos antes está ligado à família de Amelia?



RECOMPENSAS E DESAFIOS
Maisey Yates
Melanie Milburne

Herdeiro Da Vingança - Maisey Yates 
O valor da inocência! 
O pai de Charity Wyatt roubou o poderoso empresário Rocco Amari, e deixou a filha para arcar com a punição. O preço: uma noite de prazer. Mas Charity não esperava ficar grávida depois desse encontro com Rocco. E para garantir que o seu filho tenha uma infância melhor do que a sua, Charity pede que Rocco a ajude financeiramente. O que ela não contava era que ele tivesse outros planos: Rocco a quer como sua esposa. 

Uma Mentira Conveniente - Melanie Milburne 
A desculpa perfeita... 
Violet Drummond não passaria mais uma festa de Natal da empresa solteira. E parece que Cameron McKinnon, um amigo carismático, seria o acompanhante platônico perfeito. Ele tem outros planos para Violet, é claro. Pretende usar a farsa que ela inventou como forma de se livrar do interesse inconveniente da esposa de um cliente. Nenhum deles esperava que os sentimentos fingidos virassem uma atração muito real... Agora, Cameron está disposto a passar dos limites do seu acordo para acomodar o crescente desejo por Violet.


SR. G
Sue Hecker
Livro de Livraria

Patrícia é uma mulher independente e bem resolvida que tem uma relação estreita com o Sr. G - uma parte do seu corpo que comanda seus desejos -, porém, essa relação é balançada com a chegada de dois homens: Carlos, um homem de trato simples e de família com segredos não tão bem escondidos e que cativa seu coração e Dom Leon, um sujeito misterioso que manda mensagens para Patrícia, atingindo em cheio ela e o Sr. G.


EU, ELE & SR. G
Sue Hecker
Livro de Livraria

Dividida entre a emoção e o desejo, Patrícia resolve tirar um tempo para repensar em sua vida e nas questões que deixou em São Paulo. Contudo, a ausência de Carlos se torna torturante e as questões mal resolvidas de sua própria família fazem com que Patrícia retorne mais determinada do que nunca a resolver suas pendências não só com Carlos, mas com Dom Leon e, claro, com o Sr. G


DESTINO TENTADOR
Nora Roberts

O advogado Caine MacGregor tem a reputação de ser um demônio dentro e fora do tribunal. Impetuoso, raramente se depara com um caso - ou uma mulher - que não possa ganhar. Mas Diana Blade é diferente. Caine anseia por quebrar a fria barreira de autocontrole dela e libertar toda a paixão que existe em seu interior. Ele a convence a formar uma parceria profissional, contudo, será que conseguirá persuadir Diana a arriscar tudo pelo amor de um MacGregor?



Deu para captar todas as loucuras? E o tal do Sr. G? Dá para sentir nas entrelinhas que a coisa parece ser explosiva, né?
Você pode comprar todos estes exemplares nas bancas, livrarias próximas de você ou mesmo direto nas lojas virtuais.
Corre na Amazon, por exemplo para conferir um pouco mais de cada lançamento.